Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Agências da CAIXA e do Banco do Brasil sofrem ataques nesta quinta-feira (30)

Agências da CAIXA e do Banco do Brasil foram alvo de ataques na madrugada desta quinta-feira (30). Saiba mais informações.

Agências da CAIXA e do Banco do Brasil sofreram ataques de uma quadrilha na cidade de Paraibuna, interior de São Paulo, que possui cerca de 17,6 mil habitantes. Os crimes aconteceram na madrugada desta quinta-feira (30).

Durante as ações, os bandidos utilizaram armamentos e bombas para destruir as unidades bancárias. Há registros feitos por moradores no momento das explosões. Saiba mais informações sobre esse ataques na sequência.

Agências da CAIXA e do Banco do Brasil sofrem assalto no interior de São Paulo

Fachada de uma agência da Caixa Econômica Federal.
Imagem: SERGIO V S RANGEL / shutterstock.com

A primeira explosão verificada ocorreu na agência do Banco do Brasil, localizada na Rua Major Ubatubano, no centro da cidade. Após a explosão, é ainda possível ver, em gravações de moradores, um homem armado caminhando em direção à agência explodida.

Ademais, a agência da Caixa Econômica Federal que fica na praça Monsenhor Ernesto Almírio Arantes, a menos de 250 metros de distância da unidade do Banco do Brasil, também sofreu ataques. A ação dos criminosos deixou as duas agências com danos significativos, mas não há relatos de pessoas feridas.

No início da manhã, após o ataque, o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) de São Paulo compareceu à cidade para verificar a possibilidade de existência de mais explosivos nas agência. Houve o isolamento das áreas foram para averiguação.

O que aconteceu após a ação criminosa?

Dessa forma, com o deslocamento da força policial às agências da CAIXA e do Banco do Brasil, os criminosos fugiram pela Rodovia dos Tamoios, em direção ao litoral norte de São Paulo. Não houve a prisão de nenhum membro da quadrilha, no entanto. A Polícia Civil acredita que a quantia subtraída das agências seja em torno de R$ 150 mil.

Na agência do Banco do Brasil, por exemplo, os policiais encontraram uma mochila vazia. Há a possibilidade de seu uso pelos criminosos. Impressões digitais presentes nessa bolsa podem ser úteis para identificar o grupo responsável pelo crime.

Imagem: SERGIO V S RANGEL / shutterstock.com