É “Agiotagem” Fazer Empréstimo Entre Pessoas Físicas do PicPay?

No dia 15 de março, o PicPay anunciou o lançamento de um novo produto, o Clube de Empréstimos. Trata-se de um recurso financeiro dentro do aplicativo que permite o chamado  “peer-to-peer lending”, ou seja, um empréstimo entre pessoas físicas.

Dessa forma, pouco depois de a plataforma começar a liberar os primeiros testes do recurso, muita gente ficou em dúvida sobre a legalidade do tipo de crédito.

Isso porque, por mais que o recurso permita que pessoas emprestem dinheiro para outras, todo o processo é mediado pelo PicPay. Inclusive com direito à aplicação de taxas de juros e análise de crédito.

O usuário interessado no financiamento inclui o valor desejado no app e escolhe em quantas parcelas deverá pagar o montante total. Em seguida, o PicPay faz uma análise de crédito, podendo aprovar ou rejeitar o pedido.

Então, apesar de toda a polêmica, o serviço é totalmente legal. A modalidade P2P Lending foi inclusive aprovada pelo Banco Central do Brasil ainda em 2018, por meio da resolução Nº 4.656.

Se você não sabia que essa prática era legalizada então arraste para cima para ver a matéria completa e saber de todos os detalhes.