Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Afinal, como funciona os investimentos em fundos imobiliários?

Saiba como funcionam os fundos imobiliários e porque são uma escolha inteligente. Invista com segurança e conheça o mercado imobiliário.

Investir em fundos imobiliários tem se mostrado uma alternativa atraente para quem visa diversificar o portfólio e obter renda passiva. Aqui, investigamos como essa opção de investimento pode ser uma escolha inteligente para diferentes perfis de investidores. Fundada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e sendo negociadas tanto na bolsa quanto no mercado de balcão organizado.

As cotas de fundos imobiliários tornaram-se populares entre os brasileiros que procuram uma forma menos burocrática de investir em imóveis. Os fundos imobiliários, ou FIIs, são veículos de investimento que permitem aos investidores aplicar em diversas propriedades imobiliárias sem precisar adquiri-las diretamente.

Qual a estrutura e dinâmica dos FIIs?

Homem equilibrando uma casa de um lado e moedas do outro, representando os fundos imobiliários
Imagem: Andrey_Popov/shutterstock.com

Um FII funciona como um “condomínio” de investidores. Eles aplicam seus recursos juntos e esse capital é usado para adquirir ou construir propriedades que depois são locadas ou vendidas. A rentabilidade vem dos aluguéis ou da venda dos imóveis sendo distribuída aos investidores proporcionalmente às cotas que possuem.

Como em qualquer tipo de investimento, há riscos envolvidos nos FIIs. Fatores como vacância dos imóveis, problemas com inquilinos ou variações do mercado podem impactar os rendimentos. No entanto, eles são regulados pela CVM, o que oferece uma camada de segurança e transparência para os investidores.

A pesar de algumas variabilidades, os FIIs têm uma vantagem importante: a possibilidade de distribuição regular de rendimentos, o que pode gerar uma fonte de renda passiva estável para o investidor. Além disso, a tributação simplificada e isenta para o rendimento regular distribuído a pessoas físicas sob certas condições torna essa opção ainda mais atraente.

Veja também:

Quer investir em um celular melhor? Saiba o que fazer para juntar dinheiro!

Tipos de fundos imobiliários

  • Fundos de Tijolo: Investem diretamente em imóveis físicos, como edifícios comerciais, shoppings e escolas.
  • Fundos de Papel: Investem em títulos e valores mobiliários relacionados ao mercado imobiliário, como LCIs e CRIs.
  • Fundos Híbridos: Uma combinação dos dois tipos anteriores, investindo tanto em propriedades físicas quanto em títulos.

Para aqueles que procuram um caminho menos intensivo em termos de capital e gestão para investir em imobiliário, os FIIs oferecem uma alternativa viável e cada vez mais popular no Brasil. Eles permitem acesso ao mercado imobiliário com investimentos iniciando abaixo de R$ 100,00, e oferecem a flexibilidade de vender suas cotas na bolsa, facilitando a liquidação do investimento quando necessário.

Imagem: Kanjana Kawfang / shutterstock.com