Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Bancos liberam isenção do PIX para empresas. Saiba quais são eles

Veja os bancos que seguem sem cobrar de empresas pelo serviço.

0

Desde seu lançamento, em novembro do ano passado, o PIX se tornou um dos serviços financeiros mais bem-sucedidos da atualidade. Há duas semanas, de acordo com matéria divulgada pela Folha, o Pix batia o recorde de 27,9 milhões de transações em um único dia. De acordo com o Banco Central, apenas em maio foram R$ 307 bilhões movimentados pelo Pix. Até o momento, foram mais de 245 milhões de chaves criadas.

Entre os motivos para a popularidade do serviço sem dúvida está o fato de ser gratuito. Porém, quando as transações são de pessoa física para empresa ou de empresa para empresa, os bancos podem decidir cobrar taxas para o CNPJ. Portanto, a seguir veja quais bancos cobram e também os que não cobram taxa para o PIX empresas.

Bancos que liberam isenção do PIX para empresas

Em primeiro lugar, vale dizer que, em seu lançamento, os bancos deram a isenção nas taxas do PIX para empresas. Contudo, após um período, as cobranças começaram. A taxa mais alta cobrada atualmente, por exemplo, é no Itaú, e corresponde a 1,45% do valor da transação. Já a Caixa, o Nubank e o Inter mantiveram a isenção.

Além disso, na semana passada, a Linker, fintech focada em pessoa jurídica, anunciou que o PIX será oferecido de forma gratuita para seus clientes. De acordo com a empresa, o objetivo é facilitar o dia a dia das pequenas e médias empresas. Entre os bancos que oferecem isenção de taxa para o Pix atualmente, estão, por exemplo:

Por fim, como já mencionamos, entre os bancos que cobram taxas do Pix para empresas, há variações no valor. No Banco do Brasil, por exemplo, cobra-se uma taxa de transferência via Pix de 0,99% do valor da transação, com o mínimo de R$ 1 e o máximo de R$ 10. Já o Bradesco cobra uma taxa de 1,4% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 1,65 e máxima de R$ 9.

Ademais, no caso do Itaú, que tem a maior taxa, cobra-se 1,45% do valor da transferência, com tarifa mínima de R$ 1,75 e máxima de R$ 9,60. Já o Santander pede 1% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 0,50 e máxima de R$ 10.

Por fim, mesmo com as cobranças, não há como negar que a solução de pagamentos Pix, que permite transferências entre pessoas físicas e jurídicas, torna o dia a dia das empresas muito mais fácil. Afinal, diferentemente dos prazos de transferências via TED ou DOC, com o Pix em apenas 10 segundos o processo é concluído.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o FacebookTwitterTwitchInstagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

Imagem: RoberioJr / shutterstock.com

- Publicidade -

Comentários
Carregando...