Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Cesta básica: maio registra aumento em 11 capitais, segundo Dieese

O custo da cesta básica em capitais brasileiras está em alta. Chuvas impactaram preços em Porto Alegre. Saiba mais!

Um relatório realizado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) revelou uma elevação significativa nos preços da cesta básica em diversas capitais do Brasil. O mês de maio mostrou um aumento em 11 das 17 capitais avaliadas, evidenciando um desafio crescente para muitos brasileiros em cobrir os custos essenciais de alimentação.

Entre as capitais com maior aumento, Porto Alegre se destacou com uma alta de 3,33%, impactada pelas intensas chuvas que atingiram a região em maio. Outras cidades como Florianópolis e Campo Grande também enfrentaram elevações de 2,50% e 2,15%, respectivamente.

Por outro lado, algumas cidades experimentaram uma redução nos preços, como Belo Horizonte e Salvador, onde os preços caíram em mais de 2,5%.

Qual foi o impacto das chuvas nos preços da cesta básica em Porto Alegre?

Cesta básica supera salário mínimo em São Paulo
Imagem: Vepar5 / Shutterstock.com

O estado do Rio Grande do Sul, conhecido como um dos maiores produtores de arroz do país, sofreu com as inundações, o que reduziu a oferta do grão e, consequentemente, impulsionou os preços nas prateleiras.

Apesar das tentativas de estabilização através de importações, a maioria das cidades analisadas pelo Dieese apresentou crescimento nos valores do arroz.

Comparativo das capitais: cesta básica em São Paulo continua sendo a mais cara

Em São Paulo, a cesta básica alcançou o valor médio de R$ 826,85, mantendo-se como a mais cara entre as capitais. Esses dados são essenciais para análises econômicas que levam em conta a qualidade de vida e o poder de compra da população.

As discrepâncias regionais também são enormes, destacando-se valores consideravelmente menores em capitais do Norte e Nordeste, como Aracaju e Recife, onde os custos são sensivelmente mais acessíveis.

Capitais com o custo da cesta básica mais elevado

CapitalValor da cesta (R$)% reajuste
São Paulo826,850,49
Porto Alegre801,453,33
Florianópolis801,032,50
Rio de Janeiro796,67-0,56
Campo Grande748,482,15
Curitiba741,462,04
Brasília737,371,29
Vitória723,91-0,40
Fortaleza709,90-0,67
Goiânia704,510,50
Belo Horizonte693,39-2,71
Belém690,981,40
Natal640,101,24
Salvador623,05-2,67
João Pessoa620,670,96
Recife618,470,19
Aracaju579,55-0,44

Como o salário mínimo se compara com o custo da cesta básica?

O Dieese estima que, para cobrir as necessidades básicas de um trabalhador e sua família com a cesta mais cara (São Paulo), seria necessário um salário mínimo de R$ 6.946,37. Este valor é quase cinco vezes o mínimo nacional atual, refletindo a disparidade entre o custo de vida e o salário de muitos brasileiros.

Veja também:

Enchentes no RS: qual o destino dos carros atingidos pela água?

Estes números não só evidenciam a necessidade de ajustes na política salarial, como também realçam o impacto da inflação e o papel crucial de entidades como o Dieese para monitorar e divulgar estes índices.

Imagem: Vepar5 / Shutterstock.com