4 golpes do Pix que você deve conhecer para não cair em fraudes

O Banco Central lançou o Pix para facilitar os processos de pagamentos disponíveis no Brasil.  Assim, logo o método de pagamento caiu no gosto das pessoas por conta da sua gratuidade  (para pessoas físicas), e instantaneidade.

Entretanto, não são apenas os usuários e comerciantes que aprovaram o meio de pagamento: os bandidos também.

1. Golpe da clonagem do WhatsApp O criminoso pede um código que é enviado por SMS pelo aplicativo, quando um usuário tenta instalar o WhatsApp em outro aparelho. O bandido diz que o SMS diz respeito a uma senha de banco ou alguma outra senha. Dessa forma, ao ter o código que você enviou por SMS, o criminoso clona a conta da vítima, e a deixa sem acesso ao WhatsApp.

2. Golpe dos falsos funcionários de bancos e centrais telefônicas O golpista entra em contato com a vítima, por telefone, e-mail ou SMS, e finge ser um funcionário do banco. A partir disso, o criminoso pede informações financeiras para “regularizar” ou “cadastrar” chaves do sistema Pix. E é aqui que está o furo: o cadastro de chave Pix jamais é feito por mensagens ou ligações.

3. Golpe do falso empréstimo A terceira fraude da lista de golpes do Pix é aquela na qual, com todos os seus dados, os golpistas entram em contato com você e fingem ser bancos ou financeiras. Em suma, eles ofertam oportunidades de empréstimo com ótimas condições para pagar. Inclusive, o golpista pode simular várias opções e informar o CNPJ de um banco real.

4. Roubo de celulares Hoje em dia, é normal ver os brasileiros tendo a vida dentro de um aparelho. E assim, ao roubar o celular, o criminoso se apropria das contas da vítima e consegue fazer um Pix para uma conta que deseja. Arraste para cima e veja a matéria completa.