Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Shopee garante que ‘taxa das blusinhas’ não irá impactar clientes

Novo imposto de importação de 20% não afetará compras na Shopee, mas Shein alerta para impactos negativos.

A Shopee tranquilizou seus usuários, afirmando que a nova taxa não impactará quem compra de vendedores nacionais na plataforma.

O recente imposto de importação de 20% para produtos até US$ 50, aprovado pelo Congresso Nacional e aguardando sanção presidencial, está gerando discussões acaloradas entre consumidores e empresas de e-commerce.

Contudo, segundo Luciana Hachmann, head de Relações Governamentais da Shopee, atualmente 90% das vendas são realizadas por lojistas brasileiros.

“Caso o consumidor decida realizar uma compra internacional na nossa plataforma, que é uma parcela pequena da nossa base, ele irá fazer o pagamento dos impostos previstos por lei no ato da compra, de forma ágil e transparente”, explicou Hachmann.

Shein contraria a Shopee e se posiciona contra a nova taxa

Celulares com apps da Shein e Shopee
Imagem: Sulastri Sulastri e Funstock / Shutterstock.com – Edição: Seu Crédito Digital

A Shein, em contraste com a posição da Shopee, manifestou sua insatisfação com a nova taxação sobre compras de pequeno valor, ressaltando que essa medida prejudicará seus consumidores.

A Shein considera a medida um retrocesso, argumentando que a isenção de imposto para compras internacionais até US$ 50 nunca teve função arrecadatória.

“A decisão de taxar remessas internacionais não é a resposta adequada, por impactar diretamente a população brasileira”, afirmou a empresa asiática em nota.

Efeito no comércio eletrônico

O programa de conformidade da Receita Federal, Remessa Conforme, tem sido adotado por grandes empresas de e-commerce, como Shopee, Shein e AliExpress. Este programa permite a isenção do imposto de importação para remessas de pequeno valor destinadas a pessoas físicas.

O objetivo do programa é garantir mais transparência e agilidade no desembaraço dos pacotes quando chegam ao país. Além do imposto de importação, as compras continuam sujeitas ao ICMS, com alíquota de 17%, de competência estadual.

Para a Shopee, o formato do Remessa Conforme tem proporcionado mais transparência ao consumidor e facilitado o processo de importação.

Parcerias e futuro do e-commerce

Em comunicado ao Metrópoles, a Shopee destacou a importância de um canal de diálogo aberto e construtivo com o Congresso. A plataforma está empenhada em contribuir com a economia digital, apoiando micro, pequenas e médias empresas no comércio eletrônico.

“Vamos continuar com as portas abertas para construir parcerias institucionais que possam gerar ainda mais oportunidades no ambiente digital”, concluiu Hachmann.

Veja também:

Aposentados do INSS: Jornal Nacional emite comunicado urgente; confira

A nova regulamentação está moldando o futuro do comércio eletrônico no Brasil, ressaltando a necessidade de adaptação e inovação constante por parte das empresas para garantir uma experiência positiva ao consumidor e promover o crescimento sustentável do setor.

Imagem: Sulastri Sulastri e Funstock / Shutterstock.com – Edição: Seu Crédito Digital