Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

No serviço público, mulheres receberam remuneração 12,9% menor que homens em 2023

A remuneração das mulheres no serviço público brasileiro foi 12,9% menor do que a dos homens em 2023, revela estudo recente. Saiba mais!

Um estudo recente revelou uma disparidade na remuneração entre homens e mulheres no serviço público brasileiro em 2023. Sendo assim, as servidoras recebem 12,9% a menos que os profissionais do sexo masculino.

Dessa forma, saiba mais detalhes desse estudo e as implicações da desigualdade salarial de gênero, um problema também presente no setor privado. Continue a leitura para mais informações!

Estudo mostra que mulheres recebem 12,9% a menos que homens no serviço público

jovem mulher pensativa sentada à mesa com o bloco de notas sonhadoramente olhando de lado. Homem ao fundo da imagem olhando notebook
Imagem: Garetsvisual / Freepik.com

O Ministério da Gestão e Inovação (MGI) revelou que as mulheres no serviço público ganharam, em média, 12,9% menos que seus colegas masculinos. Enquanto o salário médio masculino foi de R$ 11.475,98, as mulheres receberam R$ 9.998,00. Este cenário pouco mudou desde 2014, apontando para um problema estrutural que requer atenção.

Um dos fatores contribuintes para essa discrepância salarial é a menor presença feminina em posições de liderança dentro do setor público. Embora as mulheres estejam se qualificando cada vez mais, essa evolução não tem se traduzido em acesso igualitário a cargos de liderança, que geralmente vêm acompanhados de maiores remunerações.

De acordo com o estudo do MGI, desde 2014, o percentual de mulheres ocupando cargos de liderança no serviço público brasileiro não ultrapassou 41,1%. Em 2023, esse número se manteve próximo, com 41% de representação feminina nesses cargos, um indicativo de que as barreiras à ascensão das mulheres no serviço público persistem.

Quais são os esforços para diminuir a disparidade?

O panorama, embora desafiador, mostra sinais de possível melhoria no futuro. Em janeiro de 2024, por exemplo, o percentual de mulheres trabalhando no setor público aumentou levemente para 41,6%. Isso sugere uma mudança gradual, embora ainda haja um longo caminho a percorrer.

Veja também:

Serviços essenciais têm aumento de preço no Brasil; saiba mais

Por fim, uma das estratégias do ministério para combater essa disparidade é a realização do primeiro Concurso Público Nacional Unificado, apelidado de “Enem dos Concursos”, previsto para maio. Com mais de dois milhões de inscritos, 56,2% são mulheres, indicando uma potencial mudança na composição de gênero do serviço público brasileiro nos próximos anos.

Imagem: Garetsvisual / Freepik.com