Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Ações das Americanas estão valendo menos de 1 real; veja os motivos

As ações das Americanas despencaram após divulgação do acordo da varejista com os bancos na segunda-feira (27). Veja!

A varejista Americanas (AMER3) está passando por um momento de declínio em suas ações, após anunciar um acordo com quatro bancos credores. O contrato prevê um aporte considerável de R$ 24 bilhões para a empresa, mas essa informação não foi suficiente para evitar a queda.

Deste montante recebido, metade provém dos acionistas Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira. A outra metade é oriunda da conversão de dívida pelos bancos credores. 

Na segunda-feira (27), logo após o anúncio pela Americanas, as ações dispararam e alcançaram alta de 10% no pregão. Contudo, encerrou o dia em baixa de 5,45%, cotada a R$ 1,04. As informações foram divulgadas pelo E-Investidor.

Ações da Americanas 

Neste momento, as ações da Americanas estão cotadas em R$ 0,95. Segundo informações divulgadas pelo o Uol, “o valor da ação não reflete mais o quanto a empresa vale”, conforme indicou José Eduardo Daronco, analista da Suno Research. Desta forma, muitos acionistas estão buscando vender suas ações. 

Porém, mesmo com essa desvalorização, diversos analistas do mercado financeiro acreditam que sem este aporte a empresa não conseguiria sobreviver, após o rombo bilionário encontrado nos balanços da varejista.

Veja também:

N Chances de Ganhar: Nubank revela quais clientes vão ganhar R$ 2.000; confira a lista

Loja Americanas com as portas fechadas.
Imagem: Leonidas Santana/shutterstock.com

Situação da varejista

A Americanas espera que, após executar o plano, reduzir sua dívida para R$ 1,875 bilhão. Isso seria uma grande redução, considerando que no final de 2022, a empresa acumulava dívidas na casa dos R$ 37,33 bilhões.

Ainda que pareça promissor, este plano precisa ser aprovado em assembleia com os acionistas no dia 19 de dezembro. Contudo, parte da dívida da empresa com os bancos será trocada por novas ações, diluindo assim o valor dos ativos dos atuais acionistas, que inevitavelmente verão seu patrimônio desvalorizado. 

Vale lembrar que antes do aporte, a companhia era avaliada em cerca de R$ 1 bilhão. Com a capitalização de R$ 24 bilhões, as ações da empresa se desvalorizaram de forma expressiva.

Imagem: Leonidas Santana/shutterstock.com