Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Confira dicas para economizar energia e reduzir o valor da conta de luz

Essa é uma fatura presente na vida de todos os cidadãos brasileiros.

0

Entender como a conta de energia funciona é um dos primeiros e mais importantes passos na hora de reduzir os seus custos.

Esse elemento é um dos mais corriqueiros na vida de um cidadão e, por muitas vezes, pode carregar dúvidas que impedem o consumo consciente.

Ao longo deste texto serão explicados o propósito e utilidades da conta de energia, além de serem exemplificados os melhores métodos para que haja cortes de custo e consumo em residências e imóveis dos mais variados tipos.

O que é a conta de energia?

Ao longo dos últimos séculos, com o desenvolvimento social e tecnológico que a humanidade conquistou, foi possível contemplar as maravilhas do uso da energia elétrica.

Desde meados do século XVII, a energia elétrica tem sido uma maneira de evoluir e existir com maiores níveis de segurança e conforto.

E é claro que, para desfrutar deste recurso tão benéfico e atualmente indispensável, há a necessidade de pagamento por consumo.

É aí que a conta de energia entra em ação. Essa é uma forma de cobrança presente na vida de todos os cidadãos brasileiros. Mesmo assim, pode causar dúvidas a muitos.

De forma simples e direta, a conta de energia serve como uma maneira de cobrar clientes de distribuidoras de energia elétrica por seu consumo mensal.

Em sua conta de energia, estão presentes dados importantes para mensuração dos resultados dos cálculos que se baseiam em kWh usado x tarifas aplicadas.

As tarifas, por sua vez, são compostas pela soma de custos gerados pelos processos de geração, transmissão, distribuição e comercialização de energia.

Estes valores são estabelecidos e homologados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Além disso, elas também trazem taxas e impostos. 

Para que serve a conta de energia?

A conta de energia, ou conta de luz, não possui apenas a simples tarefa de cobrar pela eletricidade utilizada a cada mês.

Ela também serve como um portal de transparência entre distribuidoras e clientes, em que a parte final da negociação pode analisar o porquê de tais cobranças e a sua veracidade.

Ao conferir as providências do valor cobrado, o cliente pode ter um base mais firme para se apoiar, para que seja possível elaborar formas de se cortar gastos desnecessários.

Ainda, na conta de energia, é possível conferir outras informações muito importantes. Confira algumas delas logo abaixo:

  • Seu Código, N° da Unidade Distribuidora (UC) e Número de Instalação;
  • Seus Dados de imóvel e endereço;
  • Informações Fiscais e Informações Técnicas sobre a Instalação;
  • Mês de Referência, Data de Emissão e Vencimento da Fatura;
  • Quantidade de Consumo e N° de Dias;
  • Período de Consumo / Leituras e Histórico Anual de Consumo;
  • Valor da Fatura e os detalhes de sua composição;
  • Código de Barras para pagamento e Informações para Débito Automático;
  • Notificações e mensagens importantes;
  • Qualidade da energia fornecida;
  • Formas de contato e locais de atendimento nas proximidades.

A conta de energia serve tanto para o pagamento, manutenção e apuração da energia elétrica em um imóvel, quanto para a comprovação de residência em processos que exijam o mesmo e planejamentos para a redução de consumo.

Como funciona a conta de energia?

O funcionamento da conta de luz é de fácil dedução. Ela é entregue no imóvel após o período de leituras ser referido, então o cliente deve conferir os dados presentes, para que se tenha a certeza da procedência dos mesmos. Ainda nisso, devem ser conferidas possíveis mensagens de incoerência ou atrasos.

Através das opções de débito automático e pelo código de pagamento do documento, podem ser quitados os valores estabelecidos pela tarifa. Em caso de maiores dúvidas acerca dos processos de funcionamento da conta de energia, podem ser utilizados os dados de contato presentes nela.

Como funciona o cálculo da conta de energia?

As já apresentadas tarifas de energia são a base para o entendimento do cálculo feito nas contas de energia. Basicamente, o consumo de eletricidade mensal é obtido através da diferença entre o mês anterior e o atual. Então, é utilizado a soma das potências de equipamentos em Watts pelo tempo de uso.

O tempo de consumo é baseado na quantidade de horas em que os aparelhos ficaram operantes enquanto conectados a tomadas.

Já o período de leitura para esse cálculo pode variar de acordo com concessionária de distribuição em questão, em que a média regular está em torno de 27 e 33 dias.

As tarifas de energia da conta de luz também recebem os acréscimos de possíveis taxas. Além disso, são acrescidos os valores de impostos voltados para serviço públicos como nas áreas de educação e saúde. Ainda, há o direcionamento para benefícios sociais, como o PIS, por exemplo.

Por último, há dois pontos de importância para se comentar. O primeiro deles é a divisão dos valores tarifários por grupos, sendo eles os de Baixa tensão (Grupo B) e Alta tensão (Grupo A). Já o segundo, são as bandeiras verde, amarela e vermelha que, desde 2015, indicam se haverá acréscimos na conta.

Como fazer o parcelamento da conta de energia?

O parcelamento de uma conta de energia é, na maior parte das vezes, feito mediante um acordo com a distribuidora local. São muitos os porquês desta questão. Porém, há congruências entre alguns pontos. O primeiro deles é a necessidade de atraso no pagamento da fatura, só assim é obtida autorização.

O parcelamento de uma conta de energia normalmente é destinado aos consumidores integrantes do Grupo B. As parcelas, por sua vez, possuem um limite, e são oficializadas com o pagamento da primeira, o qual é chamado de valor de entrada, pagamento de entrega ou apenas ato.

Para aqueles que desejam parcelar a conta de energia no cartão de crédito, é retirada a exclusividade para o Grupo B. É viável a admissão das parcelas dos consumidores encaixados no Grupo A, mas, nessa modalidade de pagamento, haverá certas diferenças. É importante a atenção aos detalhes.

Por fim, é de extrema importância saber tanto os requisitos de entrada e aprovação para parcelamento, quanto aqueles que podem inabilitar futuros pedidos. Dois exemplos do tipo são o limite de R$ 10.000,00 para o piso de débito e o limite de uma unidade consumidora por titular. 

Como baixar sua conta de energia?

A procura pela diminuição nos gastos de uma residência ou de um imóvel comercial sempre foram muito altas. Em tempos de crise e necessidade, o assunto tem tido ainda mais atenção e relevância. Por isso, alguns detalhes e dicas são muito mais do que bem-vindos para ajudar.

Primeiramente, é importante haver uma análise meticulosa da conta de energia. Depois, o local deve ser inspecionado, para que sejam encontrados os pontos de possível mudança ali presentes. Então, pesquisas devem ser feitas, para que estratégias e próximos passos possam ser elaboradas com facilidade.

Há muitos pontos de partida que serão comentados a seguir, mas, antes disso, é válido ressaltar a eficiência das fontes de energia alternativas e sustentáveis. Nisso e no quesito doméstico e comercial, a energia fotovoltaica é a mais indicada, pois é uma maneira de reduzir gastos e promover a sustentabilidade.

A energia solar tem se tornado cada vez mais viável para um âmbito maior de pessoas. Isso se dá pelo fato de que as tecnologias têm evoluído e barateado. Apesar de ter um valor inicial consideravelmente alto, este meio pode recuperar o investimento em até 7 anos, o que a torna uma boa opção.

As melhores dicas para reduzir a conta de energia

É compreensível o interesse de muitos no assunto, afinal de contas, quem é que não optaria por uma economia aqui e ali, não é mesmo? Com isso, estão listados abaixo algumas das principais dicas de maneiras de se baixar o valor pago na conta de energia.

  • Trocar lâmpadas incandescentes por lâmpadas de LED;
  • Se possível, optar pela iluminação e ventilação natural (janelas, portas, varandas, etc.);
  • Pintar partes de branco, pois refletem melhor a luz (lajes e telhados);
  • Diminuir o tempo no banho e utilizar o chuveiro no modo “verão”;
  • Manter aparelhos de ar-condicionado em temperatura moderada, com a manutenção e filtros em dia;
  • Não dormir com ou manter ventiladores ligados em cômodos desocupados;
  • Manter a geladeira afastada de fontes de calor e a 10cm de distância de paredes;
  • Utilizar eletrodomésticos e outros tipos de aparelhos eletrônicos mais modernos, para evitar sobrecarga de energia;
  • Dar preferência a equipamentos com Selo Procel;
  • Verificar se não há “fuga” de energia no imóvel;
  • Optar por sensores de presença para iluminação;
  • Não carregar aparelhos além de sua carga limite e não manter o carregador na tomada sem uso;
  • Evitar o uso do modo standby de dispositivos eletrônicos;
  • Aproveitar os modos de desligamento e suspensão de tela por inatividade;
  • Não deixar aparelhos sem uso ou desligados plugados à tomadas.

É claro que há inúmeras dicas além dessas. Entretanto, estas são as maneiras mais práticas, rápidas e eficientes de se reduzir o gasto de energia em residências, comércios e até mesmo em indústrias.

Enfim, gostou da matéria?

Então nos siga no canal do YouTube e em nossas redes sociais, como o FacebookTwitterTwitch e Instagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos, fintechs e matérias relacionadas ao mundo das finanças.

imagem: fizkes / shutterstock.com

Comentários do Facebook

- Publicidade -