Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Salário mínimo em abril de 2020 deveria ter sido de R$ 4.673,06, segundo o Dieese

0

De acordo com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos), o salário mínimo em abril de 2020 deveria ter sido de R$ 4.673,06. Pelo menos essa é a estimativa feita pela departamento considerando a necessidade de sustentar uma família de quatro pessoal. Esse valor, portanto, é quase 4,5 vezes maior do que o valor atual do salário mínimo (R$ 1.045). Confira mais detalhes nessa matéria.

É provável que você também goste:

Hipermercados Big agora aceitam cartão do auxílio emergencial de R$ 600

Compras com o cartão virtual do Nubank crescem na quarentena

Quais beneficiários do INSS terão salários prorrogados automaticamente durante a quarentena?

Salário mínimo em abril de 2020 deveria ter sido de R$ 4.673,06

Conforme o levantamento do Dieese divulgado hoje (11), o salário mínimo em abril de 2020 deveria ter sido de R$ 4.673,06. Todos os meses, o Dieese divulga uma estimativa de quanto deveria ser o salário mínimo naquele mês para atender as necessidades básicas do trabalhador e de sua família. Nessa estimativa, são consideradas todas as necessidades de constam na Constituição (saúde, alimentação, moradia, higiene, educação, moradia, transporte, lazer e Previdência Social).

O valor dessa estimativa, no entanto, é calculado baseado na cesta básica mais cara das 17 capitais pesquisadas. Sendo assim, vale lembrar que em algumas capitais o valor da cesta básica é muito mais caro do que em outras. Em março, a cesta básica mais cara era a de São Paulo (R$ 556,25), enquanto que o menor valor médio foi registrado em Aracaju (no Sergipe, R$ 401,37).

Coleta de dados foi afetada pela pandemia do coronavírus

Para fazer essa estimativa do salário mínimo em abril de 2020, o Dieese costuma fazer uma coleta de dados presencial. No entanto, devido à pandemia de coronavírus, essa coleta de dados presencial foi suspensa em 18 de março. Dessa forma, o Dieese teve que coletar dados sobre preços por e-mail, telefone, pesquisas na internet e aplicativos de entrega de 16 das 17 capitais pesquisadas.

São Paulo foi a única capital onde a coleta presencial foi mantida, mas com uma quantidade menor de pesquisadores. Além disso, eles trabalhavam em horários nos quais havia menos clientes nos estabelecimentos. Já as feiras livres, que antes costumavam ser incluídas nas pesquisas de preços, dessa vez foram desconsideradas.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o Facebook, Twitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem destacada: rafastockbr, via Shutterstock.

Comentários
Carregando...