Sendo bem utilizado, o cartão de crédito pode ser um excelente aliado para controlar as suas finanças. Contudo, é preciso tomar cuidado para não cair no juros do rotativo, que pode se transformar em uma verdadeira bola de neve, gerando endividamento e inadimplência. Pensando nisso, elenquei aqui neste artigo 5 dicas para fugir do rotativo do cartão de crédito. Confira.

Leia também:

3 bancos que lançaram cartão de crédito sem anuidade para competir com o Nubank.

Saiba como fazer um empréstimo no Bradesco sem consulta ao SPC e Serasa.

Confira 5 dicas para fugir do rotativo do cartão de crédito

1) Utilize menos limite de crédito

Utilize no máximo 50% da sua renda total entre todos os cartões de crédito que você possui. Isso evitará gastar mais do que você recebe. Prefira concentrar a sua despesa em no máximo três cartões de crédito. Calcule o valor máximo que você pode ter de crédito disponível e repense qual o limite máximo que você pode ter.

2) Tome cuidado com a facilidade

Preste bem atenção. A facilidade no uso do cartão de crédito induz os usuários a imaginarem uma situação virtual, sem a criação de dívidas. Na verdade, tudo que você gastar terá severas consequências no seu orçamento. Portanto, pense bem antes de comprar.

3) Evite compras por impulso

Tenha muita responsabilidade na hora de comprar. Ou seja, questione-se a si mesmo se possui o dinheiro disponível para pagar por determinado produto ou serviço antes de assumir parcelas que não caibam no seu bolso.

4) Prefira compras à vista

Sempre que pensar em gastar todo o limite do cartão de crédito, repense essa decisão. É muito melhor economizar e comprar à vista, sem comprometer o seu orçamento ao longo dos meses.

5) Jamais pague a parcela mínima

Como última dica, não poderia deixar de faltar. Pague sempre o valor integral da fatura. Jamais pague a parcela mínima. Isso porque as taxas de juros cobradas acabam levando o usuário ao descontrole e consequentemente à inadimplência. Caso aconteça de não conseguir pagar, procure uma linha de crédito com taxa de juros com no máximo 2%, como o empréstimo consignado, por exemplo.

Enfim, gostou da notícia?

Então nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim, acompanhe artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos e empréstimos. Por fim, bem como tudo relacionado ao mundo das fintechs.

Sobre o autor Ver todos os posts

EDUARDO MENDES

Sou um entusiasta da tecnologia, que também aprecia inovação, empreendedorismo, além de Fintechs e as suas facilidades.
Graduado em Administração de Empresas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e fundador dos sites Optclean Tecnologia, Conexão Estudante e Seu Crédito Digital.

Comentários no Facebook