Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

“Taxa da blusinha” deve render R$ 4 bilhões para o governo até 2025

Nova taxação de compras internacionais até US$50, a “taxa da blusinha” promete aumentar a arrecadação e reforçar o orçamento nacional

A implementação de uma taxa de 20% sobre importações de produtos com valor de até US$ 50, a “taxa da blusinha”, tem o potencial de gerar R$ 4 bilhões em receita para o governo brasileiro até 2025, de acordo com estimativas da Warren Investimentos. Assim, somente neste ano, a nova taxação deve gerar R$ 1,3 bilhão para os cofres da União.

Além disso, segundo os economistas da Warren, para 2025, a estimativa é de que a taxação pode render até R$ 2,7 bilhões em receitas. Assim, a medida, que obteve aprovação na Câmara dos Deputados, deve chegar para votação no Senado Federal na próxima semana. Veja mais detalhes!

Impacto da “taxa da blusinha”

Portanto, a “taxa da blusinha”, que ainda aguarda aprovação completa, teve como base modelos econômicos sólidos e prevê não apenas um aumento na arrecadação, mas também uma formalização maior das vendas internacionais que chegam ao Brasil.

Atualmente, essas pequenas importações são isentas de taxa, mas, a partir da implementação da nova regra, passarão a contribuir diretamente para o orçamento do governo, que poderá investir os recursos em áreas críticas, como educação e saúde.

Em cima de um teclado, miniatura de carrinho de compras com pequenas caixas de papelão taxação compras internacionais
Imagem: William Potter / shutterstock.com

Expectativas com a nova taxação

Enfim, esta medida, ainda pendente de votação no Senado, está programada para ser discutida na próxima terça-feira (4), dando continuidade ao processo legislativo que pode redefinir os contornos do comércio eletrônico internacional com impactos na economia interna do Brasil.

Assim, os debates em torno do tema refletem o balanço entre fomentar a economia nacional e manter condições competitivas para consumidores que optam por compras internacionais menores. 

Veja também:

Aposentados do INSS ganham aumento temporário; confira!

Dessa forma, esse equilíbrio será fundamental para garantir que a medida atinja seus objetivos sem comprometer o acesso a mercadorias diversas no mercado brasileiro, com o encargo adicional, a demanda por produtos estrangeiros de baixo custo pode sofrer alterações.

Imagem: William Potter / shutterstock.com