Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Imposto por nudes? Beiçola do Privacy teve que pagar R$ 173 mil para a Receita; entenda o motivo

Conheça a história da Beiçola do Privacy, influenciadora de conteúdo adulto que teve que pagar quase R$ 200 mil em impostos à Receita.

Uma influenciadora de Porto Alegre Martina Oliveira, conhecida como Beiçola do Privacy, faturou alto no uso das plataformas de conteúdo adulto – e teve que pagar, também, um imposto bastante elevado. A influenciadora teve que desembolsar cerca de R$ 173 mil para a Receita Federal neste ano.

O assunto se tornou notícia após a influenciadora divulgar que teve que pagar esta quantia alta ao Fisco após ganhar bastante dinheiro com o seu trabalho. Ela ainda falou que também contou com ajuda de empresas de contabilidade, mas que não conseguiu fugir dos impostos.

Entenda o caso da influenciadora Beiçola do Privacy, que teve alta carga de impostos para pagar

Imagem de Martina Oliveira, a Beiçola do Privacy, que teve alta carga de impostos.
Imagem: Reprodução / Instagram

A Beiçola do Privacy viu no entretenimento adulto uma oportunidade de ganhar dinheiro – apesar dos impostos – após ter sido alvo de um assalto. Não demorou muito para que ela visse expressivo retorno financeiro e, em entrevista à Band, declarou que já conseguiu faturar cerca de R$ 500 mil por mês, somente com as plataformas de entretenimento adulto.

No entanto, de acordo com a Receita Federal, todos os contribuintes que tiveram um rendimento anual superior a R$ 28.559,70 são obrigados a declarar impostos. Esta quantia corresponde a um rendimento mensal de aproximadamente R$ 2.379,97. Ou seja, caso o rendimento de um cidadão ultrapasse esse valor, seja por salário ou por rendas extra, é necessária a declaração do imposto de renda.

Por conta disso – e de seu alto faturamento – a influenciadora Beiçola do Privacy teve a obrigação, perante o Fisco, de realizar o pagamento dos seus impostos. Mesmo que a carga tributária seja alta, o pagamento é de acordo com o recebimento e a declaração do IRPF.

Conheça mais sobre a história da influenciadora

De acordo com a Beiçola do Privacy, ela vende fotos, conteúdos sexuais – tanto sozinha, quanto acompanhada – e outros materiais. No entanto, ela descreve que o seu trabalho é diferente da prostituição em si. No Brasil, a prostituição não é considerada um crime conforme o Código Penal. Assim como Martina, qualquer pessoa que trabalha com conteúdo erótico deve declarar imposto de renda e pagar as devidas taxas, conforme a lei.

Veja também:

Prazo para resgatar até R$ 2,9 mil na Caixa termina em 30/11; não perca essa chance

Por fim, ela conta que a relação com a sua mãe é boa, embora ela não tenha aceitado em um primeiro momento. Martina continua trabalhando duro, declarando que o conforto financeiro que conquistou lhe permitirá aposentar-se em alguns anos. “Ganho a grana que eu ganho, mas não gasto com coisas supérfluas. Ter esse conforto de saber que posso me aposentar em alguns anos, me faz muito bem”, disse.

Imagem: Reprodução / Instagram de Martina Oliveira