Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Cerca de 69% dos empresários não pretendem contratar no 2° trimestre

Confira a comparação por setores em relação às contratações.

0

Uma pesquisa de Expectativa de Emprego do ManpowerGroup apontou que 69% dos empregadores não pretendem contratar novos funcionários, 21% têm intenção de contratar e 8% desejam reduzir as equipes no 2º trimestre.

652 pessoas foram entrevistadas entre os dias 6 e 26 de janeiro, antes das medidas de restrição ficarem mais rigorosas com o agravamento da pandemia.

O percentual mostra que a perspectiva de contratação no Brasil para o 2º trimestre é de 9%, indicação baixa em relação ao 1° trimestre. Apesar do índice estar em queda, esses números colocam o Brasil entre os países da América com as melhores expectativas, atrás apenas dos Estados Unidos.

Ainda segundo o estudo, 24% desses empregadores acreditam que os índices de contratação pré-pandemia podem retornar até o fim deste ano. 39% dos entrevistados acreditam que não houve mudanças nessas intenções, desde o início da COVID-19, e 4% têm a perspectiva de que esses números anteriores nunca serão atingidos novamente.

É provável que você também goste:

Huawei promove feira online de empregos e estágio com oferta de 150 vagas

Inscritos no Bolsa Família e CadÚnico conseguem cursos grátis, empregos e empréstimos em App

Maioria dos setores aposta no terceiro trimestre

Dos oito setores procurados, sete entre eles buscam aumentar as contratações neste próximo trimestre. As melhores intenções de recrutamento são para os de Serviços e Comércio Atacadista e Varejista, com expectativa de +13%.

Nilson Pereira, CEO do ManpowerGroup, diz que as intenções de contratação seguem otimistas entre os meses abril e junho e que esse resultado se deve, principalmente, pelo crescimento nas intenções dos setores dos serviços e comércio atacadista e varejista. A recuperação do estado do Rio de Janeiro, o que contribuiu para os índices. 

O CEO ainda diz que o início da vacinação também trouxe expectativa de uma retomada, o que consequentemente impulsiona este resultado.

Vacinação obrigatória contra a COVID-19

A pesquisa também levantou o questionamento de quais políticas serão adotadas pelos empresários brasileiros em relação aos empregados quando houver vacinação disponível.

Dos entrevistados, 43% afirmam que todos os funcionários deverão ser vacinados, já 23% não têm planos de implementação de uma regra fixa e obrigatória de imunização e deixarão como uma escolha individual.

Comparação por setores em relação às contratações

Um dos crescimentos mais esperados é o do setor de Serviços que possui um percentual de 13%, o que leva a uma alta de 14 pontos percentuais quando comparado ao 1° trimestre. Além desse setor, existe também o de Comércio Atacadista e Varejista, que registrou 13%.

A menor dessas porcentagens fica para a Administração Pública & Educação, pois houve uma queda de 5%, semelhante ao indicador do trimestre anterior. Já segue como o quarto trimestre consecutivo em que o setor demonstra uma perspectiva bem abaixo do normal.

Confira melhor:

  • Serviços: +13%
  • Comércio Atacadista e Varejista: +13%
  • Indústria: +11%
  • Construção: +10%
  • Finanças, Seguros e Imobiliário: +10%
  • Transporte e Serviços Públicos: +5%
  • Agricultura, Pesca e Mineração: +2%
  • Administração Pública e Educação: -5%

Comparação por regiões

É esperado que em todas as cinco regiões haja um aumento na expectativa de contratações. É notório também que, pelo quarto trimestre consecutivo, os empregadores do estado do Paraná estejam com os melhores indicadores, cerca de 18%. O Rio de Janeiro tem uma expectativa de 5%, um aumento significativo de 9 pontos no índice trimestral.

  • Paraná conta com um total de +18%;
  • São Paulo conta com um total de +8%;
  • Minas Gerais que conta com um total de +7%;
  • Estado do Rio de Janeiro com um porcentagem de +5%;
  • Estado de São Paulo, que vem com o menor número, que seria uma porcentagem +3%.

Comparativo por porte de empresa para contratação

O levantamento mostra um aumento significativo em duas das quatro categorias por porte de organização, o que já era esperado, com as grandes empresas liderando o ranking.

  • As grandes empresas com +23%
  • As médias empresas com +14%
  • As pequenas empresas com -3%
  • As microempresas: com -5%

Pesquisa global

Uma pesquisa global também foi realizada e, em comparação ao 1º trimestre de 2021, 24 países pesquisados trouxeram uma melhoria nas expectativas de contratação. O Brasil ocupa a 8ª posição do levantamento. Veja as melhores intenções: 

  1. Taiwan com aumento de +24%
  2. Estados Unidos com aumento de +18%
  3. Austrália com aumento de +17%
  4. Singapura com aumento de +17%
  5. Croácia com aumento de +12%
  6. Romênia com aumento de +12%
  7. Turquia com aumento de +10%
  8. Brasil com aumento de +9%
  9. Índia com aumento de +9%
  10. Bélgica com aumento de +8

Países que apresentam os índices mais fracos:

  1. Panamá com baixa de 8%
  2. Reino Unido com baixa de -5%
  3. África do Sul com baixa de -5%
  4. Peru com baixa de -2%
  5. Itália com baixa de -2%
  6. Hong Kong com baixa de -2%
  7. Finlândia com baixa de -2%
  8. Espanha com baixa de -1%
  9. Portugal com baixa de -1%
  10. Japão com baixa de -1%

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então é só seguir o Seu Crédito Digital no YouTubeFacebookTwitterInstagram e Twitch. Assim você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos etc. Siga a gente para saber mais!

imagem: baranq / shutterstock.com

Comentários
Carregando...