Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Em caso de roubo a celular, confira 7 dicas para proteger apps de bancos

Confira as principais formas de proteção disponíveis atualmente.

0

Atualmente, casos de roubo a celular são ainda mais perigosos, uma vez que o criminoso não leva apenas seu aparelho, mas também o mesmo terá acesso a diversas informações da vítima, como contas de bancos e instituições importantes.

É claro que, na maioria dos casos, as instituições financeiras devem ressarcir os clientes em caso de furtos e fraudes. Contudo, nem sempre isso é garantido. Por isso, a melhor medida de segurança é dificultar ao máximo o acesso aos seus dados e contas pessoais.

É provável que você também goste:

Golpe antigo do robô do Pix usa novo nome para fazer vítimas

Golpe no Caixa Tem: veja como saber se você foi vítima de golpe no app

Em caso de roubo a celular, confira 7 dicas de segurança para proteger seus apps

Pensando nisso, neste texto traremos algumas medidas bem conhecidas, que podem ajudar você a garantir ainda mais segurança em seu aparelho. Se seguir todas a maioria dessas dicas, certamente seus dados bancários e dinheiro estará mais protegido. 

1. E-mail específico para recuperar senhas

Outra dica de segurança é ter um e-mail específico para recuperações de senha. Mas atenção: este e-mail não pode estar logado no seu celular. Ele deve ficar em um aparelho à parte, como seu computador. Isso impede os criminosos consigam mudar a sua senha por meio do e-mail aberto no próprio celular.

2. Identifique o seu IMEI 

O código IMEI serve para identificação e segurança de cada smartphone. É como se fosse um ‘RG’ do seu celular. Assim, você pode descobrir o código ao discar *#06#. Em caso de furto, é preciso informar o IMEI junto ao boletim de ocorrência, e também solicitar à operadora que o dispositivo seja bloqueado.

3. Bloqueio automático de tela

Esse é o primeiro passo para a prevenção. Defina um tempo para que o celular bloqueie a tela automaticamente. Dessa forma, será mais difícil para o criminoso manter o aparelho desbloqueado. O ideal é que o tempo máximo para o bloqueio automático seja de 30 segundos. 

4. Aplicativos do tipo “cofres”

Atualmente, existem aplicativos que funcionam como cofres de segurança. Com eles, é possível reunir todos os apps financeiros (ou outros apps sensíveis, como o próprio SMS) em uma espécie de pasta. Para acessar essa pasta, é necessário informar uma senha. Lembre-se que a senha deve ser diferente da usada para desbloquear o aparelho.

5. Senhas de segurança ou PINs diferentes

Como mencionamos acima, sempre que possível varie suas senhas e pins utilizadas nos aplicativos. Quando se tem apenas uma, é muito mais fácil para o criminoso invadir as contas.

6. Usar o múltiplo fator de autenticação

O múltiplo fator de autenticação (MFA) é uma ferramenta importante para dificultar o acesso a suas contas. Assim, por segurança, aplicativos de bancos e corretoras precisarão de uma segunda confirmação além da senha para serem abertos. Ela pode ser enviada por SMS, telefone ou e-mail.

7. Evitar Face ID e digital

Por fim,  evite utilizar o reconhecimento facial ou por digital para logar nos aplicativos bancários. Isto porque existem aparelhos em que há brechas: ou seja, é possível trocar esses fatores. Então, se alguém pega e troca o Face ID e a biometria, consegue entrar nas contas e fazer transações.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter, TwitchInstagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: feeling lucky / Shutterstock.com

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar