Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Inadimplência em alta: número de CNPJs negativados bate o recorde

A inadimplência já atinge 6,5 milhões de empresas no Brasil, que têm enfrentado dificuldades diante dos juros altos. Entenda

De acordo com o Indicador de Inadimplência das Empresas, divulgado na última terça-feira (4), 6,5 milhões de empresas brasileiras estavam negativadas em fevereiro, o que representa um recorde na série histórica do índice, que teve início em janeiro de 2016. O valor total de dívidas atrasadas é de R$ 112,9 bilhões.

Dessa forma, segundo o levantamento, há sete dívidas vencidas por CNPJ, que estão divididas nos seguintes setores:

  • Serviço: 53,8%;
  • Comércio: 37,3%;
  • Indústria: 7,7%;
  • Primário: 0,8%;
  • Outros (incluindo o setor financeiro e o terceiro setor): 0,4%.

As dívidas no CNPJ foram contraídas principalmente em bancos e cartões e também em serviços.

Dívidas por região

A maior parte das empresas negativadas estão no Estado de São Paulo, com mais de 2 milhões de CNPJs negativados. Em seguida está Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná e Rio Grande do Sul. 

Para os especialistas, a alta na inadimplência entre as empresas pode ser explicada pelo aumento dos juros, que compromete a capacidade dos empreendedores de pagarem seus débitos, principalmente porque o acesso ao crédito está mais restritivo, o que gera dificuldade de conseguir aportes maiores.

Inadimplência entre os consumidores

De acordo com Luiz Rabi, economista-chefe da Serasa Experian, o endividamento das empresas tem relação direta com a inadimplência entre os consumidores, que chegou a 70,5 milhões de negativados em fevereiro. Para o economista, enquanto a inadimplência entre os consumidores não melhorar, as empresas continuarão com dificuldades de melhorar suas finanças.

Os principais débitos dos brasileiros inadimplentes são:

Luiz Rabi pontua que a inflação e os juros altos são os principais fatores para a alta da inadimplência entre os consumidores, além das despesas típicas de começo de ano, como IPTU, IPVA e reajuste das mensalidades.

Imagem: Tatiana Chekryzhova / Shutterstock