Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Preço médio da cesta básica aumentou em seis capitais brasileiras em outubro

Levantamento mostra os preços médios da cesta básica em diferentes locais do país e revela a variação no valor dos alimentos. Veja!

No último mês de outubro, o preço médio da cesta básica apresentou alta em seis capitais brasileiras. De modo geral, o aumento foi de 0,2% a 6,8%. Os dados são da pesquisa Cesta de Consumo, realizada mensalmente pela empresa Horus e pelo Instituto Brasileiro de Economia (FGV IBRE).

Nesse cenário, São Paulo e Rio de Janeiro registraram os aumentos mais significativos, de 1,4% e 6,8% respectivamente. Enquanto isso, Fortaleza e Belo Horizonte foram cidades em que houve queda no preço médio, de -1,9% e -0,6%. 

Além disso, vale destacar que a cesta básica mais cara do país chega a R$ 887,33. Sendo assim, compromete mais que metade do salário mínimo atual, fixado em R$ 1.320 desde maio deste ano. 

Preço médio da cesta básica entre as cidades

Em outubro, o preço médio da cesta básica entre as cidades analisadas pela pesquisa ficou da seguinte forma:

  • Rio de Janeiro: R$ 887,33 (alta de 6,8%);
  • São Paulo: R$ 795,50 (alta de 1,4%);
  • Curitiba: R$ 684,04 (alta de 0,7%);
  • Salvador: R$ 688,11 (alta de 0,7%);
  • Manaus: R$ 637,42 (alta de 0,4%);
  • Brasília: R$ 670,20 (alta de 0,2%);
  • Belo Horizonte: R$ 594,77 (queda de -0,6%);
  • Fortaleza: R$ 687,31 (queda de -1,9%). 

Dessa forma, mesmo ao considerar a cesta básica mais barata do país, de Belo Horizonte, o comprometimento do salário mínimo chega a quase 50%.

Veja também:

Lula decreta aumento salarial para estes brasileiros; veja se você está na lista

Cesta de compras com alimentos de uma cesta básica em cima de uma nota fiscal enrolada sobre fundo amarelo.
Imagem: Maxx-Studio / shutterstock.com

Alimentos mais caros 

De acordo com o levantamento, dois alimentos registraram um aumento no preço em todas as regiões do país analisadas: arroz e frango. Mas, além desses itens, uma série de outros teve alta. Confira.

  • Açúcar;
  • Margarina;
  • Massas alimentícias secas;
  • Pão;
  • Bovino;
  • Manteiga;
  • Frutas;
  • Óleo.

Em contrapartida, os produtos que tiveram as maiores quedas no último mês de outubro foram os seguintes:

  • Ovos;
  • Leite;
  • Fubá e farinhas de milho;
  • Farinha de mandioca;
  • Legumes.

Imagem: Maxx-Studio / shutterstock.com