Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

É possível usar o PIX para realizar pagamentos de contas como a de luz?

Com o passar dos meses, o Pix tem evoluído cada vez mais e o novo ponto é a possibilidade de pagamentos de boletos

0

O pagamento de contas se tornou mais prático com o Pix e isso é fato. Afinal, o Pix é uma excelente opção de pagamento não por apenas realizar transações, mas também por substituir cartões de crédito ou débito na hora da compra em estabelecimentos.

Cadastrar-se no Pix é rápido, só é necessário entrar no seu aplicativo de Internet Banking onde você já possui uma conta corrente e clicar em “Pix”. Mas a novidade relacionada ao Pix é a possibilidade de pagamento de contas como a de luz.

É provável que você também goste:

Governo quer criar novo auxílio emergencial para quem está fora do Bolsa Família

Adesão ao Pix cresce no comércio, diz Mercado Pago

Pix já domina cerca de 80% das transferências bancárias

Os pagamentos de contas de luz com Pix já são possíveis?

Em breve, essa função de pagamento de contas de luz com o Pix estará disponível para 11 estados e seus consumidores. Em cinco estados já é possível fazer isso e mais seis estão trabalhando para oferecer essa opção aos seus clientes tanto na fatura digital, quanto na física. 

A Neoenergia foi o primeiro grupo a acatar o uso do Pix para os pagamentos das faturas digitais via QR Code, desde novembro de 2020, nos seguintes estados: São Paulo (SP), Rio Grande do Norte (RN), Bahia (BA), Pernambuco (PE) e Mato Grosso do Sul (MS). 

Agora, a Neoenergia afirma que o Pix estará disponível nas faturas impressas ainda este ano.

E os outros estados?

Outras empresas já estão vendo as vantagens dessa nova tecnologia e pretendem inseri-la ainda esse ano. 

Possivelmente, até o final de fevereiro, a CPFL, atuante nos estados de São Paulo, Paraná, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, adotará um sistema similar que irá incluir até as faturas impressas.

A Enel, conhecida também como a maior empresa de distribuição do Brasil por atender clientes em Goiás (GO), Rio de Janeiro (RJ), Ceará (CE) e São Paulo (SP), já recebeu autorização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para que possa dar início à adaptação de seus sistemas para o Pix.

Não há obrigação por parte das empresas de energia em utilizarem o Pix, mas elas estão se adaptando com intuito de ter mais possibilidades de pagamento para oferecerem a seus clientes em todo o país.

A empresa de energia deve disponibilizar outros meios de cobrança além da conta de luz digital ou impressa, como, por exemplo, possuir um QR Code específico ou uma “chave” do Pix. 

O Pix vem sendo incentivado pela Aneel para facilitar não apenas o pagamento, mas também para a mobilidade; afinal seus clientes poderão reduzir os custos do setor elétrico, resultando em uma economia.  

Utilizar o PIX é mais viável para o pagamento de contas?

Possuindo uma conta bancária corrente ou poupança, você pode fazer o cadastro no Pix por meio do aplicativo do seu banco no celular. 

Para o consumidor há diferentes opções de cadastrar uma “chave” de segurança para que possa realizar as transações. Essa chave pode ser o número do CPF, celular, algum e-mail ou uma chave aleatória. Além disso, cada cliente pode possuir mais de uma chave. O Banco Central informou que já há 133,9 milhões de chaves cadastradas no Pix.

O consumidor possui vantagem ao estar nesse sistema de pagamento de contas, pois o pagamento cai na conta de concessionárias em instantes, evitando desse modo o desligamento da energia por inadimplência ou pode até mesmo permitindo agilizar o religamento do serviço. 

O diretor jurídico, Wagner Ferreira, da Abradee (Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica), explica que para as distribuidoras de energia, existe uma redução nos gastos para o recebimento dos valores, havendo apenas a necessidade de que a concessionária possua um contrato com alguma rede bancária para que possa receber os recursos.

Contudo, para adotar esse modelo de pagamento, Ferreira afirma que não é algo simples, pois é preciso que haja uma adaptação nos sistemas das distribuidoras. Embora todas já estejam caminhando para que esse sistema funcione em suas empresas, não é algo que possa ser feito de modo precipitado, necessitando adaptação em seus sistemas.

Fique por dentro das novas atualizações do Pix!

Siga nosso canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem: Divina Epiphania / Shutterstock.com

Comentários
Carregando...