Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Americanas NÃO quer que você saiba o que está neste relatório; entenda

A Americanas adiou novamente a apresentação dos relatórios financeiros em relação ao plano de recuperação judicial. Saiba mais!

Mais uma vez, a adiou a publicação do seu em relação ao balanço financeiro de 2022. Essa ação estava prevista para acontecer nesta segunda-feira (13). Nesse sentido, a ideia, agora, é fazer esse anúncio até a próxima quinta-feira (16).

Além disso, a promete fazer uma teleconferência com o no dia em que finalmente informar o balanço financeiro. Saiba mais sobre a situação da companhia na sequência.

Americanas adia publicação de relatório financeiro novamente

Fachada de uma unidade da Americanas
Imagem: Jair Ferreira Belafacce / shutterstock.com

De com a empresa, o motivo desse adiamento aconteceu porque houve processos de aprovação de instâncias internas de governança e isso não foi feito a tempo da publicação nesta segunda-feira. Ademais, a Americanas também informou que os relatórios referentes aos dois anos, 2021 e 2022, estão prontos.

Veja também:

Saque de R$ 6.220 da Caixa está liberado para mais uma leva de brasileiros; veja se você está na lista

Adicionalmente, vale destacar que esses balanços são chave para explicar a financeira que assolou a empresa no início deste ano. Por conta disso, haverá a republicação do balanço de 2021 por causa que levaram a empresa a pedir recuperação judicial.

Quais são os planos da empresa, afinal?

A ideia da Americanas é apresentar o relatório antes da abertura do mercado. Ainda, na teleconferência, o objetivo é informar qual é o plano estratégico para o futuro e a evolução das metas traçadas na recuperação judicial, por exemplo.

Assim, há muita expectativa entre os credores para saber os resultados da Americanas. Isso porque é importante para o de finalização do acordo sobre o plano de recuperação judicial. Como já foi adiado várias vezes, a aprovação desse plano está atrasada em alguns meses.

Por fim, os bancos são os principais credores da empresa. Sendo assim, para eles, o relatório da Americanas com as informações auditadas da companhia são fundamentais para que se possa aprovar ou não a proposta feita pela empresa. Além disso, vale destacar que houve um aporte de R$ 12 bilhões pelos acionistas de referência da companhia, sendo eles, Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira.

Imagem: Jair Ferreira Belafacce / shutterstock.com