Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Saiba como é feito o cálculo do seguro-desemprego

Em suma, quanto maior a média dos 3 últimos salários, menor é a porcentagem que o trabalhador vai receber

0

O seguro-desemprego é um benefício muito útil quando o trabalhador é demitido pela empresa em que trabalha. Em suma, esse auxílio o ajuda a pagar as contas até que consiga uma recolocação no mercado de trabalho. O pagamento é realizado em 3 a 5 parcelas, por meio dos recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Mas afinal, quem tem direito e qual o valor do benefício? Descubra a seguir. 

Desemprego fica em 14,6% e atinge 14,8 milhões em maio, diz IBGE

Quem tem direito ao benefício?

Existem quatro situações em que o trabalhador tem direito ao benefício do Seguro-Desemprego. São eles:

  • Trabalhador (a) formal e doméstico, que foi demitido sem justa causa;
  • O trabalhador (a) formal com contrato de trabalho suspenso por conta da participação em curso ou programa de qualificação profissional que o empregador oferta;
  • Pescador (a) profissional durante o período do defeso;
  • Trabalhador (a) resgatado da condição semelhante à de escravo. 

Contudo, para ser elegível ao benefício do seguro-desemprego, o trabalhador precisa ter sido dispensado sem justa causa. Também precisa ter recebido ganhos de pessoa jurídica ou física pela prestação do serviço. O trabalhador pode ter participado de nenhum outro programa de assistência previdenciária, e nem ter outra fonte de renda própria, como por exemplo o MEI. 

Como calcular o valor do Seguro-Desemprego?

A cada aumento do salário mínimo, o Ministério da Economia divulga uma nova tabela para o pagamento do Seguro-Desemprego. É através dessa tabela, que você acompanha o percentual que vai receber do benefício. Além disso, o valor recebido não vai ser inferior ao salário mínimo vigente. 

Atualmente, está em vigor desde janeiro de 2021, a tabela abaixo, para o cálculo do Seguro-Desemprego:

FAIXAS DE SALÁRIO CÁLCULO DA PARCELA
Até R$ 1686,79 Multiplica-se o salário médio por 0,8
De R$ 1.686,80 até R$ 2.811,60 O que exceder a R$ 1.686,79 multiplica-se por 0,5 e soma-se com R$ 1.349,43
Acima de R$ 2.811,60 O valor será invariável de R$ 1.911,84

 

Seja membro

Sendo assim, para fazer o cálculo da parcela, você precisa fazer uma média do seu salário nos últimos 3 meses. Ou seja, somar o valor bruto dos 3 últimos salários recebidos antes da demissão, e dividir o valor por 3. Ao ter a média, você multiplica esse valor pela percentagem informada acima. 

Em outras palavras, vamos exemplificar com a situação de uma pessoa que recebe o salário mínimo de R$ 1.100. O cálculo seria o seguinte: R$ 1.100,00 x 80% = R$ 880,00. Entretanto, como ninguém pode ganhar menos que o salário mínimo, a pessoa receberia parcelas de R$ 1.100.

Por outro lado, quem teve uma média salarial de R$ 2.500 nos últimos 3 meses, vai ter direito a ganhar parcelas de R$ 1.756,03. Confira o cálculo a seguir: 50% do salário que passar R$ 1.686,79 + R$ 1.349,43 – correspondente a faixa 2. Sendo assim, R$ 2.500 – R$ 1.686,79 = R$ 813.21. Esse resultado x 50% = R$ 406,60. Dessa forma, ao somar os R$ 406,60 + R$ 1.349,43, o trabalhador deve receber parcelas de R$ 1.756,03.

Por fim, quem tinha uma média salarial acima de R$ 2.811,60, se enquadra na faixa 3. Dessa forma, ele vai receber parcelas de R$ 1.911,84. Ou seja, quanto maior o salário, menor é a porcentagem que o trabalhador vai receber de Seguro-Desemprego.

Enfim, gostou da matéria?

Então nos siga no canal  do YouTube e em nossas redes sociais, como o Facebook, Twitter, Twitch e Instagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: Brenda Rocha – Blossom / shutterstock.com

Comentários do Facebook

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.