Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Taxa de desemprego sobe no primeiro trimestre de 2024

Taxa de desemprego no Brasil registra alta de 0,5% no primeiro trimestre de 2024, alcançando 7,9%, segundo o IBGE

Na última terça-feira (30), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que a taxa de desocupação no Brasil subiu para 7,9% no primeiro trimestre de 2024. Assim, esse resultado representa um aumento de 0,5% em relação ao trimestre anterior (7,4%).

No entanto, apesar da alta, o índice do primeiro trimestre é o menor para o período desde 2014, quando a taxa alcançou 7,2%. 

Assim, essa alta no desemprego pode se dever ao fato de que a economia brasileira apresentou um crescimento menor no primeiro trimestre de 2024 em comparação ao mesmo período do ano passado. Veja mais detalhes!

Quais fatores influenciaram o aumento da taxa de desemprego?

Portanto, o aumento da taxa de desemprego no primeiro trimestre de 2024 pode se dever a diversos fatores, entre eles:

  • População desocupada: houve um crescimento de 6,7% na quantidade de pessoas buscando emprego em comparação com o trimestre anterior, o que equivale a um acréscimo de aproximadamente 542 mil pessoas;
  • População ocupada: o número de trabalhadores empregados recuou 0,8% na comparação trimestral, embora ainda esteja 2,4% acima das estatísticas do início de 2023.

Adriana Beringuy, coordenadora de Pesquisas Domiciliares do IBGE, aponta que esse comportamento da taxa de desocupação é um movimento sazonal típico do primeiro trimestre do ano, onde normalmente se observa uma redução na ocupação comparado ao trimestre anterior.

Imagem de uma fila de pessoas
Imagem: Victoria Labadie/ Shutterstock.com

Rendimento dos trabalhadores brasileiros

Em contrapartida, ainda de acordo com o IBGE, o rendimento médio dos trabalhadores ocupados foi de R$ 3.123 no último trimestre, registrando um aumento de 1,5% em relação ao trimestre anterior e de 4% em comparação ao mesmo período de 2023. 

Veja também:

Em 4 anos, INSS pagou quase R$ 200 milhões em benefícios a pessoas mortas

Setores como transporte, armazenagem e correio, além de outros serviços e administração pública, mostraram aumentos significativos nos rendimentos. Destaque nos setores com maior aumento salarial:

  • Indústria: aumento de 7,5%, equivalente a mais R$ 215.
  • Transporte, armazenagem e correio: aumento de 7,1%, equivalente a mais R$ 198.
  • Administração pública, educação e saúde: aumento de 3,6%, equivalente a mais R$ 152.

Imagem: Brenda Rocha – Blossom / Shutterstock.com