Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Valor do Bolsa Família foi reduzido? Entenda o que aconteceu

Valor do Bolsa Família foi reduzido. Saiba os motivos da alteração e como isso afeta os beneficiários do programa.

Recentemente, o programa Bolsa Família, conhecido por amparar financeiramente famílias em condições de vulnerabilidade, passou por modificações significativas que impactaram o valor recebido pelos beneficiários.

Especialmente, a introdução da Regra de Proteção gerou dúvidas e preocupações entre aqueles que contam com este auxílio. Vamos explorar os detalhes destas mudanças e entender como os beneficiados podem reaver o valor integral.

Originada como um mecanismo de apoio a famílias de baixa renda, o Bolsa Família enfrenta desafios com a instauração de novas regras. A controversa Regra de Proteção foi estabelecida com o objetivo de oferecer uma transição financeira mais suave para famílias.

Quem é elegível para o Bolsa Família?

Mão segurando celular com tela mostrando nome do programa Bolsa Família
Imagem: rafapress / shutterstock.com

O Bolsa Família é destinado a famílias que vivem em pobreza ou extrema pobreza. Para se qualificar, a renda per capita deve ser de no máximo R$ 218,00, e é fundamental que a família esteja cadastrada e com informações atualizadas no CadÚnico.

Além de atender a esses critérios de renda, as famílias devem cumprir com requisitos adicionais como manutenção das crianças na escola e acompanhamento regular de saúde e vacinação.

A redução no valor para alguns beneficiários advém diretamente da implementação da Regra de Proteção, efetuada a partir de junho de 2023. Esta regra diminui pela metade o valor do benefício para famílias cuja renda per capita está entre R$ 218,00 e R$ 660,00. A medida busca incentivar a autonomia financeira, garantindo um apoio contínuo por um período transicional.

Como funciona a Regra de Proteção?

A Regra de Proteção no Bolsa Família foi desenvolvida para apoiar famílias que alcançam uma melhoria na renda por meio de empregos formais ou iniciativas de empreendedorismo. Dessa forma, mantendo parte do benefício por um tempo determinado.

Por exemplo, se uma família que recebe R$ 600,00 mensais do Bolsa Família passa a ter uma renda per capita de R$ 700,00 devido a um novo emprego, esta não perderá de imediato toda a ajuda financeira.

Em vez disso, receberá R$ 300,00, ou seja, 50% do valor original, por um período de dois anos. Caso a renda volte a cair abaixo do limite estabelecido, a família pode ser reincluída no programa com prioridade.

Adicionais por dependente

Além do pagamento básico, o Bolsa Família oferece adicionais por dependente, visando ajudar com as despesas de crianças e adolescentes em idade escolar, gestantes e lactantes.

Essa estratégia assegura que as famílias não apenas recebam suporte financeiro, mas também incentiva a manutenção de cuidados essenciais à saúde e educação.

Veja também:

Anatel lança ferramenta que compara preços de pacotes de celular, internet e TV

Se o valor do seu Bolsa Família diminuiu e sua renda familiar permanece inalterada, é importante revisar e atualizar os dados. Assim, é possível restabelecer o valor integral do benefício, garantindo que a assistência governamental cumpra seu papel de proteção social.

Imagem: rafapress / shutterstock.com