Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

IPCA: veja quais foram os alimentos que ficaram mais caros e mais baratos em agosto

Grupo de Alimentos e Bebidas que compõe o IPCA registrou queda no mês de agosto. Confira a variação dos itens!

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) referente ao mês de agosto registrou aumento de 0,23%. Em contrapartida, o grupo de alimentos, que integra o índice da inflação, caminhou no caminho contrário. No período, apresentou queda de 0,85%. Nesse sentido, alguns itens ficaram mais caros, enquanto outros tiveram queda nos preços. 

Por alguns meses no último ano, o preço dos alimentos subiu de forma significativa, junto com a aceleração da taxa inflacionária no país. Atualmente, após um controle maior sobre os preços, os itens começaram a registrar baixa, o que permite uma melhora no cenário para os brasileiros. Veja mais detalhes a seguir!

Variação de preços no setor alimentício em agosto

Para a composição do grupo de Alimentos e Bebidas do IPCA, são considerados diversos tipos de produtos que fazem parte do cotidiano dos consumidores. Desse modo, a partir dos resultados do indicador, é possível visualizar o aumento ou a redução dos preços de cada um deles.

Nota de 100 reais dentro de uma cesta de compras rodeada de diversos tipos de alimentos, como frutas, verduras e grãos.
Imagem: Andrzej Rostek / Shutterstock.com

No mês de agosto, apenas três alimentos que integram o IPCA ficaram mais caros. Foi o caso do limão (+51,11%), banana d’água (+4,90%) e arroz (+1,14%). Portanto, os demais itens registraram baixa. Veja a lista.

  • Batata inglesa: -12,92%;
  • Mamão: -8,43%;
  • Feijão carioca: -8,27%;
  • Tomate: -7,91%;
  • Leite longa vida: -3,35%;
  • Ovo: -3,15%;
  • Costela: -2,71%;
  • Frango em pedaços: -2,57%;
  • Chã de dentro: -2,33%;
  • Alcatra: -2,22%;
  • Frango inteiro: -2,04%;
  • Contrafilé: -1,78%;
  • Café moído: -1,50%;
  • Biscoito: -1,26%. 

Na variação de 12 meses, os itens que apresentaram as maiores diminuições foram o feijão carioca, o frango em pedaços e a alcatra. Desse modo, tais produtos podem fazer parte do cotidiano de muitas famílias, o que pode ser visto como uma boa melhora nas condições de compra do supermercado.

Veja também:

Ficou devendo? Novo serviço gratuito pode te alertar automaticamente sobre isso

Alimentação no domicílio

Por fim, o IPCA ainda aponta a variação dos preços em relação aos itens que constituem a alimentação no domicílio, que também teve queda de 1,26% no mês de agosto. Assim sendo, os produtos com as maiores diminuições foram: 

  • Tubérculos, raízes e legumes: -7,34%;
  • Hortaliças e verduras: -3,50%;
  • Aves e ovos: -2,56%;
  • Carnes: -1,90%;
  • Leites e derivados: -1,38%.

Imagem: Andrzej Rostek / Shutterstock.com