A Neon Pagamentos, uma das principais fintechs brasileiras, recebeu investimento de R$ 400 milhões do fundo de private equity General Atlantic e do Banco Votorantim numa rodada histórica que já é considerada a maior em investimentos Series B já realizados no Brasil. Os fundos de Venture Capital Monashees, Omidyar Network, Propel, Quona e Mabi, investidores na Series A, acompanharam o aporte, reforçando a confiança dos acionistas.

É provável que você também goste:

Nome sujo no SPC/Serasa? Você pode ter cartão de crédito e limite no Santander e sequer imagina

Neon recebe aporte de R$ 400 milhões do Banco Votorantim e do fundo General Atlantic

Primeiramente, o capital será injetado para acelerar o crescimento da empresa e aumentar a densidade da marca nas capitais fora do eixo Rio-São Paulo.

“Essa nova rodada de captação chancela nosso modelo de negócios e nos dá fôlego para seguir crescendo num ritmo ainda mais intenso e investir ainda mais em tecnologia e marketing”, afirma Pedro Conrade, sócio e fundador da Neon, destacando que a gestão e a condução dos negócios da NEON, continuará totalmente independente, preservando sua proposta de valor e modelo de negócio.

Neon já tem quase 2 milhões de contas ativas

Lançada em 2016, a Neon já tem quase 2 milhões de contas ativas. Os recursos ora aportados na companhia serão utilizados na ampliação da oferta de produtos. Ademais, incluindo o desenvolvimento de modalidades de crédito e alternativas de investimentos aos clientes. Por fim, também por campanhas publicitárias, tecnologia e contratação de talentos.

“Com entrada dos novos sócios, General Atlantic e Banco Votorantim, ganhamos mais musculatura e inteligência estratégica para amparar mais uma etapa de forte crescimento. Os aportes mostram que estamos preparados para brigar com instituições financeiras tradicionais de igual para igual, oferecendo soluções inovadoras na experiência dos clientes em serviços financeiros”, diz Jean Sigrist, sócio da Neon.

Essa é a segunda rodada de captação da Neon

Enfim, essa é a segunda rodada de captação da Neon. A primeira, em maio de 2018, foi de R$ 72 milhões, liderada pelo fundo Monashees, Omidyar Network, do fundador do eBay Pierre Omidyar, Propel, Quona e Mabi. Ademais, na época, a operação foi a maior rodada Série A de investimentos.

Parceria com o Banco Votorantim

“Por meio de parcerias estratégicas como essa, o Banco Votorantim se conecta cada vez mais com empresas e serviços complementares, que contribuem para a diversificação de suas fontes de receita. Para o Banco Votorantim, esse aporte é mais uma prova de que somos o banco brasileiro mais conectado com as fintechs”, afirma Gabriel Ferreira, CEO do Banco Votorantim.

“A Neon provou a força do seu modelo de negócios em um curto período de tempo”, diz Luiz Ribeiro, diretor da General Atlantic. “O setor bancário brasileiro está pronto para mudanças e o Neon está fornecendo novas soluções que estão em ressonância com os clientes brasileiros. Estamos entusiasmados por apoiar a equipe Neon no caminho da transformação do setor bancário”, completa.

“Acreditamos que a Neon combina um time excepcional com uma visão clara de construir uma plataforma multiproduto inovadora no Brasil. O forte crescimento e o alto engajamento, mostra que eles estão criando valor, confiança e se tornando o lugar onde clientes centralizam sua vida financeira”, afirma Marcelo Lima, sócio da Monashees.

“Como um fundo focado em fintechs, temos orgulho e sorte de ser um dos primeiros apoiadores da Neon – a única fintech que tem construído um modelo de negócio sustentável, que cobre as necessidades de pagamento, economia e crédito dos clientes. Estamos empolgados com o fato de a GA compartilhar conosco uma mesma visão, o que certamente contribuirá para o fomento do próximo estágio de crescimento da Neon”, diz Jay Reinemann, sócio da Propel Ventures.

Outros movimentos da Neon

Ao longo de 2019, a Neon fez movimentos importantes como a aquisição da MEI Fácil, para fortalecer sua estratégia no segmento PJ, além do lançamento da sua primeira campanha publicitária e contratação de executivos nas áreas de risco e controle.

A Neon destaca que o investimento está sujeito, entre outras condições, também à aprovação por parte de órgãos reguladores.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao assunto de fintechs.