Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Estudo aponta quanto a dengue pode custar ao PIB de 2024

Um estudo analisou o impacto da dengue no PIB de 2024, estimando os custos econômicos da doença para o país.

O Brasil enfrenta uma nova crise de saúde pública: uma epidemia de casos de dengue. De acordo com os últimos relatórios, o país já confirmou mais de 1 milhão de casos de dengue em 2024. Este valor é mais do que o triplo em comparação ao ano anterior.

Além do seu impacto crítico na saúde, esta doença também está a caminho de afetar a economia do país de maneira significativa em 2024. Um recente estudo da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) prevê um impacto potencial de até R$ 12 bilhões na economia brasileira devido ao aumento de casos de dengue.

Epidemia de Dengue e a Economia Brasileira

mosquito da dengue em cima de uma pele humana
Imagem: vagonik / shutterstock.com

O estudo revelou que seis em cada dez pessoas infectadas pelo vírus da dengue são membros ativos da força de trabalho. O Brasil, então, corre o risco de uma queda de até R$ 7 bilhões no Produto Interno Bruto (PIB). Isso ocorre devido à redução da produtividade causada por essa doença.

Outro fato alarmante é que estima-se que os custos relacionados ao tratamento da dengue no país possam chegar a R$ 5,2 bilhões. Estes custos têm o potencial de resultar na perda de mais de 129 mil empregos. Dessa forma, seria compremetida a geração de cerca de R$ 2,1 bilhões em massa salarial.

Os custos além dos financeiros

O economista-chefe da FIEMG, João Gabriel Pio, ressaltou que os gastos com o tratamento da dengue seriam suficientes para subsidiar o programa Bolsa Família para mais de 716 mil famílias. “Os custos com a saúde não são o único obstáculo”, explicou Pio, “o absenteísmo, que é o afastamento do trabalho devido à doença, acarreta prejuízos significativos para a atividade econômica.”

Juliana Gagliardi, membro da equipe de economistas da federação, ressaltou que “é urgente a necessidade de políticas públicas eficazes no combate às arboviroses, não apenas para proteger as pessoas, mas também para reduzir os impactos econômicos atrelados a essas doenças”.

Veja também:

Novo programa de pontos do Bradesco: saiba quais são os benefícios

Esses números alarmantes indicam a urgência de uma abordagem de combate à dengue mais eficaz, que não só proteja a saúde de milhões de brasileiros, mas também previna um declínio econômico.

Imagem: rafastockbr / Shutterstock.com