A varejista Pernambucanas lança a sua carteira digital este mês e vai liberar acesso a outros serviços de parceiros no Cartão Pernambucanas fora das suas lojas físicas. Os usuários do cartão que era Private Label, somam-se aos 800 mil usuários da conta digital que foi lançada em abril deste ano. O serviço da carteira digital Pernambucanas vai ser administrado pelo braço financeiro da Pernambucanas, a fintech Pefisa.

É provável que você também goste:

Promoção Visa dá R$ 50 de volta em crédito na fatura.

Cartão de crédito do PicPay sem anuidade sai na frente do Nubank e oferece até 5% de dinheiro de volta em suas compras.

Credicard Zero é sem anuidade e dá limite de R$ 1.000 sem comprovação de renda

Cartão Pernambucanas lança carteira digital e limite de crédito poderá ser usado fora das lojas

Agora com o carteira digital Pernambucanas, será possível usar o limite de crédito que anteriormente era exclusivo para utilização nas lojas em outros serviços de parceiros. Por exemplo, será possível utilizar em recargas de celular nas operadoras Vivo, Tim, Claro e Oi, transporte na Uber e 99, Spotify, Ingresso.com, NetMovies e Deezer (entretenimento); Uber Eats (comida); Level up, Xbox Live, Steam (jogos); e Google Play (aplicativos).

A intenção da empresa é atingir 50% do público que já utiliza os seus serviços digitais. Ao todo, cerca de 4,3 milhões de clientes utilizam tanto a conta digital (800 mil), quanto os cartões da varejista (3,5 milhões). Ademais, além da conta digital e da carteira, a empresa oferece serviços de empréstimo pessoal e seguros.

De acordo com o CEO Sérgio Borriello, “O grande benefício é a quebra de restrição aos cartões Pernambucanas, que eram de uso exclusivo em nossas lojas”. A marca possui 65 lojas, espalhadas em mais de 260 cidades no Brasil.

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao assunto de fintechs.

Via Epoca Negócios