Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Desemprego continua sendo o principal motivo de endividamento entre os brasileiros

Embora tenha apresentado queda pelo quarto ano consecutivo, o desemprego segue sendo o principal motivo de endividamento. Confira!

Em setembro de 2023, a proporção de famílias endividadas no país era de 77,4%, conforme Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, e Turismo (CNC).

Diante disso, segundo a pesquisa “Perfil e Comportamento do Endividamento Brasileiro 2023”, da Serasa e da Flexpag, em com a Opinion Box, embora tenha apresentado queda pelo quarto ano consecutivo, o desemprego segue sendo o principal motivo de endividamento entre os consumidores. Confira mais detalhes do levantamento!

Veja também:

Inter Shop, Seguros e Invest têm alta impressionante de clientes ativos; confira

Principais motivos de endividamento entre os brasileiros

profissional de terno e maleta está sentado em uma escada e expressando tristeza
Imagem: HNK / Shutterstock.com

Atualmente, de acordo com dados da Serasa, o desemprego corresponde a 22% dos principais motivos do endividamento do consumidor. Além disso, confira os outros motivos que têm levado os brasileiros ao endividamento em 2023:

Motivo do endividamento20222023
Desemprego29%22%
Redução na renda12%20%
Emprestou o nome19%17%
Falta de controle 8%12%
6%8%
Compra de mantimentos6%4%
Atraso no 3%2%
Outros5%4%
Fonte: Serasa e FlexPag

continua sendo vilão entre os endividados

A pesquisa ainda indica que, neste ano, as dívidas de cartão de impactam 55% dos endividados no Brasil. Nesse contexto, houve em relação ao ano passado, quando o percentual era de 53%. Entre as dívidas contraídas no cartão de crédito, 59% correspondem a compras em supermercado. Enfim, confira os principais no cartão de crédito:

  • Compra de mantimentos em supermercado (alimentos): 59%;
  • Compra de produtos (roupas, calçados, eletrodomésticos, etc.): 46%;
  • Remédios ou tratamentos médicos: 37%;
  • Compra de alimentos por delivery (, Rappi, Uber Eats, etc.): 21%;
  • Transporte/Combustível: 21%.

Sendo assim, a compra de alimentos tem um peso significativo nos gastos com cartão de crédito. Em seguida aparecem outros produtos que podem ser parcelados por meio dessa modalidade de pagamento, o que pode contribuir para o endividamento.

Imagem: HNK / Shutterstock.com