Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Afinal, como o período de carência do INSS funciona?

Descubra agora o mistério por trás da carência no INSS e garanta sua aposentadoria tranquilamente. Saiba o tempo exato de contribuições!

Quando falamos sobre os benefícios previdenciários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), um termo fundamental que todos devemos conhecer é a carência. Muitas pessoas se perguntam sobre o número mínimo de meses necessários de contribuição para acessar a aposentadoria ou outros benefícios. Hoje, esclareçamos as suas dúvidas e mostrar porque é essencial manter as contribuições sempre em dia.

A carência é, basicamente, como um período probatório que você precisa cumprir para ter direito aos benefícios previdenciários. Imagine esse sistema como um seguro que você contribui ao longo dos anos, e que irá lhe prover cobertura na terceira idade ou em caso de necessidades específicas como auxílio-doença e salário-maternidade.

O que exatamente é a carência no INSS?

Um celular mostra na tela 'INSS', um cofre de porquinho rosa está ao lado e cédulas de 50 e 100 reais em baixo.
Imagem: rafastockbr / Shutterstock.com

Carência é o tempo mínimo que você precisa contribuir para poder usufruir dos benefícios oferecidos pelo INSS. Esse período é contado cumulativamente, e é essencial para garantir que você esteja assegurado em eventualidades ou na sua velhice. Apesar de ser um conceito simples, muitas vezes é mal interpretado ou desconhecido pelos cidadãos.

Manter um fluxo constante de pagamentos ao INSS é crucial. Isso não apenas garante que você esteja qualificado para receber os benefícios quando necessário, mas também impacta diretamente na sua tranquilidade futura. Regularizar contribuições pendentes pode ser um processo demorado e custoso, reforçando a importância de se manter regular desde o início.

Veja também:

Teve o Bolsa Família cancelado? Saiba como reverter a decisão

Como a reforma previdenciária afetou a carência e contribuição?

Até novembro de 2019, a carência e o tempo de contribuição eram contados de maneiras distintas. Após a reforma, ambos passaram a ser medidos por competência, ou seja, cada mês de contribuição deve ser igual ou superior ao salário mínimo para ser válido. Isso realça a necessidade de estar atento ao valor e à regularidade de cada contribuição, evitando surpresas desagradáveis no futuro.

  • Pagar as contribuições regularmente e sem atrasos.
  • Garantir que cada contribuição seja igual ou superior ao salário mínimo.

Dessa maneira, esses cuidados são fundamentais para assegurar a acumulação correta de carência e evitar inconvenientes no momento de solicitar os benefícios. Dessa maneira, fica evidente que é muito melhor se prevenir e contribuir adequadamente, garantindo todos os direitos assegurados pela Previdência Social.

Imagem: Angela_Macario / shutterstock.com