Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Itaú anuncia ETF com distribuição de dividendos aos investidores

Saiba mais sobre o novo ETF lançado pelo Itaú, que distribui dividendos aos investidores. Conheça suas características!

A Itaú Asset, divisão de gestão de fundos do conhecido banco Itaú, anunciou o lançamento de um Exchange Traded Fund (ETF) que promete distribuição mensal de dividendos aos seus investidores. Essa novidade chega ao mercado pouco tempo após um lançamento similar pelo Nubank, destacando uma crescente popularidade em investimentos focados em dividendos entre os brasileiros.

Dessa forma, saiba mais informações sobre seus benefícios e como os investidores podem participar dessa oportunidade de investimento. Continue a leitura para mais detalhes!

Itaú anuncia lançamento de ETF

Fachada com logo do Itaú Unibanco.
Imagem: Joa Souza / shutterstock.com

Denominado DIVD11, o ETF terá sua negociação na bolsa a partir de 11 de junho. O produto tem como objetivo replicar o Índice de Dividendos da B3 (IDIV), que inclui 48 empresas com histórico de boas pagadoras de dividendos. Isso marca uma diferença essencial em comparação ao ETF NDIV11 do Nubank, que segue o índice Ibovespa Smart Dividendos B3.

Ademais, uma das principais características do DIVD11 é sua taxa de administração competitiva de 0,50%, sem taxa de performance adicional. O custo inicial por cota é de R$ 50, embora esse valor possa flutuar de acordo com as variações do mercado.

O ETF não apenas oferece a possibilidade de valorização da cota através da negociação em bolsa, mas também permite aos investidores receberem rendimentos mensais. Esses rendimentos provêm dos dividendos e juros sobre capital próprio das empresas inclusas no índice, com uma alíquota de Imposto de Renda fixada em 15% sobre os ganhos.

Como o DIVD11 se enquadra no portfólio do investidor?

Segundo Renato Eid, líder de estratégias indexadas e investimento responsável na Itaú Asset, embora o DIVD11 represente uma opção de renda variável, ele é percebido como uma escolha mais defensiva.

Assim, o risco tende a ser menor que aquele associado ao índice Ibovespa padrão, fazendo deste ETF uma excelente escolha para quem busca complementar seu orçamento e planejar suas finanças com os pagamentos mensais previstos para o 10º dia útil de cada mês.

Veja também:

Azul começa a emitir passagens aéreas com 15 meses de antecedência

Por fim, a Itaú Asset não é novata no ramo dos ETFs. Foi a pioneira no lançamento deste tipo de fundo no Brasil com o PIBB11 há 20 anos. Atualmente, oferece 22 produtos similares em um mercado que ainda representa menos de 1% da indústria de fundos nacional, que movimenta R$ 45 bilhões em ETFs.

Imagem: Joa Souza / shutterstock.com