Autor - EDUARDO MENDES

Cade investiga BB, Bradesco Caixa e Santander por dificultar débito automático do Nubank

A superintendência-geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) abriu um processo contra 4 bancos tradicionais por suposta discriminação ao Nubank. O Cade investiga a suposta dificultação de acesso ao débito automático para os clientes da fintech. Com isso, Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal e Santander são os bancos alvo do processo.

É provável que você também goste:

Conheça os riscos da Nova Lei do Cadastro Positivo OBRIGATÓRIO

Cade investiga BB, Bradesco Caixa e Santander por dificultar débito automático do Nubank

Tudo começou quando indícios foram levantados na investigação do Cade em 03/2018. De acordo com o parecer da superintendência, o débito automático é considerado uma facilidade para os correntistas pagarem as faturas do cartão de crédito.

“A não disponibilização do produto para clientes do Nubank pode trazer prejuízos à plataforma, dificultando a manutenção ou captação de novos clientes no mercado”, afirmou o Cade.

O referido inquérito também investigou se os bancos estariam dificultando que o Nubank tivesse acesso aos extratos das transações bancárias de seus correntistas. Contudo, não há evidências de que isso esteja de fato acontecendo.

Agora, o Cade irá aprofundar ainda mais a investigação, considerando a abertura de prazo para que os bancos supramencionados apresentem as suas defesas. Posteriormente, o departamento irá emitir um parecer sobre o caso, e poderá optar pela condenação ou arquivamento do inquérito. Por fim, enviará o processo para o tribunal do conselho, que é o órgão responsável pela decisão final. Entretanto, não há um prazo definido para que isso ocorra.

Bem como disse David Vélez (fundador do Nubank), “Estamos no primeiro minuto do primeiro tempo”. Ou seja, muita coisa ainda vai acontecer até que o Nubank se transforme em algo vital para a sociedade. Inciativas como esta, vão impulsionar cada vez mais essa evolução.

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim, acompanhe artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Banco BS2 define data oficial de lançamento do app do Flamengo

O Flamengo conquistou o título de campeão do Campeonato Carioca de 2019, depois de vencer o Vasco da Gama neste domingo (21) por 2 a 0. Agora, a torcida rubro-negra, tem mais outro motivo para comemorar. O banco BS2, que é o patrocinador master do Flamengo, definiu a data para o lançamento oficial do aplicativo personalizado do clube. De acordo com a apuração do site Coluna do Flamengo, será no dia 1º de maio.

É provável que você também goste:

Tópico da Nucommunity sugere lançar NuCoin, criptomoeda do Nubank

Banco BS2 define data oficial de lançamento do app do Flamengo

Começa hoje, a contagem regressiva para o lançamento oficial do aplicativo, que deve ser lançado no dia do Trabalhador. A contagem regressiva terminará na data estipulada.

Ademais, o Banco BS2 está preparando o lançamento de fundos de investimentos para os torcedores do Flamengo. Isso deverá gerar maior rentabilidade para o investidor rubro-negro. Além disso, outros produtos deverão ser lançados visando agradar aos torcedores. O principal intuito do Banco BS2 é de aproximar o torcedor/cliente do patrocinador.

O Banco BS2 já começou a tomar a iniciativa de aproximação do torcedor com a empresa. Em meados do início de abril, o Banco BS2 fez uma enquete no site para que a torcida pudesse escolher o modelo de cartão para os rubro-negros.

A parceria como patrocinador master do Flamengo – Banco BS2, está prevista com uma duração de vínculo até dezembro de 2020. Cogita-se que o Flamengo receberá pelo menos, R$ 26,2 milhões ao longo deste período, sendo que R$ 11,2 milhões fixos em 2019 e R$ 15 milhões em 2020. Aliás, de acordo com o volume de transações, o clube espera que possa arrecadar algo em torno de R$ 30 milhões por ano, com o patrocínio e parceria.

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter, Instagram. Assim, acompanhe nossas notícias sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Fonte: Coluna do Flamengo

Ourocard-E: um cartão sem anuidade para compras na internet e apps

Você já ouviu falar no cartão virtual Ourocard-E? Pois é, muita gente ainda não o conhece, mas é possível criar um número específico de cartão de crédito para compras na internet ou em aplicativos, ou até mesmo no pagamento de assinaturas. Tudo isso sem que você precise utilizar o seu cartão principal. Conheça todas as vantagens de utilizar o Ourocard-E aqui neste artigo.

É provável que você também goste:

Investidores ganham 2.000% com a maconha e tudo de forma legalizada.

C6 Bank, concorrente do Nubank, lança pedido de convite

Ourocard-E: um cartão sem anuidade para compras na internet e apps

O cartão Ourocard-E é uma opção mais segura de usar o seu cartão de crédito. Em tempos de clonagem de cartões, você se resguarda mais. A maior vantagem de utilizar este cartão é a possibilidade de criar, alterar ou desativar pela internet, sem precisar bloquear o seu cartão de crédito principal no caso de suspeitas na utilização. Ou seja, você nunca mais vai precisar ter o seu cartão em mãos para fazer transações pela internet.

Todas as compras que forem efetuadas no seu cartão virtual serão lançadas na fatura do seu cartão de crédito principal. Você não paga nada mais para obter o cartão virtual. Ao mesmo tempo, é possível consultar todas as suas transações em tempo real através do aplicativo Ourocard, BB ou pelo internet banking.

Além disso, ele é um cartão de crédito sem anuidade, e no caso de pagamento de eventuais anuidades, ela já é cobrada no seu cartão principal.

Como solicitar o cartão virtual Ourocard-E

Todo mundo que já possui um cartão de crédito Ourocard, pode gerar o Ourocard-E através do site do Banco do Brasil ou pelos aplicativos Ourocard ou BB. Ao solicitar o seu cartão virtual, você mesmo define o valor que ele terá de limite, sendo no máximo o limite do seu cartão principal. Você também escolhe a data de validade, a quantidade de transações que vai realizar, o valor máximo permitido por transação, e se ele estará habilitado pra efetuar compras no exterior.

E então, o que achou deste cartão virtual? Já o conhecia? Deixe seu comentário logo abaixo.

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter, Instagram. Assim, acompanhe nossas notícias sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Clientes reclamam de publicidade enganosa do cartão BluBank, sem consulta ao SPC e Serasa

Alguns meses atrás, publicamos uma matéria aqui no site Seu Crédito Digital sobre o cartão Blubank. Basicamente, tratava-se de um cartão de crédito e conta digital que aprovava inclusive quem tivesse restrições no CPF. Portanto, era um cartão sem consulta ao SPC e Serasa. Uma das promessas era a liberação de crédito de até R$ 3.500. Agora de acordo com relatos, os primeiros cartões começaram a ser entregues aos clientes. A reclamação é unânime, propaganda enganosa.

É provável que você também goste:

Investidores ganham 2.000% com a maconha e tudo de forma legalizada.

Super Consignado Bradesco: empréstimo sem consulta ao SPC/Serasa e R$ 1 milhão em prêmios

Clientes reclamam de publicidade enganosa do cartão BluBank, sem consulta ao SPC e Serasa

Para solicitar o cartão Blubank, é preciso entrar no site (não vou colocar o link aqui). Ainda não existe um aplicativo na Google Play Store e App Store, e basta preencher um formulário e pagar uma taxa de R$ 39,99, através de um boleto bancário.

As reclamações dos clientes é especificamente sobre a liberação do limite de crédito. Na verdade, trata-se de um empréstimo realizado pela Simplic, para negativados e com taxa de juros que pode variar de 5,80% a 17,90% ao mês. Ou seja, juros estratosféricos.

O que diz o site do cartão Blubank

No site, há uma descrição das supostas vantagens do cartão. Cabe ressaltar que em nenhum momento fazem a menção de que é um cartão de crédito na modalidade pré-pago.

No site consta que ele é aceito em mais de 2 milhões de estabelecimentos usando a bandeira Mastercard Crédito, que não tem burocracia, é liberado inclusive para quem estiver negativado, além da vantagem de ter uma conta digital associada, dentre outras.

Como desbloquear

No site do cartão Blubank, há uma área que o cliente de posse do cartão e da senha, efetua o desbloqueio. Aí que ele tem a desagradável surpresa de que é um cartão pré-pago.

Conclusão

Tome sempre muito cuidado ao acreditar em falsas promessas na internet, como do cartão Blubank. Muitas delas são golpes, ou simplesmente ludibriam os consumidores na falsa expectativa de obter vantagem. Quem possui restrições no SPC, Serasa ou Boa Vista SCPC, não consegue um cartão de crédito convencional, salvo raras exceções. Temos algumas possibilidades, como o cartão consignado, ou de alguma instituição tradicional que considere o relacionamento como determinante na liberação de crédito.

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim, acompanhe artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Conheça os riscos da Nova Lei do Cadastro Positivo OBRIGATÓRIO

Você deve ter percebido que nas últimas semanas foi aprovada a Nova Lei do Cadastro Positivo. Será que ela é boa para os consumidores ou somente para os bancos e os bureaus de crédito? Aliás são várias empresas, como SPC Brasil, Boa Vista SCPC, Serasa Experian e o mais recente QUOD, que é administrado pelos maiores bancos. Infelizmente, agora não tem mais jeito. Ou seja, você não pode mais optar em aderir por iniciativa própria. A adesão passou a ser automática e obrigatória para todos os brasileiros. Conheça os riscos e consequências disso aqui neste artigo.

É provável que você também goste:

Super Consignado Bradesco: empréstimo sem consulta ao SPC e Serasa e R$ 1 milhão em prêmios.

C6 Bank, concorrente do Nubank, lança pedido de convite.

Conheça os riscos da Nova Lei do Cadastro Positivo OBRIGATÓRIO

Primeiramente, venderam uma ideia que com a Nova Lei do Cadastro Positivo OBRIGATÓRIO tudo vai melhorar. Será mais fácil fazer compras parceladas, abrir conta em banco, conseguir fazer aquele tão sonhado empréstimo, ou obter um cartão de crédito. Porém, não é tão bom assim como parece. Por que será que os bancos tinham tanto interesse nessa lei ser aprovada?

As lojas que são clientes do SPC ou Serasa, podem decidir com mais segurança, se você tem condições de comprar à prazo ou não. Com isso, os lojistas consultam o seu score de crédito, que é calculado através de algoritmos próprios dos Bureaus, que desconhecemos completamente. Embora que algumas dicas para aumentar o score de crédito já elencamos aqui no site para os nossos leitores.

Agora, através da Lei Complementar 166, que foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro neste mês, você pode somente sair do Cadastro Positivo. Ou seja, em julho de 2019, todos os consumidores irão para o Cadastro Positivo de maneira automática. E agora, o que fazer, será que devemos sair do famigerado Cadastro Positivo? Confira alguns aspectos negativos logo a seguir e tire as suas próprias conclusões.

Acesso a informações de toda a população

Imagine as empresas tendo acesso a todas as suas informações financeiras. Ou seja, todas as suas contas, as datas de pagamento, dentre outras informações. Os Bureaus de crédito vivem exclusivamente de bancos de dados, e isso vai ser perfeito, e de graça para essas empresas. Como o negócio dos Bureaus de crédito são os bancos de dados, dos apenas 8 milhões de consumidores que optaram pelo Cadastro Positivo, esse número agora passa para mais de 120 milhões de brasileiros.

Antes da aprovação da lei, os Bureaus de crédito utilizavam duas informações. Eles utilizavam o Cadastro negativo, quando o consumidor não pagava a conta e colocava o devedor no SPC ou Serasa. E também o cadastro positivo, quando você autorizava os Bureaus de crédito a terem conhecimento sobre todas as suas movimentações financeiras. Agora, muito pelo contrário, é preciso solicitar para sair. Saiba como.

Sigilo dos dados

É assustador ter todos os dados à disposição destas empresas. Imagine a possibilidade remota de acontecer um vazamento de informações, tal como aconteceu com a Boa Vista SCPC, alguns meses atrás. Pois é, estaremos correndo ainda mais este risco. Você já deve ter ouvido falar que em São Paulo, vendem até declarações de imposto de renda, imagine essas informações. Será que estarão realmente seguras?

E agora, o que podemos ganar com o Cadastro Positivo?

Foi feita uma campanha massiva pra que fosse aprovada a Lei Complementar 166, com a maior brevidade possível. Os bancos juram que o spread bancária vai cair, mas isso veremos somente com o passar do tempo. Aliás, será que não nos ofereciam menores taxas de juros justamente pela falta de informações dos consumidores? Ou será que existe um oligopólio dos bancos, que definem o percentual de juros que quiserem? Por fim, para chegar a conclusão se vale ou não a pena continuar no Cadastro Positivo, é uma decisão que cabe somente a você. E você, o que achou do artigo? Tem mais alguma informação a acrescentar? Deixe seu comentário logo abaixo.

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter, Instagram. Assim, acompanhe nossas notícias sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

PagSeguro fará pagamento instantâneo aos lojistas no crédito e débito

A guerra das maquininhas continua a todo vapor. Novo sistema do PagSeguro que foi anunciado nesta manhã vai permitir que os comerciantes recebam o pagamento instantâneo das transações no débito e crédito instantaneamente. Entenda como vai funcionar o pagamento instantâneo aos lojistas.

É provável que você também goste:

Investidores ganham 2.000% com a maconha e tudo de forma legalizada.

Caixa avaliará capacidade de pagar contas de luz e água para conceder Minha Casa Minha Vida.

Super Consignado Bradesco: empréstimo sem consulta ao SPC/Serasa e R$ 1 milhão em prêmios

PagSeguro fará pagamento instantâneo aos lojistas no crédito e débito

A PagSeguro, que pertence ao Uol, anunciou na manhã de hoje (22), um novo recurso que vai permitir que os comerciantes recebam os valores em tempo real. O novo sistema de pagamento instantâneo aos lojistas estará disponível no dia 1º de maio.

De acordo com um comunicado da PagSeguro, o recurso vai possibilitar que todos os comerciantes e pessoas físicas que utilizam seus terminais (POS, em inglês) recebam pagamentos de transações com cartões de crédito à vista, parcelado e no débito no mesmo momento da venda. Isso ainda vai acontecer inclusive nos finais de semana e feriados, com custo da liquidação de um dia. A empresa ressalta e garante que é a único adquirente a oferecer essa opção no Brasil.

“Ao lançar esse novo recurso de assentamento, a PagSeguro reforça seu compromisso de focar nas necessidades dos pequenos comerciantes, melhorar seu ecossistema e apoiar o crescimento de seus clientes”, diz a empresa, no comunicado.

Na semana passada, a Rede, do Itaú Unibanco, anunciou a isenção da antecipação de recebíveis de cartões de crédito à vista para clientes, desde que recebam seus pagamentos no Itaú Unibanco. Pouco tempo antes, a GetNet, que pertence ao Santander Brasil, reduziu as taxas das transações nas modalidades de débito e crédito à vista para 2% e o prazo de pagamento, que tradicionalmente é de 30 dias, para apenas dois. E agora, surge essa notícia do pagamento instantâneo aos lojistas pela PagSeguro.

Vamos aguardar pelos próximos capítulos. Essa guerra das maquininhas ainda vai ser muito mais vantajosa para os usuários se continuar neste ritmo.

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Assim, acompanhe artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Porto Seguro cancela cartões de crédito pelo pouco uso do limite

Recentemente, o Canal Cartões de Crédito Alta Renda publicou um vídeo alertando sobre um novo fato que está acontecendo. A Porto Seguro Cartões está cancelando cartões de crédito dos usuários em função da baixa utilização do limite. Saiba mais.

É provável que você também goste:

Investidores ganham 2.000% com a maconha e tudo de forma legalizada.

C6 Bank, concorrente do Nubank, lança pedido de convite

Porto Seguro cancela cartões de crédito pelo pouco uso do limite

Primeiramente, estão sendo enviados e-mails aos clientes informando sobre o cancelamento:

“Por questões de segurança, seu Cartão de Crédito Porto Seguro Visa Infinite, incluindo os adicionais, serão cancelados devido a baixa utilização.

A ação está prevista no item 21.1. do Contrato de Emissão e Utilização do Cartão de Crédito Porto Seguro, abaixo transcrito:

21.1. Poderá a EMISSORA rescindir de imediato este Contrato com o consequente cancelamento do CARTÃO, a qualquer tempo, independentemente de aviso prévio ou qualquer comunicação escrita ao ASSOCIADO.

Importante: Os débitos pendentes serão postados normalmente em sua fatura para pagamento.

Atenciosamente,

Porto Seguro Cartões.”

Isso muito provavelmente acontece porque os limites que não estão sendo utilizados são automaticamente transferidos para outros clientes potenciais, que podem estar utilizando esse limite ocioso. Da mesma forma que o Nubank está cancelando cartões de crédito, outras emissoras de cartões também utilizam dessa prática.

Portanto, se você não estiver utilizando o seu limite, tanto de um cartão Porto Seguro, bem como outros disponíveis por aí, saiba que você pode ser pego de surpresa, mediante o recebimento de uma notificação como esta que mencionamos aqui.

Confira o vídeo que o Leandro Vieira postou no seu Canal logo a seguir.

Enfim, gostou da notícia?

Então nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim, acompanhe artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos e empréstimos. Por fim, bem como tudo relacionado ao mundo das fintechs.

Tópico da Nucommunity sugere lançar NuCoin, criptomoeda do Nubank

A Nucommunity é um lugar onde os fãs do Nubank e demais pessoas interessadas podem trocar experiências, dando ideias e sugestões para a fintech. Recentemente, foi levantada a discussão por alguns usuários sobre a criação da NuCoin, a primeira criptomoeda de uma instituição financeira no Brasil.

É provável que você também goste:

Ourocard-E é um cartão virtual sem anuidade para compras na internet

Saiba os riscos da Nova Lei do Cadastro Positivo OBRIGATÓRIO

Tópico da Nucommunity sugere lançar NuCoin, criptomoeda do Nubank

O Nubank é uma das empresas que mais cresceram nos últimos anos. Através do seu cartão de crédito sem anuidade, o roxinho, a fintech ficou bastante popular entre os jovens e neste momento já possui mais de quatro milhões de usuários em todo o Brasil. Em 2018 a empresa chegou a marca de US$ 1 bilhão de dólares, fazendo do Nubank um “unicórnio”. Ou seja, startups que alcançam essa marca de cotação no mercado. Com tanta popularidade, realmente seria plausível a criação de uma criptomoeda.

Em uma postagem no fórum, a usuária Larissa sugeriu que a fintech deveria lançar a sua versão de Bitcoin no mercado, o NuCoin. Ela ainda fala também sobre a tecnologia blockchain, bem como o poder de integração com os serviços oferecidos pelo Nubank. O tópico teve vários comentários positivos, sendo apoiado por outros clientes que também aprovaram a ideia.

Outros usuários também teceram comentários a respeito da NuCoin. Como o usuário felipether, que menciona vários aspectos que poderiam ser explorados pelo Nubank. Ele fala sobre a ignorância de nossos parlamentares, as dificuldades em bancarizar as empresas de criptomoedas, e até sobre a possibilidade da inclusão de uma carteira de Bitcoin no aplicativo.

E então, o que você achou da ideia sobre a NuCoin? Deixe seu comentário logo abaixo.

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter, Instagram. Assim, acompanhe nossas notícias sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Como conseguir um empréstimo para MEI mesmo com o nome sujo?

Todos sabem o quanto é complicado conseguir um empréstimo quando se está com o nome sujo na praça. E isso independe da finalidade, pois qualquer que seja a sua solicitação, fatalmente esbarra na análise de crédito. O maior problema, é que justamente você precisa de um dinheiro para quitar as dívidas, limpar o nome, ou investir no seu negócio próprio. Aliás, conseguir um empréstimo para MEI torna-se um pouco mais complicado, porque muitas vezes não conta com um comprovante de renda, ao contrário de quem é assalariado. Entretanto, não perca as esperanças. Existem algumas alternativas que podem ajudar você mesmo com o nome sujo. Confira!

Como conseguir um empréstimo para MEI mesmo com o nome sujo?

Penhor da Caixa

Como conseguir um empréstimo para MEI mesmo com o nome sujo?

O Penhor da Caixa é muito fácil de fazer e dispensa a apresentação de documentos adicionais, como um comprovante de residência, que muitas vezes o MEI não possui. Para isso, basta ir presencialmente até uma agência da Caixa que possua Penhor, levando jóias, metais nobres, diamentes lapidados, pérolas, relógios, canetas e pratarias (desde que sejam originais ou de valor).

O valor mínimo do empréstimo é de R$ 50 e o valor máximo é de R$ 100 mil por cliente, sendo o correspondente a até 85% do bem. Você tem de 30 a 180 dias para quitar o empréstimo, e caso não pague no prazo, poderá ser o seu bem leiloado. Para conferir maiores informações desta modalidade de crédito, leia este artigo aqui, que produzimos anteriormente.

Empréstimo com garantia de imóvel

O empréstimo com garantia de imóvel, ao contrário do que muita gente imagina, esta é a modalidade de crédito ideal para quem precisa de dinheiro, com pouca burocracia e com a menor taxa de juros. Através de um empréstimo com garantia de imóvel, você consegue até 50% do seu valor em crédito e pagar em até 180 meses, como o do Banco Inter, por exemplo.

Empréstimo com garantia de veículo

Outra modalidade de crédito que não deixa de ser vantajosa é o empréstimo com garantia de veículo. Da mesma forma que o anterior, você precisa ter um veículo quitado e oferecê-lo como garantia em um empréstimo para MEI. Com isso, consegue taxas de juros que podem ainda mais atrativas do que o empréstimo consignado. Caso queira conferir maiores informações, leia este artigo que publicamos anteriormente aqui no nosso site.

Uma outra possibilidade de fazer um empréstimo para MEI é através do banco em que você mantém relacionamento. Certamente, será bem mais fácil de comprovar a sua renda, pois você movimenta a conta por lá. Neste caso, para profissionais informais, freelancers ou autônomos, o extrato da sua conta bancária pode ser suficiente. Entretanto, ter em mãos a declaração do imposto de renda pode ser importante.

O que fazer se não conseguir um empréstimo para MEI?

Nós do site Seu Crédito Digital costumamos indicar aos nossos leitores a fintech Bom Pra Crédito para quem estiver precisando de dinheiro. Portanto, caso tenha interesse em pedir empréstimo com eles, clique aqui neste link.

Como pode ver, é possível sim fazer um empréstimo para MEI mesmo com nome sujo. Agora que você já sabe como proceder, não perca mais tempo. Mude a sua vida ainda hoje, invista no seu próprio negócio ou limpe seu nome.

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter, Instagram. Assim, acompanhe nossas notícias sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Cartão de crédito clonado é principal fraude sofrida pelos consumidores

Sem dúvidas, o cartão de crédito é uma das formas mais populares de pagamento no mundo inteiro. Contudo, é necessário ter muito cuidado. Um recente levantamento realizado pela CNDL e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), revelou que 8,9 milhões de brasileiros foram vítimas de fraude nos últimos 12 meses. E ainda, a maior parte dessas ocorrências (41%) está relacionada ao cartão de crédito clonado.

É provável que você também goste:

Super Consignado Bradesco: empréstimo sem consulta ao SPC e Serasa e R$ 1 milhão em prêmios.

Cartões sem consulta ao SPC/Serasa: confira 5 opções para você.

Cartão de crédito clonado é principal fraude sofrida pelos consumidores

Além da clonagem do cartão de crédito, o segundo golpe mais comum observado pelo estudo é o recebimento de boletos falsos. Este ocorre em 13% das ocorrências. Outras fraudes também foram detectadas com grande intensidade. Como a contratação de empréstimos e financiamento, todos com o mesmo nível de incidência (11%).

De acordo com o levantamento, quase a metade (48%) das fraudes ocorreu em transações ou compras realizadas na internet. Outros 20% dos golpes aconteceram nas operações realizadas em agências bancárias ou financeiras. Por fim, aproximadamente 15% em lojas físicas. Quanto às principais consequências enfrentadas pelas vítimas de ações fraudulentas estão as compras indevidas em nome da pessoa (37%) e os prejuízos financeiros (24%).

Entretanto, ainda ocorrem problemas relacionados à perda de tempo com processos burocráticos para regularizar a situação. Outra menção grave é a inclusão indevida em cadastros de inadimplentes, deixando a pessoa com o nome sujo. Isso impossibilita a realização de compras através de crédito — ambas situações com 22% das citações.

Crimes como o do cartão de crédito clonado podem causar sérios danos ao consumidor. Isso porque ele tem as suas informações pessoais utilizadas para fins fraudulentos. Na avaliação do superintendente de produtos e operações do SPC Brasil, Nival Martins, os transtornos ocasionados por estelionatários podem comprometer não somente a saúde financeira dos consumidores que acabam caindo nesses golpes.

“Além dos prejuízos financeiros, existe o constrangimento de, muitas vezes, ser incluído indevidamente em cadastros de devedores. Sem contar a burocracia para abrir boletim de ocorrência e avisar os órgãos competentes sobre o ocorrido”, alerta.

SPC Brasil dá algumas dicas para o consumidor evitar risco de fraudes, como a clonagem do cartão de crédito:

  • Antes de fazer qualquer compra, certifique-se sobre a idoneidade do estabelecimento comercial. Pesquise sobre a reputação da empresa e redobre atenção em sites de comércio eletrônico. Os canais de venda virtuais são obrigados a fornecer dados, como razão social, endereço, telefone e CNPJ;
  • Desconfie de produtos com preço muito abaixo do praticado pelo mercado e sempre exija nota fiscal. Essas atitudes resguardam o consumidor, caso ele tenha que fazer uma eventual troca do produto ou venha pedir algum ressarcimento;
  • Jamais forneça dados pessoais ou bancários por telefone. Contudo, caso tenha de atualizar algum cadastro, procure pessoalmente a instituição financeira. Ou então ligue diretamente para o serviço de atendimento ao consumidor;
  • Em caso de perda, roubo, furto ou extravio de documentos pessoais, é necessário que a vítima realize o Boletim de Ocorrência (B.O.). Com o boletim de ocorrência em mãos, o consumidor deve comparecer, pessoalmente, em um balcão de atendimento do SPC Brasil com um documento de identificação para fazer um ‘Alerta de Documentos’ — serviço que é gratuito.

SPC Avisa

O SPC Brasil liberou também gratuitamente por 30 dias o SPC Avisa, que faz o monitoramento de CPFs para evitar fraudes. Portanto, com o serviço o consumidor pode ser notificado por e-mail, em até 24 horas, sobre qualquer movimentação em seu documento. Como por exemplo, consultas para a realização de compras a prazo, bem como a verificação de nome restrito, inclusão de registros de inadimplência, alteração de dados cadastrais, entre outros. Com essa ferramenta, você evita fraudes na utilização do seu CPF, inclusive o cartão de crédito clonado.

Gostou da notícia?

Siga-nos nas redes sociais FacebookTwitter Instagram para continuar acompanhando os artigos sobre cartão de crédito, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado às fintechs.