Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

CadÚnico: Idosos têm até 30 dias para recorrer e ganhar repasse de R$ 1,4 mil

Prazo para idosos recorrerem ao CadÚnico para confirmar o recebimento de benefício é de 30 dias. Saiba mais!

O governo federal anunciou uma medida que promete agilizar o processo de repasse de benefícios para idosos cadastrados no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). Esta iniciativa visa proporcionar maior rapidez no recebimento de auxílios, garantindo suporte financeiro mais eficiente para a população idosa.

Dessa forma, saiba mais informações sobre funciona essa medida, quem tem direito e como realizar o cadastro. Continue a leitura para mais detalhes!

Idosos devem recorrer ao CadÚnico para garantir benefício

Cadúnico
Imagem: JERO SenneGs / shutterstock.com

O Benefício de Prestação Continuada (BPC), integrado à rede de proteção social do Brasil através da Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS), representa uma segurança financeira fundamental. Esse benefício garante um salário mínimo mensal tanto para idosos a partir de 65 anos quanto para pessoas com deficiências comprovadas de longa duração.

Para a eficácia deste suporte, é essencial que os cadastrados mantenham suas informações sempre atualizadas.

O processo para acessar o BPC envolve a inscrição no CadÚnico, um sistema que reúne dados de famílias de baixa renda e que é crucial para o acesso a diversos programas sociais. Neste contexto, a precisão e o cuidado com este cadastro relacionam-se diretamente à continuidade e à adequação dos benefícios recebidos.

Como funciona o acesso ao BPC?

Para verificar a liberação do BPC, o beneficiário pode consultar diretamente através do portal ou aplicativo Meu INSS (Android, iOS), além de ter a opção de realizar a consulta via telefone através da Central 135. Uma vez aprovado, o repasse do benefício se dá por meio de um cartão magnético ou diretamente em uma conta bancária vinculada.

A elegibilidade ao BPC exige que a renda familiar per capita seja inferior ou igual a um quarto do salário mínimo. Além disso, pessoas com deficiência interessadas no benefício devem passar por avaliações médicas e sociais detalhadas. Logo, isso reforça a necessidade de um relatório médico preciso e uma análise de contexto social por parte do INSS.

O que fazer em caso de indeferimento?

Ademais, caso a solicitação para o BPC seja negada, é direito do solicitante recorrer da decisão. Deve-se apresentar este recurso até 30 dias após o comunicado de indeferimento. Entre as causas mais comuns para a rejeição estão a não conformidade com o teto de renda ou a falta de comprovação adequada de deficiência, por exemplo.

Por fim, seja qual for o motivo do indeferimento, é aconselhável buscar orientação nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) mais próximos. Lá, há o oferecimento de suporte necessário para esclarecer dúvidas e auxiliar no processo de recurso ou reinscrição do CadÚnico, se necessário.

Imagem: JERO SenneGs / shutterstock.com