Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Arrecadação federal bate recorde de R$ 202,9 bilhões com aumento de 10,46% em maio, informa Receita

Arrecadação federal atinge recorde de R$ 202,9 bi em maio, com alta de 10,46%. Saiba os fatores que impulsionaram esse crescimento!

Nesta terça-feira (25), a Receita Federal informou que, em maio deste ano, a arrecadação de impostos registrou R$ 202,9 bilhões. Comparado ao mesmo mês do ano anterior, houve um aumento real de 10,46%.

Sendo assim, estabeleceu-se um novo recorde para o mês de maio desde o início dos registros em 1995. Continue a leitura para mais informações!

O que contribuiu para a arrecadação federal recorde?

Notas de dinheiro representando arrecadação do governo.
Imagem: rafapress / shutterstock.com

O crescimento da arrecadação federal reflete também nos resultados acumulados de 2022. De janeiro a maio, o total arrecadado foi de R$ 1,099 trilhão. Sendo assim, isso demonstra um aumento de 8,72% em termos reais comparado aos primeiros cinco meses do ano anterior.

Ademais, certos eventos têm um impacto direto nos números da arrecadação, e maio de 2024 não foi uma exceção. De acordo com a Receita Federal, a recuperação de R$ 7,2 bilhões de fundos offshore foi um dos maiores influenciadores para o resultado excepcional do mês.

Por outro lado, a calamidade pública no Rio Grande do Sul, que gerou uma diminuição na arrecadação federal de R$ 4,4 bilhões, marcou o lado negativo da equação. Esses são alguns dos fatores atípicos que moldaram os valores anunciados.

Influência de indicadores macroeconômicos no resultado

Vale destacar também a melhora no desempenho do PIS/Cofins sobre combustíveis e do crescimento da arrecadação da Contribuição Previdenciária e do IRRF-Trabalho. Logo, esses indicadores macroeconômicos estão diretamente relacionados com o crescimento da massa salarial do país, por exemplo.

Veja também:

Governo prepara EXTRA de R$ 1.080 e idosos pulam de alegria!

Entre os vários tributos, o Imposto sobre a Renda das Pessoas Físicas (IRPF) se destacou com a marca de R$ 23 bilhões, o que representa um crescimento real de 44,82%. Por fim, junto a isso, a arrecadação federal combinada de PIS/Pasep e Cofins também mostrou crescimento de 11,74%, impulsionada pela elevação nas vendas, no volume de serviços e nas atividades do setor de combustíveis.

Imagem: rafapress / shutterstock.com