Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Afinal, posso abrir um MEI estando endividado?

Descubra neste artigo se é possível se tornar um Microempreendedor Individual (MEI) mesmo com dívidas e nome negativado.

Abrir um Microempreendedor Individual (MEI) é uma decisão importante para muitas pessoas que desejam formalizar suas atividades como empreendedores. No entanto, uma dúvida comum que muitas pessoas têm é se é possível abrir um MEI estando endividado.

Diante do cenário financeiro brasileiro ao longo dos últimos anos, cerca de 70 milhões de brasileiros estão endividados. Além disso, muitos desses indivíduos são, ou almejam ser, Microempreendedores Individuais (MEI). Saiba mais a seguir.

É necessário estar adimplente para se tornar um MEI?

Homem sentado em uma mesa e olhando para o celular, com expressão de choque. Ao lado dele está escrito: "MEI - Microempreendedor Individual".
Imagem: voronaman / shutterstock.com – Edição: Seu Crédito Digital

Inicialmente, cabe informar que o MEI é uma categoria de negócio simplificada, ideal para autônomos e pequenos empresários que desejam formalizar seus negócios. Apesar de simples, essa categorização agrega uma série de benefícios para os seus empreendedores.

Veja também:

Afinal, assinar o Serasa Premium aumenta o score de crédito? Entenda

Contudo, contrariando o que algumas pessoas podem pensar, ter o nome sujo não é um impeditivo para se tornar um MEI. Assim, a formalização do microempreendedor independe de análise de crédito ou de histórico financeiro. Por isso, ainda que esteja enfrentando dificuldades financeiras e tenha restrições em seu nome, é possível se formalizar como MEI.

Quais os benefícios de ser Microempreendedor Individual?

  • Acesso a benefícios previdenciários: como MEI, terá acesso à Previdência Social com direito a aposentadoria, auxílio-doença e outros benefícios;
  • Baixo custo de formalização: o custo de registro como MEI é bem reduzido, o que facilita a abertura do seu negócio;
  • Benefícios para a família: familiares dependentes terão direito à pensão por morte e auxílio-reclusão;
  • Emissão de nota fiscal: além de aumentar a credibilidade do seu negócio perante o mercado, a emissão de notas fiscais poderá abrir portas para novos clientes;
  • Legalização simplificada: passa a ter um registro formal com as regulamentações do Estado.

Além desses benefícios, ao se tornar um MEI, é possível abrir uma conta empresarial específica para essa categoria. Por fim, o microempreendedor individual representa uma ótima oportunidade para formalizar o seu negócio, independentemente da sua situação financeira atual.

Imagem: voronaman / shutterstock.com – Edição: Seu Crédito Digital