Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Taxa de juros do crédito rotativo cai, mas ainda está longe da meta do Congresso

A taxa de juros do crédito rotativo sofreu redução de abril para maio deste ano, mas ainda está acima da meta do Congresso. Confira!

Conforme divulgado nesta semana pelo Banco Central do Brasil (BC), houve uma pequena redução na taxa de juros do rotativo do cartão de crédito de abril para maio deste ano. Ainda, o parcelamento registrou um leve aumento. Esta variação nas taxas pode influenciar diretamente no planejamento financeiro dos brasileiros.

Por exemplo, no mês de maio, a taxa do rotativo do cartão de crédito foi de 422,5% ao ano, demonstrando uma diminuição comparada aos 423,4% ao ano do mês anterior. Por outro lado, observou-se um crescimento nos juros do crédito parcelado, de 182% para 184,8% ao ano. Continue a leitura para mais informações!

O que significa a variação nas taxas de juros do crédito rotativo?

Três cartões de crédito espalhados sobre uma superfície em visão aproximada. juros
Imagem: Teerasak Ladnongkhun / shutterstock.com

As taxas de juros do cartão de crédito são um aspecto fundamental para a gestão das despesas pessoais. Elas incidem diretamente sobre as finanças quando há atrasos no pagamento ou quando se decide parcelar uma compra. Sua oscilação tem um impacto significativo tanto na capacidade de pagamento quanto na acumulação de dívidas dos consumidores.

Além disso, o Congresso Nacional estabeleceu uma alteração importante que limita os juros do crédito rotativo e do parcelamento a no máximo 100% do valor principal da dívida. Esta mudança legislativa visa regulamentar e limitar encargos que podem comprometer significativamente o orçamento dos consumidores.

Aspectos técnicos da medição de juros pelo Banco Central

As taxas divulgadas pelo Banco Central não necessariamente representam os custos efetivos ao consumidor ao longo do ano. Conforme esclarecido por Fernando Rocha, chefe do Departamento de Estatísticas do BC, a estruturação dessas taxas é uma projeção anual baseada nos custos mensais aplicados pelos bancos, e nem sempre refletem um período prolongado de dívida.

Vejatambém:

IR 2024: ficou fora do 2º lote de restituição? Confira quando ocorrerá os próximos pagamentos

Além disso, o Banco Central está em processo de desenvolvimento de um novo indicador que promete oferecer uma visão mais precisa e ajustada sobre as taxas de juros do crédito rotativo, considerando as novas disposições legais. Espera-se que até meados deste ano, mais informações estejam disponíveis para uma análise mais robusta.

Imagem: Teerasak Ladnongkhun / shutterstock.com