Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Cuidado: auxílio emergencial não é isento no IRPF 2021

Confira as regras e veja se você deve declarar o benefício

0

Muitas pessoas podem estar confusas sobre a necessidade de fazer a declaração do Auxílio Emergencial no Imposto de Renda 2021. Assim, se você ou algum parente próximo recebeu o auxílio emergencial, ou você recebeu o valor, precisa saber se é obrigado ou não a fazer a declaração. Além disso, quem recebeu o valor e não tinha direito deverá devolvê-lo para a Receita Federal. Confira mais a seguir!

É provável que você goste também

Como funcionam as novas regras do aplicativo WhatsApp?

Binance, maior corretora de criptomoedas do mundo, é investigada

Como funciona a promoção Vai de Visa Itaucard

Cuidado: auxílio emergencial não é isento no IRPF 2021

O auxílio emergencial foi criado em 2020 após o início da pandemia de Covid-19, para ajudar a população mais pobre, especialmente quem perdeu o emprego. Com isso, ele foi pago para as pessoas que se cadastraram no site da Caixa Econômica Federal, no aplicativo Caixa Auxílio Emergencial, nas agências dos Correios e também para quem já fazia parte do programa Bolsa-família.

Porém, algumas pessoas, mesmo que não todas, precisarão fazer a declaração desse valor. Mas como saber se você deve declarar? Bem, existem algumas condições definidas pela Receita, e quem se enquadra em uma das regras que obrigam a entrega desse documento.

Quem deve declarar o Auxílio no Imposto de Renda?

Para ser obrigatória a declaração do Auxílio Emergencial no seu Imposto de Renda 2021, é preciso que:

  • você ou seus dependentes tenham recebido o auxílio o emergencial junto com outros rendimentos tributáveis (salário, aposentadoria, renda de aluguel) que tenham somado (sem contar o auxílio) mais de R$ 22.847,76 em 2020.
  • recebeu mais de R$ 28.559,70 de rendas tributáveis (salário, aposentadoria, pensão, renda de aluguel) no ano passado.
  • caso tenha ganhado mais de R$ 40 mil em rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados na fonte no ano passado (como saque do FGTS, indenização trabalhista ou rendimentos de poupança).
  • teve ganho com a venda de bens (de uma casa, por exemplo).
  • comprou ou vendeu ações na Bolsa de Valores.
  • recebeu mais de R$ 142.798,50 em atividade rural (agricultura, por exemplo) ou teve prejuízo rural compensado no ano-calendário de 2020 ou nos próximos anos.
  • era dono de bens (imóveis, investimentos etc) que somem mais de R$ 300 mil.
  • passou a morar no Brasil em qualquer mês de 2020 e ficou aqui até 31 de dezembro.
  • vendeu um imóvel e comprou outro num prazo de 180 dias, usando a isenção de IR no momento da venda.

Por fim, você deve devolver o Auxílio Emergencial se recebeu as parcelas do benefício junto com outras rendas tributáveis (salário, aposentadoria, pensão) que somem mais de R$ 22.847,76 em 2020.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Assim, é só seguir o Seu Crédito Digital no YouTubeFacebookTwitterInstagram e Twitch. Contudo, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos etc. Siga a gente para saber mais!

imagem: Brenda Rocha – Blossom / shutterstock.com

- Publicidade -

Comentários
Carregando...