Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Confira 6 dicas infalíveis para pagar as suas dívidas rapidamente

É necessário manter a calma e tentar renegociar as dívidas, dessa maneira, novas possibilidades e formas de pagamento surgirão. 

0

Pagar dívidas é algo que demanda planejamento e disposição para renunciar algumas coisas para um bem maior. É necessário manter a calma e tentar renegociar as dívidas, dessa maneira, novas possibilidades e formas de pagamento surgirão. 

É sempre importante avaliar as opções para pagar dívidas e analisar a mais adequada. Assim, no momento de escolher como pagar as dívidas, os prós e os contras devem ser avaliados para que uma atitude não seja tomada precipitadamente. 

Por isso, se organizar, traçar planos e metas realistas é necessário nesse momento. Cortar despesas deverá ser uma alternativa. 

Este artigo irá enumerar algumas dicas para pagar dívidas. Depois dessa leitura, se organizar e colocar em prática é o próximo passo. 

1 – Faça um levantamento de quais são suas dívidas

Um dos passos mais importantes na hora de pagar dívidas é, primeiramente, saber quais são elas. Com uma lista, tudo ficará mais claro e fácil. No início, a lista poderá ser feita aleatoriamente, apenas para lembrar das dívidas para serem anotadas. Após essa primeira lista, é indicado fazer uma segunda, e aí citar as dívidas mais urgentes primeiro.

Analise as taxas de juros

Também é importante saber as taxas de juros para que, se for o caso, a negociação seja mais fácil e não gere surpresas. Nessa parte, o ideal é manter a calma e não se assustar, mesmo que as dívidas sejam muitas. O caminho para pagar dívidas pode ser difícil, mas não impossível.  

Use cartões de crédito com parcimônia

Os cartões de crédito podem ser de grande ajuda, mas também podem prejudicar a meta de pagar dívidas se não usados corretamente. Tentar não comprar no crédito é uma atitude que irá gerar um resultado positivo, pois no próximo mês, não haverá novas contas para pagar. O ideal é que o cartão de crédito seja usado apenas em emergências.

Consulte o Serasa

Verificar o nome em alguns sites é interessante no momento de fazer o levantamento das dívidas. No site do Serasa, por exemplo, é possível verificar o score e fazer negociações com descontos consideráveis, além disso, o site permite gerenciar acordos e parcelamentos. 

2 – Caso necessário, renegocie formas de pagar dívidas

É importante mostrar aos credores o anseio de pagar dívidas. A renegociação é uma parte essencial, mas deve-se sempre lembrar que ao renegociar, o acordo deve ser cumprido para que não haja mais problemas, posteriormente. Dessa forma, pensar com calma é fundamental. 

Avalie todas as possibilidades de negociação

O acordo deve ser satisfatório para ambos os lados. Avaliar todas as alternativas de negociação é recomendável. A pressa é sempre uma inimiga, por isso, ler e entender o acordo vai evitar mal-entendidos. Pedir ajuda a alguém de confiança para tomar decisões é um bom caminho, ainda mais agora. 

Evite pagar juros

Os juros altos são um problema, dessa maneira, colocar em primeiro lugar as dívidas com os juros mais elevados é uma dica valiosa na hora de pagá-las. Após o acerto do acordo, é necessário rever a lista e organizá-la novamente com as novas quantias que serão pagas. 

3 – Monte um plano de ação para pagar dívidas

Um plano para pagar dívidas é essencial para uma boa organização e para que as dívidas não saiam do controle.

Uma das dicas mais valiosas é sempre traçar planos realistas que serão possíveis de serem realizados na hora de pagar dívidas. Nesse momento, o melhor é sempre pensar na praticidade e ser objetivo ao traçar o plano.

O plano de ação deve conter a quantia recebida por mês, as dívidas e também os gastos do dia a dia, para que totais sejam avaliados. Conforme a lista é formada, gastos poderão ser retirados. O ideal é eliminar itens supérfluos, que não farão falta, caso não seja possível comprá-los. 

Trace metas de prioridades

Ao traçar o plano, anotar os gastos e, logo em seguida, estipular uma quantia para esse gasto, ajudará a pagar dívidas.

Pensar nos itens que deverão ser mantidos também ajudará muito a economizar. Fazer uma relação dos gastos com o salário recebido é uma parte essencial para saber se as contas irão fechar ao final do mês. 

Coloque o pagamento das dívidas no plano de gastos

Montar um plano os gastos, em geral, mas de forma detalhada, é um passo importante. É preciso não deixar nada de fora, pois pode fazer diferença na hora de traçar o plano de ação. Colocar contas fundamentais como wi-fi, energia, água, alimentação e despesas médicas é imprescindível. 

Corte gastos

Outra dica preciosa é combinar com a família de cortar gastos até mesmo nas contas permanentes, como, por exemplo, na conta de água.

Os banhos poderão ser reduzidos e o tempo deles também. Em relação à conta de energia, os computadores e televisores poderão ficar mais tempo desligados para poupar a conta ao final do mês. 

4 – Trabalhe com metas realistas para pagar dívidas

As metas devem ser realistas para pagar dívidas, caso contrário, todo o esforço será em vão, pois as metas não serão cumpridas e, consequentemente, será difícil concluí-las. Quando uma meta for atingida, pode-se pensar em outra, assim, aos poucos, as dívidas serão pagas. 

Anotar detalhadamente cada parte das metas também é importante para dar uma maior clareza nos passos que deverão ser seguidos para conclui-la com sucesso. Hoje em dia, com os celulares, não é difícil anotar e manter um controle. 

5 – Acabe com despesas desnecessárias

A redução de gastos é essencial nessa etapa. Não se deve perder o controle novamente para que não seja necessário começar do início, portanto, gastar apenas com o essencial é um dos requisitos para conseguir pagar dívidas sem maiores problemas.  

Não fazer novas dívidas é fundamental para que tudo ocorra como o planejado. Eventualmente, algumas coisas aparecerão que poderão atrapalhar alguma das etapas traçadas, mas é importante sempre manter a calma e planejar novamente.

Com a ajuda dos familiares, cortar gastos se torna mais fácil, por isso, no momento de retirar alguns itens da lista, o ideal é verificar com todos os membros da família.

Entrar em um consenso, conversar, trocar opiniões e sugestões será fundamental na hora de pagar as dívidas mais facilmente. O diálogo é um colaborador importante.

6 – Utilize um fundo de emergência disponível para pagar dívidas

O fundo de emergência é uma boa opção para pagar dívidas. É sempre indicado ter um fundo de emergência, dessa forma, não o usar totalmente também é uma dica valiosa. 

Tudo dependerá de como estão as dívidas. Se não houver outra alternativa, o fundo de emergência deverá ser usado por completo para pagar as dívidas, e, posteriormente, reposto. Sempre avaliar a situação antes de agir é um ato responsável, que deve ser levado em consideração para que não haja arrependimentos. 

Não hesitar ao fazer um fundo de emergência poderá poupar que o trabalho de cortar gastos ocorra novamente. É preciso lembrar que novas dívidas poderão aparecer, então, nesse caso, o fundo precisará estar disponível. 

Ao pagar dívidas, lembrar-se de continuar a controlar os gastos é uma dica valiosa. A cautela é uma boa aliada. Não é necessário restringir tantas coisas, como no plano de ação, mas não deixar que as contas saiam do controle novamente é algo considerável para manter as contas em dia. 

Enfim, gostou da matéria?

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o FacebookTwitterTwitch e Instagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

imagem: Thiam / shutterstock.com

- Publicidade -

Comentários
Carregando...