Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Banco Central afirma que a taxa de juros pode ser maior do que o esperado

Para conter a inflamação, e devido a retomada da economia brasileira, a taxa de juros pode ser ainda maior do que o esperado em 2021.

0

Na última terça-feira (22), o mercado iniciou o dia embalado pela ata do Comitê de Política Monetária (Copom). No documento, o Copom diz que o aumento da taxa de juros pode ser maior do que o esperado. Entretanto, tudo depende de como a inflação vai se comportar. 

É provável que você goste também:

Fim do Auxílio: Caixa agora vai liberar empréstimo pelo Caixa Tem

Tipos de empréstimos: conheça as principais modalidades e suas características

Julgamento sobre a autonomia do Banco Central é suspenso

Banco Central afirma que a taxa de juros pode ser maior do que o esperado

A princípio, o Banco Central (BC) enxerga os juros em 6,25% até o fim do ano. Além disso, o boletim Focus projeta juros a 6,5%. A boa notícia é que os integrantes do Copom afirmam que os riscos de a economia não se recuperar são baixos. No entanto, a pressão inflacionária está mais alta do que o esperado, em especial nos bens industriais. 

O BC cita também a crise hídrica, que vai aumentar muito o valor da energia, e afirma que está de olho no comportamento dos preços de serviços, à medida em que a vacinação aumenta. “Uma deterioração das expectativas de inflação para o horizonte relevante pode exigir uma redução mais tempestiva dos estímulos monetários”, disse a ata do comitê do Copom.

Apesar da persistência da inflação, o BC estima uma “evolução mais positiva do que o esperado” para a economia brasileira. O órgão afirma que os indicadores recentes mostram “revisões relevantes” nas projeções de crescimento. Dessa forma, acrescenta a ata, “os riscos para a recuperação econômica reduziram-se significativamente”.

Na avaliação do BC, manifestada por meio do Copom, foi citado que o cenário aponta uma futura normalização da taxa de juros para um patamar considerado neutro. Assim, será possível aliviar os efeitos da inflação. “Não há compromisso com essa posição e que os passos futuros da política monetária poderão ser ajustados para assegurar o cumprimento da meta de inflação”.

Por fim, estima-se que na próxima reunião haja uma “continuação do processo de normalização monetária com outro ajuste da mesma magnitude”.

Enfim, gostou da matéria?

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter, Twitch e Instagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: rafastockbr / shutterstock.com

Comentários do Facebook

- Publicidade -