Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Conheça 6 investimentos isentos de Imposto de Renda

0

Os investimentos sem cobrança de Imposto de Renda (IR) são opções interessantes aos investidores. É dito isso, pois os rendimentos dessas aplicações são livres dessa tributação. Em outras palavras, não é necessário descontar nada do dinheiro que você ganha investindo: a rentabilidade é líquida.

No entanto, isso não significa que ele serão sempre mais vantajosos do que os outros investimentos com cobrança do IR, como os CDBs e o Tesouro Direto, que seguem a tabela regressiva do IR no momento de acertar as contas com o Leão. Abaixo, confira 6 investimentos sem IR que podem ser uma boa alternativa para você.

É provável que você também goste:

Simulador de investimentos da NuInvest mostra quanto dinheiro você pode ganhar

CDB no Nubank: veja como o investimento funciona

Nu Reserva Imediata: Entenda o novo fundo de investimento do Nubank

Conheça 6 investimentos isentos de Imposto de Renda

1. LCI

A LCI é uma sigla para Letra de Crédito Imobiliário. Em suma, se trata de um título de investimentos em renda fixa emitido pelos bancos. Ou seja, você empresta dinheiro ao banco para financiar os projetos no setor imobiliário.

Além da isenção de cobrança do Imposto de Renda, outro fator para analisar em um investimento, é o tipo de remuneração daquele título. No caso da LCI, há três tipos de remuneração: prefixada (rendimento informado no início do investimento), pós-fixada (vinculada a um indicador do mercado, como IPCA ou CDI) ou híbrida.

Ademais, a LCI tem a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), o que torna esse investimento mais seguro.

2. Investimentos LCA

A LCA é a sigla para Letra de Crédito do Agronegócio. A LCA representa um título de renda fixa que é emitido pelos bancos e possui regras parecidas com a LCI, tais como a escolha do tipo de remuneração dos investimentos, a cobertura FGC e a isenção do Imposto de Renda.

Em suma, todo o capital levantado por meio das LCAs se volta ao financiamento do agronegócio, por meio de maquinários, industrialização de produtos ou até mesmo expansão da comercialização. Ao investir em LCAs, você empresta dinheiro para projetos de agronegócios e recebe um valor de volta.

3. Investimentos CRI

Os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) são usados como o instrumento de captação de recursos para financiar as transações do mercado imobiliário. Ou seja, quando você investe em CRIs, você empresta dinheiro às construtoras para levantarem prédios, construírem galpões etc, com a garantia de ganhar juros de volta sobre o valor investido.

Dessa forma, assim como os outros investimentos em renda fixa, os rendimentos dos CRIs são isentos do Imposto de Renda. Entretanto, o CRI não tem cobertura do FGC.

4. Investimentos CRA

O Certificado de Recebível do Agronegócio (CRA) é uma opção para investir sem cobrança de Imposto de Renda. Ele opera similarmente ao CRI, mas tem foco em projetos do agronegócio. O certificado é emitido por empresas securitizadoras e não tem cobertura do FGC.

5. Debêntures incentivadas

As debêntures são investimentos de renda fixa usados para captar recursos para as empresas que atuam em obras de infraestrutura, tais como na construção de rodovias, ferrovias, metrô, entre outros. É como se você emprestasse dinheiro às empresas privadas e depois eles devolvessem o valor corrigido.

Dessa forma, assim como os outros investimentos de renda fixa, as debêntures têm rendimentos prefixados, pós-fixados ou híbridos. Além disso, esse investimento é isento de IOF e Imposto de Renda.

6. Dividendos de ações de FIIs

Por fim, não são somente os investimentos de renda fixa que ficam livres de Imposto de Renda. Algumas modalidades de renda variável podem entrar na exceção, como é o caso dos dividendos dos Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs).

Essa é uma forma de não pagar imposto de renda sobre os rendimentos e seguir investindo em renda variável. No entanto, é importante ressaltar que a venda de uma cota de FII não está livre de IR. Sendo assim, é necessário fazer o pagamento de 20% sobre o valor da venda. E é sobre esse valor que incidirá o IR.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o FacebookTwitterTwitchInstagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimosfintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: TH2I Shutter Rich / Shutterstock.com

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar

Fechar