CGTN: Cooperação não Adiada: China e PECO se Preparam para Vacinas, Comércio e Mais

0

 

PEQUIM, 10 de fevereiro de 2021 /PRNewswire/ — A nona conferência entre a China e os Países da Europa Central e Oriental (PECO), originalmente agendada para o primeiro semestre de 2020, foi adiada devido ao surto da COVID-19, mas a cooperação entre os dois lados não parou.

 

Após o volume total do comércio entre os dois lados ter atingido 103,45 bilhões de dólares em 2020, a China e os PECO destacaram mais cooperação em diversas áreas como vacinas, comércio e economia verde na Conferência China-PECO, realizada na terça-feira via videoconferência.

Quais são os objetivos comuns? 

A cooperação global em relação às vacinas contra a COVID-19 é um tópico altamente debatido na comunidade internacional, e o mecanismo China-PECO não deixará de realizar contribuições nesta área.

Em seu discurso principal na conferência, o presidente chinês Xi Jinping disse que serão feitos esforços conjuntos nas áreas de serviços médicos e de saúde, compartilhamento de experiências e transformação de vacinas da COVID-19 em bens públicos globais.

Até o momento, a Sérvia recebeu 1 milhão de doses da vacina de uma empresa chinesa, e há uma cooperação contínua entre as empresas de vacinas da Hungria e da China, disse Xi, acrescentando que a China considerará ativamente essa cooperação com outros países da CEE, se for necessário.

Desde o início da pandemia da COVID-19, Xi tem se envolvido na intensa “diplomacia em nuvem”, que inclui presidir ou participar de reuniões virtuais e realizar chamadas telefônicas com líderes estrangeiros e chefes de organizações internacionais, para dar a contribuição da China para a pesquisa, desenvolvimento e distribuição de vacinas da COVID-19.

A cooperação comercial continuará impulsionando a recuperação e o crescimento econômico global.

Nos próximos cinco anos, a China pretende importar mais de 170 bilhões de dólares em mercadorias dos PECO e se empenhará para dobrar as exportações agrícolas dos países da Europa Central e Oriental para a China, além de aumentar o comércio agrícola mútuo em 50% nos próximos cinco anos, disse Xi.

O alinhamento da cooperação inter-regional com a iniciativa Cinturão e Rota (Belt and Road) e a melhoria do papel dos trens de carga entre a China e a Europa em relação ao desenvolvimento econômico também foram ressaltados pelo presidente chinês.

Atualmente, todos os 17 membros dos PECO no âmbito da cooperação assinaram documentos de cooperação com a China para a construção conjunta da iniciativa Cinturão e Rota.

Enquanto isso, o número de trens de carga entre a China e a Europa era de 12.400 em 2020, com passagens e destinos principais incluindo Polônia, Hungria e República Tcheca.

No ano passado, foi feito o número recorde de 12.400 viagens de trem de carga entre a China e a Europa, transportando principalmente equipamentos de proteção pessoal para o continente europeu, que foi um dos locais mais atingidos pela pandemia.

Com 88 documentos de cooperação alcançados como resultado da reunião de cúpula de terça-feira, foi também enfatizado o progresso em setores como economia verde, economia digital, intercâmbio cultural e interpessoal.

Como atingir os objetivos? 

Sem dúvida, as tarefas acima não são fáceis, especialmente na era pós-pandemia, quando os casos globais de COVID-19 já ultrapassam 100 milhões, número que segue aumentando, sem contar com as novas cepas do coronavírus que estão se desenvolvendo descontroladamente.

Na reunião de cúpula de terça-feira, a China sublinhou a vibração sustentada da cooperação entre a China e os PECO em relação às soluções.

Enfatizando que a abertura e a inclusão são a chave para a vibração sustentada, Xi disse que a China e os PECO desenvolveram alguns princípios que refletem suas características distintivas e são aceitos por todas as partes.

Tomar decisões por meio de consultas, proporcionar benefícios a todos os parceiros de cooperação, buscar o desenvolvimento comum por meio de abertura e inclusão e alcançar um maior crescimento por meio da inovação são, todos, pontos importantes, disse Xi.

Desafios e oportunidades frequentemente andam de mãos dadas em tempos de crises.

O mecanismo de cooperação China-PECO nasceu em 2012 contra o pano de fundo da crise da dívida europeia, e agora, depois que o mundo inteiro sofreu um grave colapso na economia em 2020, os olhos estão novamente voltados para a China e os PECO, com mais expectativas.

Artigo original: aqui.

Vídeo – https://www.youtube.com/watch?v=ICJveHvv0zo

FONTE CGTN

- Publicidade -

Comentários
Carregando...