A Uber anunciou o lançamento de uma ferramenta que vai reter os ganhos do motorista no aplicativo para pagar as locadoras de veículos, para evitar calotes. O anúncio foi feito em fórum da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla) pelo responsável por soluções para veículos da Uber na América Latina, Caleb Varner, em São Paulo.

É provável que você também goste:

Governo libera contas inativas e ativas do FGTS em outubro.

alt.Bank, novo rival do Nubank, é um nova conta digital sem anuidade, sem consulta ao SPC e Serasa e paga até R$ 900,00 em comissões mensais

Uber vai reter ganhos de motoristas e pagar locadoras pelo App

O motorista que aluga um carro para trabalhar na Uber terá seu dinheiro retido no aplicativo para garantir o pagamento à locadora. O repasse será semanal às empresas do setor de aluguel de veículos. Ademais, também vai incluir as multas que o usuário venha a tomar utilizando o carro alugado.

“As empresas vão faturar mais, com menos risco e menos estresse”, afirmou Varner.

A solução oferecida pela Uber promete atacar o principal problema das locadoras que alugam para motoristas de aplicativo. Ou seja, a falta de garantias suficientes, na avaliação do presidente da Abla, Paulo Miguel.

“O valor já fica amarrado e, conforme o motorista trabalha, o dinheiro é abatido e a própria Uber paga para as locadoras, é uma garantia a mais do recebimento da locação”, disse.

Programa da Uber para locadoras de veículos

A ferramenta faz parte do novo programa da empresa para locadoras. Além disso, também envolve outras duas novidades:

  1. Uma plataforma que promete conectar locadoras e motoristas. Isso deverá ser mais útil às empresas de menor porte, que contam com menos estrutura para fazer uma triagem de interessados em alugar carros;
  2. A criação de um canal de comunicação da Uber com as locadoras exclusivo, através do WhatsApp.

O programa começou a valer na última quarta-feira (02), mas ainda está em fase beta. Neste primeiro momento, ele somente será válido para as cidades de São Paulo e Brasília. O anúncio ocorre depois de cinco meses de conversas com as empresas do setor. Não há iniciativa similar em outros países nos quais a Uber atua. O Brasil é o piloto.

Uber acredita que o aluguel é o futuro da utilização de veículos

Os executivos da Uber deixaram claro no anúncio que acreditam no aluguel como o futuro da utilização de veículos.

“Na ponta do lápis, vemos que o aluguel do carro é mais barato do que ter o próprio carro, é muito fácil e dá mais flexibilidade, e é muito clara a nossa intenção de incentivar o aluguel do automóvel”, disse a gerente sênior de veículos da empresa para a América Latina, Isabela Banduk.

Isabela fez questão de ressaltar que não é interesse da Uber se tornar uma gestora de ativos, pois a empresa é essencialmente um negócio de tecnologia.

“Fazer conexões é o mais importante para nós. Não sabemos e não temos interesse em gerir ativos. Os especialistas em gestão de ativos, aqui, são as locadoras. Então, é uma relação de ganha-ganha”, disse.

Motorista parceiro é um relevante cliente das locadoras

Quando os aplicativos de transporte começaram a fazer sucesso no Brasil, as locadoras viram a novidade com desconfiança. Entretanto, havia a percepção de que os consumidores prefeririam os motoristas de aplicativo a procurar o aluguel de um veículo. Na verdade, aconteceu um movimento ao contrário: os motoristas parceiros se tornaram um relevante cliente das locadoras.

A Abla não tem uma estimativa de quantos motoristas alugam carros para trabalhar. Há uma grande dificuldade de coletar esses dados com as empresas. A Uber, por sua vez, afirma que, de todos os 600 mil motoristas cadastrados em seu aplicativo, cerca de dois terços não trabalham com carro próprio.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Via Tribuna de Minas