Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

PIB do Rio Grande do Sul pode reduzir a praticamente zero em 2024, segundo Bradesco

Entenda a previsão sobre a possibilidade de uma tragédia reduzir o PIB do Rio Grande do Sul o a praticamente zero em 2024.

O crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) do Rio Grande do Sul pode enfrentar um cenário desfavorável para 2024. De acordo com um estudo realizado pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos do Bradesco, devido a eventos climáticos extremos, o estado poderá enfrentar um estancamento econômico.

Dessa forma, a situação contrasta com as previsões anteriores de crescimento de 4,7%. Saiba mais sobre essa previsão e seus possíveis efeitos na economia do Rio Grande do Sul na sequência!

Impacto dos desastres climáticos no PIB do Rio Grande do Sul

bandeira do Rio Grande do Sul
Imagem: Studio Maya / Shutterstock.com

Analistas do Bradesco propõem uma significativa diminuição no crescimento, prevendo uma possível queda de até 4 pontos percentuais no PIB do Rio Grande do Sul. Isso implica que, de acordo com as novas projeções, o crescimento pode ser praticamente nulo em comparação com o ano de 2023.

Ainda segundo o estudo do banco, os impactos destas condições adversas não são isolados no estado, mas possuem o potencial de afetar, também, a economia nacional. Estima-se uma redução de até 0,3 ponto percentual no crescimento do PIB brasileiro para o próximo ano, considerando o peso econômico significativo que o Rio Grande do Sul tem no país.

Examinando eventos anteriores, como o ciclone de 2008 e a crise sanitária global de 2020, observa-se que estes tiveram repercussões negativas duradouras na economia regional. O baixo desempenho pós-desastres destaca a necessidade de estratégias mais eficazes de mitigação e recuperação.

Saiba mais sobre as previsões da pesquisa

Sendo assim, a reconstrução e fortalecimento da infraestrutura regional emergem como prioridades. Investimentos robustos em estruturas resistentes a desastres, além de políticas públicas ágeis e focadas, são essenciais para uma recuperação sólida e ampliação da resiliência econômica contra futuras adversidades.

Os desafios climáticos recentes colocam em risco não apenas o bem-estar econômico imediato, mas também o desenvolvimento futuro do Rio Grande do Sul. As respostas do governo e da sociedade a estas adversidades serão determinantes para uma recuperação eficaz e para o fortalecimento da economia a longo prazo.

Veja também:

Valor do Bolsa Família é confirmado; confira quanto vai receber!

Diante disso, torna-se vital adotar uma abordagem proativa, não somente reparando os danos, mas também implementando estratégias preventivas que garantam a prosperidade e a estabilidade econômica do estado frente a futuras incertezas climáticas e econômicas.

Imagem: Studio Maya / Shutterstock.com