Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Tem como comprar carro sem entrada?

Afinal, é possível comprar carro sem dar entrada? Descubra tudo sobre o assunto e realize o sonho do carro próprio!

Os brasileiros que desejam realizar o sonho do automóvel próprio e têm interesse em comprar um carro sem entrada, possuem uma nova opção: os consórcios de veículos. De acordo com um recente índice de mobilidade do consumidor, cerca de 70% dos brasileiros pretendem adquirir um veículo em 2024.

No entanto, diversos obstáculos se impõem a esses sonhos. O maior dele é a escassez de recursos financeiros, como indica um índice FinanZero de empréstimo, que aponta que esse problema atinge cerca de 79,2% dos entrevistados.

Portanto, tem se tornado comum buscar alternativas que possibilitam a compra de um carro sem entrada, como é o caso do consórcio.

Comprar carro sem entrada: entenda como isso é possível

Miniatura de carro vermelho e duas pilhas de moedas
Imagem: sasirin pamai / Shutterstock.com

Aqueles que desejam fazer a compra de um automóvel sem entrada possuem no consórcio sua melhor opção. Basicamente, essa é uma modalidade que funciona como autofinanciamento coletivo, reunindo diversas pessoas com o mesmo objetivo de compra em um grupo de consórcio, que contribuem mensalmente para um fundo comum.

A saber, esse fundo, resultante dos depósitos mensais dos consorciados, é responsável por disponibilizar as cartas de crédito. Tais cartas são, em essência, os documentos que representam o valor solicitado pelo consumidor no início do contrato.

Sua concessão ocorre, principalmente, através de sorteios durante assembleias. Quando há recursos suficientes no fundo, a administradora também permite a oferta de lances, que acelera o processo de contemplação.

Comprando um carro sem entrada: passo a passo

Veja a seguir como comprar um carro sem precisar dar entrada por meio de um consórcio:

1. Adesão ao consórcio

Depois de pesquisar sobre as administradoras que oferecem esse serviço e optar pela que oferece as melhores condições, é preciso formalizar a adesão ao contrato. Nessa etapa, é crucial verificar se a administradora possui autorização para atuar e se não há reclamações registradas contra ela.

Veja também:

Guia prático de como ativar o ‘modo antirroubo’ no iPhone

Além disso, é essencial ler atentamente todas as cláusulas do contrato antes de assiná-lo. Assim, evita-se surpresas desagradáveis no futuro.

2. Pagamento das mensalidades

Após concluir a adesão ao consórcio, é preciso começar a pagar as mensalidades, que são disponibilizadas através de boleto físico ou digital. Essas quantias são direcionadas ao fundo comum do grupo de consórcio, e vão compor a carta de crédito que será contemplada.

3. Participação nas assembleias

As assembleias acontecem mensalmente, organizadas pela administradora. Ademais, durante essas reuniões são realizados os sorteios. Se houver fundos suficientes, também é permitida a oferta de lances, aumentando as chances de obter a carta de crédito.

4. Sobre a contemplação

A contemplação é a próxima etapa, em que o participante recebe a tão desejada carta de crédito. Ela pode ocorrer por sorteio ou lance e, em ambos os casos, o contemplado deverá arcar com as mensalidades restantes, salvo quando a própria carta quitá-las.

5. Sobre a entrega de documentos

Para receber a carta de crédito, o contemplado deve fornecer uma série de documentos que incluem proposta de venda ou prestação de serviço, documento de identificação contendo foto, CPF, cópia da declaração do Imposto de Renda, comprovante de estado civil, comprovantes de renda e residência e certificado de registro do veículo.

6. A análise de crédito

Vencido o processo de documentação, a administradora realizará uma análise de crédito do consorciado. Caso ele esteja com pendências financeiras, a carta de crédito será bloqueada até que a situação seja normalizada.

7. Compra do Veículo

Finalmente, após todas essas etapas, o consorciado estará apto para adquirir o carro. Assim, a administradora liberará o valor da carta de crédito diretamente à empresa ou pessoa que venderá o veículo.

Imagem: sasirin pamai / Shutterstock.com