Banco Central quer acabar com as compras parceladas sem juros no cartão de crédito

- Publicidade -

Recentemente, o Banco Central travou a taxa de juros do cheque especial em no máximo 8%, ou 150% ao ano. Agora, a equipe econômica pretende resolver algumas distorções apontadas pelo Banco Central. Uma delas é a possibilidade de parcelar as compras no cartão de crédito sem cobrança de juros. De acordo com o Estado, uma das medidas é restringir o parcelamento deste tipo de operação.

É provável que você também goste:

Nubank libera cartões de crédito com aprovação imediata e bom limite até para negativados pelo WhatsApp?

BB, Caixa e Santander iniciam mutirão de renegociação de dívidas com descontos de até 92%

Cartão de crédito Porto Seguro com seguro e anuidade grátis

Banco Central quer acabar com as compras parceladas sem juros no cartão de crédito

Na prática, o que acontece é que o parcelamento sem juros acaba funcionando como uma forma de crédito. “Alguém paga essa conta”, disse ao Estado uma fonte da equipe econômica que acompanha os estudos para uma reformulação para o produto.

Mesmo com as recentes mudanças na regulação do cartão de crédito implementadas pelo Governo, ainda carece de maior atenção. Principalmente, não está satisfeito com os juros cobrados nessa linha de crédito, que chegaram a 317,22% ao ano no mês de outubro, de acordo com dados do Banco Central do Brasil.

Todavia, a alteração das regras, deve demorar um pouco mais em virtude da complexidade de funcionamento desse tipo de pagamento. Para vender parcelado aos clientes sem juros, os lojistas pagam uma taxa mais alta para o emissor do cartão.

Enfim, o emissor garante esse pagamento, mesmo se o cliente não quitar a fatura. Ademais, quanto maior for o prazo, maior o risco do emissor, e isso é transferido para a taxa de juros. Apenas em 2018, os lojistas concederam R$ 400 bilhões em crédito parcelado sem juros.

Outras mudanças

O governo fez no ano passado uma intervenção na regulação do mercado de cartões, mas os resultados desagradaram. Após cair com o anúncio das mudanças pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), em abril do ano passado, os juros do rotativo do cartão voltaram a subir.

Essa medida objetiva reduzir ainda mais a taxa de juros, mas ao mesmo tempo pode inibir as compras parceladas no cartão de crédito sem juros, prejudicando os bons pagadores. E você, o que acha disso? Deixe seu comentário logo abaixo.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao assunto de fintechs.

Imagem: Ti_ser/shutterstock.com

Eduardo Mendeshttps://seucreditodigital.com.br/author/mendes/
Sou um entusiasta da tecnologia, que também aprecia inovação, empreendedorismo, além de Fintechs e as suas facilidades. Graduado em Administração de Empresas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Co-Fundador do site Seu Crédito Digital.
- Publicidade -

Mais Populares

Caixa faz nova rodada de pagamentos do Auxílio Emergencial nesta quarta-feira (05)

Nesta quarta-feira (05), a Caixa fará uma nova rodada de pagamentos do Auxílio Emergencial. Dessa vez, estão incluídos os beneficiários nascidos em maio, que...

Projeto prevê uso de vale-transporte para pagar aplicativos durante pandemia

Trabalhadores em breve poderão ter mais uma opção de transporte durante a pandemia de Covid-19. Conforme Projeto de Lei (PL) da senadora Rose de...

Caixa Tem: CEF garante saque dos R$ 600 para quem teve conta bloqueada

Nesta segunda-feira (3), a Caixa Econômica Federal garantiu que aqueles que tiveram a conta do Caixa Tem bloqueada não vai precisar esperar o desbloqueio...

Mais de 1 milhão de pessoas começam a receber o auxílio emergencial essa semana

Hoje (03), o Ministério da Cidadania anunciou um novo calendário do auxílio emergencial. Ele vai começar a ser pago no dia 5 de agosto...
- Publicidade -