Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Varejo terá pior inverno desde 2021

Calor e inflação impacta o varejo: queda de 4% nas vendas no inverno de 2024. Veja os setores mais afetados e as perspectivas para o futuro

O calor atípico deste inverno, aliado à inflação em alta, deve levar o varejo brasileiro a ter o pior desempenho da estação desde 2021, com queda estimada de 4% nas vendas em comparação ao mesmo período do ano passado. A previsão é da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Assim, o estudo revela que, nas temperaturas mais quentes, itens como casacos e cachecóis são menos procurados, frustrando as expectativas dos comerciantes e fazendo com que estratégias emergenciais sejam adotadas para atrair consumidores. 

A discussão se estende aos impactos econômicos, afetando desde grandes lojas até vendedores autônomos que buscam formas de sustentar suas vendas mesmo em condições desfavoráveis.

Inverno mais quente impacta as vendas do varejo

Numa realidade onde o frio se mostra tímido, as vitrines das lojas passam por mudanças perceptíveis. Botas e jaquetas pesadas dão lugar a sandálias e corta-ventos, uma tentativa de adequação ao clima mais ameno.

Diante disso, os lojistas tiveram que preparar suas coleções caseiras em fevereiro e março, mas as altas temperaturas frequentes complicaram essa programação. Como resposta, a C&A e a Lojas Renner demonstraram adaptabilidade ao reduzir quantidades de peças pesadas e introduzir itens mais leves, procurando pelo menos equilibrar as receitas.

Na imagem, cesta de compras com blocos pintados com símbolo de desconto.
Imagem: CeltStudio / shutterstock.com

Quais são as perspectivas para os próximos meses

Apesar das temperaturas mais altas serem uma desvantagem para a venda de peças de inverno, empresas como a Grendene destacam um incremento nas vendas de produtos adequados ao clima, como chinelos e sandálias.

Enfim, é notável que o varejo de vestuário esteja enfrentando um período desafiador com o inverno atípico de 2024. As estratégias de venda e distribuição estão sendo reavaliadas para enfrentar esse novo desafio climático. 

Veja também:

Novas regras de imigração em Portugal já estão valendo; confira

Enquanto alguns lutam para se adequar, outros encontram oportunidades únicas para prosperar neste cenário inusitado. Continua a haver uma expectativa cautelosa sobre como o mercado reagirá nos próximos meses, mas claramente o calor está redefinindo as regras do jogo no varejo de moda.

Imagem: CeltStudio / shutterstock.com