Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Bolsa Família 2024 terá auxílio de R$ 1.200 especial para mães solteiras

Auxílio Mãe Solteira de R$ 1.200: saiba tudo sobre o projeto que visa garantir suporte financeiro para mães solteiras

O Bolsa Família, reconhecido programa de transferência de renda administrado pelo Governo Federal, está prestes a receber uma expansão significativa com a introdução de um novo benefício voltado para mães solteiras. 

Assim, essa nova vertente, a Lei do Auxílio Mãe Solteira, promete trazer uma ajuda mensal de R$ 1.200 para aquelas que enfrentam a jornada de criar seus filhos sozinhas. De acordo com especialistas, a implementação deste benefício poderia reduzir consideravelmente o peso financeiro sobre as mães solteiras, que muitas vezes lidam com a economia familiar sem apoio. 

Além do aspecto monetário, o benefício reconheceria o papel vital dessas mães na estruturação familiar e social, promovendo um avanço em direção à igualdade e justiça social. Veja mais detalhes!

Bolsa Família especial para mães solteiras

Portanto, para ter acesso ao auxílio de R$ 1.200 do Bolsa Família será preciso que a beneficiária cumpra os seguintes requisitos:

  • Estar inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico);
  • Não possuir cônjuge ou companheiro;
  • Ter pelo menos um dependente menor de 18 anos;
  • Não ter carteira assinada;
  • Não estar recebendo outro benefício assistencial ou previdenciário;
  • Ter renda mensal familiar de até meio salário mínimo (R$ 706) por pessoa ou renda total de até três salários mínimos (R$ 4.236).
Mãe, com os olhos fechados e leve sorriso, abraçando seu filho no sofá
Imagem: fizkes/ shutterstock.com

Qual a situação atual do Auxílio Mãe Solteira

Atualmente, o Auxílio Mãe Solteira ainda está em fase de análise na Câmara dos Deputados. O projeto de lei foi aprovado pela Comissão de Direitos da Mulher em fevereiro de 2024, mas ainda precisa passar por outras comissões e pelo plenário da Câmara antes de ser enviado ao Senado Federal.

Enfim, o projeto ainda passará por uma análise crítica em outras comissões essenciais como as de Finanças e Tributação, Seguridade Social e Família, e a última, a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. Assim, essa fase é crucial para a viabilização e implementação do projeto no orçamento nacional.

Imagem: fizkes/ shutterstock.com