Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Ministério da Fazenda aumenta estimativa de crescimento do PIB para 2,5% em 2024

O Ministério da Fazenda aumenta previsão de crescimento do PIB para 2,5% em 2024. Saiba mais informações sobre esta estimativa!

Recentemente, a Secretaria de Política Econômica (SPE) atualizou suas estimativas para a economia brasileira, destacando um crescimento esperado mais robusto para o ano de 2024. Essa nova perspectiva, que eleva a previsão do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,2% para 2,5%, sugere um cenário econômico mais favorável para o próximo ano.

Dessa forma, saiba mais informações sobre os fatores que influenciaram essa revisão feita pela secretaria do Ministério da Fazenda e as expectativas para o próximo ano. Continue a leitura para mais detalhes!

Entenda os motivos por trás do ajuste positivo do PIB

Bandeira do Brasil e blocos com a palavra PIB à frente
Imagem: rafastockbr / Shutterstock.com

De acordo com a SPE, diversos fatores contribuíram para essa revisão positiva. As vendas no varejo e os serviços prestados às famílias mostraram um crescimento vigoroso. Além disso, houve um aumento significativo na criação líquida de empregos e nas concessões de crédito.

Outro ponto relevante foi a recuperação dos investimentos. Estes foram especialmente impulsionados pela construção civil e pelo incremento nas importações de bens de capital, por exemplo.

Ademais, a valorização recente do dólar também aparece como um elemento catalisador para a revisão do PIB, visto que melhorou as expectativas para as exportações do país em 2024. Uma moeda local mais fraca pode tornar os produtos brasileiros mais competitivos no mercado internacional, estimulando assim a economia por meio do setor exportador.

Otimismo no setor de serviços contrasta com a Agropecuária e Indústria

A SPE ressalta que a expectativa de crescimento do setor de serviços passou de 2,4% para 2,7% para 2024, o que compensa o declínio nas projeções para os setores da agropecuária e indústria. O setor agropecuário prevê uma contração de 1,4%, agravada pelas projeções pessimistas para as safras de soja e milho.

Por outro lado, o setor industrial ajustou sua expectativa de crescimento de 2,5% para 2,4%, devido a um primeiro trimestre abaixo das expectativas. Ainda, a análise das projeções para o PIB também mencionou que os efeitos das recentes enchentes no Rio Grande do Sul não foram considerados.

Este evento climático crítico pode ter repercussões significativas nas áreas afetadas, principalmente nos setores de agropecuária e indústria de transformação. No entanto, os trimestres seguintes devem compensar parcialmente as perdas.

Como a inflação responde aos ajustes econômicos?

Além das previsões sobre o PIB, no que se refere à inflação, a expectativa também sofreu ajustes. A estimativa do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu de 3,5% para 3,7% para 2024, ainda dentro do limite da meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Veja também:

Governo libera Pix de R$ 5.100 na conta; veja quem tem direito!

Ele é de 3% com uma margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Esse aumento atribui-se tanto à valorização do dólar quanto ao impacto das enchentes no Rio Grande do Sul sobre o preço dos alimentos in natura.

Imagem: rafastockbr / Shutterstock.com