Os microempreendedores individuais (MEI) estão ganhando cada vez mais atenção por seu potencial de movimentar a economia brasileira. O Sebrae, por exemplo, agora está oferecendo um empréstimo a juro zero para quem é MEI.

É provável que você também goste:

Banco Inter traz mais um benefício aos seus clientes: o cashback!

Porque tive meu meu cartão de crédito bloqueado por atividade suspeita?

Duas maneiras incríveis de ganhar dinheiro usando PicPay e Nubank

Tal programa, chamado Juro Zero Empreendedor, é uma parceria entre o Sebrae-SP, a Desenvolve SP (Agência de Desenvolvimento Paulista) e o Governo de São Paulo. Quem pode pedir o crédito a juro zero são os MEIs paulistas, com faturamento anual de até R$ 81 mil, independentemente do prazo de formalização. Por sua vez, os participantes também devem ser certificados pelo programa SUPER MEI do Sebrae-SP e não devem possuir restrições cadastrais.

Lista de documentos do MEI necessários para participar

A seguir, apresentamos os documentos que o MEI precisa apresentar:

  • Cópias simples do cartão CNPJ;
  • Certificado da condição de MEI;
  • Comprovante de conclusão no programa SUPER MEI;
  • Última declaração anual (DANS SIMEI), se houver;
  • Certidão Negativa de Débitos com a União – CND;
  • Certidão de Regularidade no FGTS válida, emitida pela Caixa Econômica Federal (CEF).

Documentos que a pessoa física deve apresentar

Além dos documentos do MEI, também é necessário apresentar a documentação da pessoa física. Esses documentos são:

● Cópias autenticadas do RG, CPF e comprovante de endereço (conta de água/luz/telefone, boletos bancários);
● Se for casado, apresentar Certidão de Casamento, RG e CPF do cônjuge.

Para que serve esse financiamento do Sebrae?

Quem está dentro dos requisitos para participar do programa deve pedir o crédito para alguns fins específicos. Eles são, por exemplo: máquinas, acessórios para veículos, veículos utilitários; motocicletas e ciclomotores, ferramentas para trabalho e capital de giro.

Entretanto, no início do projeto é necessário fazer um plano de negócios, que é elaborado em conjunto com o Sebrae-SP.

Quanto pode ser financiado

Os valores desse programa variam entre R$ 1.000 e o máximo de R$ 20.000, podendo ser parcelados até 36 vezes, com carência de até seis meses para começar a pagar. As condições, porém, dependerão da análise da viabilidade do Plano de Negócios.

Outros benefícios do MEI

E não é só a juro zero que o microempreendedor tem direito, caso seja vinculado ao MEI. Essa modalidade também dá direito aos benefícios do INSS, tais como auxílio-doença, aposentadoria por idade e salário-maternidade.

Para que isso seja garantido, porém, é necessário o pagamento da guia mensal, que é de 5% do salário mínimo, aproximadamente. Além disso, existem muitas facilidades hoje em dia nos bancos tradicionais e digitais para quem é MEI, como as contas sem tarifas.

Deve-se salientar, também, que é possível emitir notas fiscais e contratar até um funcionário, com o piso da categoria, sem precisar de um contador.

Sebrae apoia o empreendedorismo de diversas formas

Além dos financiamentos com boas condições para MEI, o Sebrae oferece outros serviços para quem está iniciando na jornada empreendedora. Cursos e eventos, por exemplo, são alguns dos principais serviços.

Os eventos custam numa base de R$ 100 a R$ 150 e ocorrem em diversas cidades do Brasil. Já os cursos podem ser feitos no portal do Sebrae e abordam marketing, gestão, finanças, entre outros assuntos importantes para pequenas empresas.

Os serviços variam muito de acordo com cada estado e cidade. Por isso, procure o site do Sebrae e selecione a sua localidade para conferir os benefícios que sua empresa pode ter, como mentorias e até locação de espaço para atendimentos.

Como conseguir dinheiro para a sua ideia

Se você não se enquadra no público-alvo do programa, existem outras opções para conseguir crédito e financiar a sua ideia de negócio. Uma delas é você mesmo investir no seu projeto. É o caminho mais demorado e talvez o mais difícil, mas você fica sem dívidas e pode tocar a sua ideia como quiser. O foco aqui é, acima de tudo, começar de baixo, com o que você já tem e usando a ajuda da sua rede de contatos.

Outra opção são os investidores anjos, que investem em startups que tenham ideias inovadoras. Pode ser o caso, por exemplo, se a sua proposta é diferente e está bem de acordo com as necessidades do mercado. Todavia, é preciso procurar investidores e, antes disso, trabalhar bem a sua marca na internet para atrair a atenção dessas pessoas.

Por fim, você pode conseguir um empréstimo com taxas mais baixas em outros bancos. A Caixa e o Santander, por exemplo, oferecem soluções de microcrédito. Nessa modalidade, eles dão orientações ao microempreendedor, com o objetivo de que o negócio seja lucrativo e a dívida seja paga.

Conclusão

Para quem é de São Paulo e preenche os requisitos, procurar o financiamento com juro zero é uma boa opção para conseguir capital de giro e transformar a ideia em realidade.

Já para quem mora em outros estados brasileiros, o melhor é pesquisar sobre as melhores opções com os bancos locais e procurar investidores que vejam potencial na proposta do negócio. O programa Shark Tank, da Bandeirantes, ilustra bem esse tipo de modalidade, quando o investidor pode dar “pitacos” no negócio e fica com uma parte das ações da empresa.

Enfim, gostou da matéria?

Então, siga o nosso canal do YouTube, e nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim, acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e matérias relacionadas ao assunto de fintechs.