Tag - Banco do Brasil

Saque de até R$ 998,00 do PIS/Pasep na Caixa e Banco do Brasil é até o fim do mês

Saque de até R$ 998,00 do PIS/Pasep na Caixa e Banco do Brasil é até o fim do mês

O saque do PIS/Pasep se encerra, este mês, no dia 28 de junho. Segundo o BB e a Caixa, R$ 1,4 bilhão de reais está disponível para saque. Os recursos são referentes ao ano base de 2017.

É provável que você também goste:

Governo pode liberar recursos do FGTS antes da reforma da Previdência.

Seu salário pode ser descontado por atraso ou falta por causa da greve?

Campanha da Caixa já renegociou dívida com desconto de até 90% de 125 mil negativados.

Quem pode fazer o saque do PIS/Pasep?

Saque do PIS/Pasep

Tem direito ao saque, os servidores públicos e trabalhadores que, em 2017, estiveram empregados com carteira assinada por, pelo menos 30 dias, e receberam até dois salários mínimos por mês.

Contudo, o trabalhador deve estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos 5 anos.

Em relação ao valor do abono salarial a receber, dependerá do número de meses trabalhados. Isso vai variar, de R$ 84,00 a um salário mínimo de R$ 998,00.

Até o dia 28 de junho, PIS/Pasep estará disponível para os nascidos em qualquer mês

Embora os benefícios sejam liberados de forma escalonada e de acordo com o mês de nascimento, até o dia 28 de junho, o PIS/Pasep estará disponível para os nascidos em qualquer mês.

Pagamentos na Caixa e no BB

O PIS é pago pela Caixa Econômica Federal, e o Pasep, que é destinado aos funcionários públicos, é liberado pelo Banco do Brasil.

Como sacar

Para os trabalhadores de empresa privada, faça o saque com o Cartão Cidadão no caixa eletrônico ou nas lotéricas da Caixa. Se, por acaso, você não possua o Cartão Cidadão, saque em qualquer agência da Caixa Econômica Federal, leve um documento de identificação.

Por fim, os servidores públicos precisam verificar se o depósito foi realizado nas contas do Banco do Brasil. Caso não tenha sido feito o depósito, se dirija a uma agência portando o seu documento de identificação.

Enfim, gostou da notícia sobre o saque do PIS/Pasep?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter, Instagram. Assim, acompanhe notícias sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Banco do Brasil oferece atendimento por assistente de voz do Google

Banco do Brasil oferece atendimento por assistente de voz do Google

Os correntistas do Banco do Brasil têm à sua disposição uma solução inédita no sistema financeiro do país. É possível ter atendimento através do assistente de voz do Google. É isso mesmo! Para isso, basta simplesmente falar: “OK, Google… falar com o Banco do Brasil”.

É provável que você também goste:

Fintech faz compra parcelada em até 10x sem usar o limite do cartão

60% dos brasileiros devem ir às compras no Dia dos Namorados, diz SPC Brasil

Banco Central quer permitir contas em dólar no Brasil.

Banco do Brasil oferece atendimento por assistente de voz do Google

De acordo com o Banco do Brasil, o atendimento por assistente de voz do Google é inédito entre as instituições financeiras. Através dele, tanto pessoas físicas quanto jurídicas poderão obter atendimento tão facilmente quanto fazer uma pesquisa no gigante das buscas.

O recurso está disponível tanto para smartphones com sistema operacional Android quanto para o iOS. Contudo, para os usuários de iPhones, é necessário instalar o aplicativo Google Assistente.

Entretanto, em uma primeira etapa, a tecnologia apresenta algumas funcionalidades para pessoas físicas e jurídicas. Como a emissão de senhas para atendimento presencial e a localização de agências. Ao falar “Encontre o BB”, o cliente poderá consultar endereços e traçar a rota por meio do Google Maps.

WhatsApp

Além do atendimento por assistente de voz do Google, o Banco do Brasil anunciou novos recursos para o atendimento por inteligência artificial através do WhatsApp. Através do App é possível fazer consultas, transferências, pagamentos e saques.

Agora, o correntista do BB pode pagar boletos com através de fotografias e solicitar atendimento por meio de mensagens de áudio. O usuário também pode cadastrar um apelido para o bot, que é o robô que faz o atendimento.

O aplicativo do BB também trouxe algumas novidades na última atualização. Ou seja, a função “Pagar e Receber”, através da qual é possível transferir ou receber recursos por meio de Códigos QR (desenho que aparece na tela para ser escaneado) agora está disponível para transações entre bancos diferentes e permite monitorar e controlar quem fez os pagamentos.

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter, Instagram. Assim, acompanhe notícias sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

5 maiores bancos do Brasil ainda concentram mais de 80% dos depósitos e empréstimos

5 maiores bancos do Brasil ainda concentram mais de 80% dos depósitos e empréstimos

O Relatório de Economia Bancária foi divulgado pelo Banco Central (BC), e revelou que os cinco maiores bancos do Brasil concentraram mais de 80% dos empréstimos e depósitos em 2018.

É provável que você também goste:

Ações de correção do FGTS pela inflação têm chances de ganhar?

Justiça autoriza bloqueio dos cartões de crédito e passaporte de devedor.

900 mil clientes já receberam convite para a função débito do Nubank, quando você será o próximo?

5 maiores bancos do Brasil concentraram mais de 80% dos depósitos e empréstimos em 2018

Itaú, Caixa, Santander, Bradesco e Banco do Brasil concentraram mais de 80% dos depósitos e empréstimos no país.

De acordo com os dados divulgados pelo BC, 84,8% dos empréstimos foram concedidos pelos cinco bancos. Isso significa, portanto, que de cada R$ 10 emprestados, R$ 8,48 eram financiados pelo Banco do Brasil, Santander, Caixa Econômica Federal, Itaú Unibanco e Bradesco.

Já no caso os ativos totais, os cinco maiores bancos concentravam 81,2% em 2018, uma redução de 1,4 ponto percentual em relação a 2017. Ou seja, a cada R$ 10, R$ 8,12 estavam com os maiores bancos do país.

Entretanto, segundo o BC, houve uma queda da concentração, com destaque para a redução das participações de BB e Caixa.

Leia também:

Bolsonaro vai privatizar os Correios e outras estatais na sequência.

Empréstimo sem consulta ao SPC e Serasa até R$ 5.000?

Enfim, gostou da notícia?

Então nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim, acompanhe artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Fonte: Uol.

MP, Defensoria Pública e BB fecham acordo para que servidores não sejam negativados no SPC e Serasa

MP, Defensoria Pública e BB fecham acordo para que servidores não sejam negativados no SPC e Serasa

MP, Defensoria Pública e BB fecham acordo para que os servidores não sejam negativados no SPC e Serasa. Na última quinta-feira (16), um Termo de Ajustamento de Consuta (TAC) foi assinado entre o Ministério Público do RIO (MPRJ), a Defensoria Pública do Rio e o Banco do Brasil. O acordo trata de que os servidores estaduais do RJ não tenham o nome negativado por empréstimo descontado em folha não repassado do governo para a instituição financeira.

Leia também:

Nubank deixa escapar que pode lançar três novos produtos em breve.

Projeto de lei permite saque do FGTS para pagamento de IPVA, IPTU e imposto de renda.

MPRJ, Defensoria Pública e BB fecham acordo para que servidores não sejam negativados no SPC e Serasa

Além disso, o acordo determina que o BB cobre da administração pública os valores que não foram repassados e devolva ao servidor, em dobro, o que foi descontado pelo governo e o banco.

A ação civil foi protocolada em 2017, na época em que os servidores e pensionistas do estado estavam recebendo salários atrasados e de forma parcelada.

Dupla cobrança é prática abusiva

A dupla cobrança ao servidor é considerada uma prática abusiva. Por isso, em 2017, o Ministério Público do Rio e a Defensoria Pública moveram ações civis públicas contra 26 bancos. No mesmo ano, a legislação estadual também proibiu essa prática.

MPRJ pede para BB não exigir o valor do empréstimo consignado

O MPJR, além disso, pediu ao Banco do Brasil, que não exija do servidor o valor do empréstimo consignado quando se comprovasse que o valor não repassado foi devidamente descontado da remuneração.

MP, Defensoria Pública e BB fecham acordo para que os servidores não sejam negativados no SPC e Serasa

Ademais, foi pedido também que os nomes das pessoas “não fossem incluídos em cadastros restritivos, sob a alegação de que, em razão do atraso no pagamento do servidor público estadual e da crise que assola as contas do Estado, ocorreu o atraso ou a falta de repasse das parcelas (sem culpa do consumidor)”, diz a nota.

De acordo com o MPRJ e a Defensoria Pública, o banco negativava o nome do servidor ou ainda entrava na sua conta para cobrar o crédito.

BB pagará multa de R$ 10 mil caso descumpra as obrigações

“Pelo TAC celebrado, o Banco do Brasil compromete-se ao pagamento de multa no valor de R$ 10 mil, por contrato e a ser revertido na conta de cada consumidor, caso descumpra as obrigações”, afirma o acordo.

O Banco do Brasil, no entanto, informou que, antes da assinatura do TAC, já cumpria os requisitos previstos. Além disso, a instituição financeira declarou que não houve servidores incluídos no cadastro restritivo. E afirmou que não há valor cobrado indevido para que seja devolvido ao servidor.

Enfim, gostou da notícia?

Então, siga Seu Crédito Digital no Google News. Receba em primeira mão notícias sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Fonte: Extra.

5 razões para você não optar pelo OuroCard Fácil do Banco do Brasil

5 razões para você não optar pelo OuroCard Fácil do Banco do Brasil

No ano passado, o Banco do Brasil lançou um cartão de crédito com objetivo de competir com fintechs como Nubank. Trata-se do OuroCard Fácil, sem cobrança de anuidade desde que o cliente gaste pelo menos R$ 100 todos os meses. Entretanto, diante da oferta de inúmeros cartões de crédito sem anuidade, será que vale tanto a pena assim? Portanto, aqui neste artigo, confira 5 razões para você não optar pelo OuroCard Fácil do Banco do Brasil. Confira.

É provável que você também goste:

Mercado Pago agora permite envio de dinheiro no mesmo dia para os usuários.

Crédito Confiança Dacasa Financeira: empréstimo para ‘salvar’ negativados.

Quais os bens que podem ser penhorados por falta de pagamento?

OuroCard Fácil

O OuroCard Fácil não é o primeiro cartão de crédito da estatal que veio para competir com fintechs como o Nubank, Agibank, Neon, entre outras. O Banco do Brasil em parceria com o Bradesco, possuem o cartão Digio, emitido pelo Banco CBSS, que é controlado por estas instituições. Ademais, o Banco do Brasil também possui mais dois cartões de crédito que existem já há um bom tempo e que não cobram anuidade. Os cartões Saraiva e cartão de crédito Petrobras, que são emitidos através de parcerias.

O grande diferencial do OuroCard Fácil é o fato dele ser 100% digital, e inclusive com a solicitação através do aplicativo. Inclusive você gerenciar praticamente tudo pelo aplicativo. Ou seja, você vai se desvencilhar por completo da burocracia do atendimento presencial em um banco convencional, mesmo que não utilize uma fintech. Contudo, existem algumas razões para não optar por este cartão de crédito. Confira-as logo a seguir.

5 razões para você não optar pelo OuroCard Fácil do Banco do Brasil

1) O Ourocard Fácil tem anuidade

Infelizmente, ele não é um cartão de crédito sem anuidade. É necessário gastar pelo menos R$ 100 todos os meses para conseguir a isenção proporcional relativa aquele mês. O valor da anuidade é de R$ 60, e a mensalidade é de R$ 5.

Mesmo que você acredite que vai gastar todos os meses R$ 100, ao contrário do que você imagina, isso é mais fácil de acontecer do que parece. Principalmente se você possui vários cartões, e acaba diluindo os seus gastos entre eles. Ou seja, quem não usa regularmente o cartão de crédito vai pagar anuidade.

2) Ele começa com um limite menor que os seus concorrentes

O Banco do Brasil é bem conservador com relação aos limites disponibilizados. Sem dúvidas, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal são as instituições financeiras mais burocráticas da atualidade para aumentar o limite do seu cartão de crédito. Normalmente isso somente pode ser feito presencialmente em uma agência.

O valor inicial é relativamente baixo se você comparar com o Credicard Zero, por exemplo, que começa já com um limite inicial de pelo menos R$ 1.000. Ademais, fintechs como Nubank por exemplo, costumam aumentar o limite progressivamente de acordo com a utilização do usuário e com a pontuação de score de crédito;

3) Disponibiliza limite unificado entre os cartões OuroCard do BB

Caso você já possua um cartão de crédito do Banco do Brasil tenha em mente que o seu limite será unificado caso solicite um OuroCard Fácil. Com isso, os gastos em determinado cartão interferem nos demais. Isso faz parte da política de concessão de crédito do Banco do Brasil e acaba prejudicando justamente aqueles clientes que já possuem o limite de crédito reduzido.

Acho importante ressaltar este fato, pois muitos clientes acabam solicitando vários cartões de crédito, e desconhecem essa particularidade. Por exemplo, se determinado cliente já possui um cartão de crédito Petrobras e solicitar o OuroCard Fácil, o limite vai ser compartilhado. A única vantagem é o cartão com a segunda bandeira normalmente poderá ser isento da tarifa de anuidade.

4) Não possui um bom programa de recompensas

Quem prefere participar de um programa de recompensas, é melhor optar por outro cartão. Ou seja, ele não oferece praticamente nada de benefícios. Você não participa do Programa Pontos Para Você. No entanto, pode conseguir alguns descontos e parcelamentos na compra de ingressos de shows de artistas patrocinados pelo Banco do Brasil.

5) Esteticamente é um cartão muito feio

Uma das maiores críticas dos internautas refere-se a estética deste cartão de crédito. Ele é muito feio (minha opinião), e há uma enxurrada de críticas na web a respeito disso.

Considerações finais

Enfim, claramente o Banco do Brasil ofereceu o OuroCard Fácil com o objetivo de ganhar “terreno” diante de tantas opções no mundo das fintechs. Entretanto, existem várias outras opções entre os cartões de crédito sem anuidade e outras opções com cashback. Cabe a você mesmo avaliar e decidir pela melhor opção. No entanto, eu não recomendaria o OuroCard Fácil. E você, concorda com a minha opinião? Deixe seu comentário logo abaixo.

Enfim, gostou da notícia?

Então nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Acompanhe nossos artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao mundo das fintechs.

Banco do Brasil cancela cartão de crédito de clientes no SPC/Serasa

Banco do Brasil cancela cartão de crédito de clientes no SPC/Serasa

Seu nome pode ser incluído no SPC e Serasa quando alguma conta não é paga dentro dos limites de vencimento. Como consequência disso, seu nome fica “sujo”, tornando-se bem mais difícil conseguir obter crédito no mercado, independente do produto solicitado, como empréstimos e cartões de crédito, por exemplo. Entretanto, caso você mantenha as suas contas em dia, e por alguma fatalidade, mais recentemente você teve alguma pendência financeira ficando negativado. Será que isso pode lhe trazer algum prejuízo? Infelizmente, a resposta é sim! Aqui neste artigo, saiba como alguns bancos têm agido com seus clientes com potencial risco de inadimplência. Por exemplo, de acordo com relatos de clientes, o Banco do Brasil cancela cartão de crédito quando identifica restrições no CPF dos seus clientes.

É provável que você também goste:

Empréstimo na Caixa sem consulta ao SPC/Serasa com garantia do FGTS? Saiba como

Confira 5 vantagens de fazer um empréstimo pela internet

Com o fim do Ourocard American Express, quais opções tem no BB?

Banco do Brasil cancela cartão de crédito de clientes no SPC/Serasa

Cancelamento de cartões de crédito com CPF sujo

Embora suas inadimplências nada tenham a ver com cartão de crédito e com o seu banco, desde que você mantenha os pagamentos em dia, algumas instituições têm cancelado os cartões de crédito de seus clientes, como por exemplo, o Banco Brasil.

Para melhor entendimento, o cliente tem o nome limpo e possui um bom score de crédito, então solicita o cartão de crédito, e por algum motivo deixa de pagar suas contas. Cabe ressaltar – sejam elas de qualquer espécie. Quando isso ocorre, o banco cancela o seu crédito.

Parece injusto, não é mesmo? Contudo, legalmente os bancos podem sim agir desta maneira, inclusive outras instituições além do Banco do Brasil cancela cartão de crédito. Por exemplo, o Banco Santander tem reduzido o limite dos cartões de crédito dos clientes. E a situação é mais grave, pois não necessita aviso prévio, pois em outubro de 2018, o Conselho Monetário Nacional (CMN) decidiu alterar as regras.

Ou seja, com a mudança, o limite de crédito poderá ser reduzido mais rapidamente, em caráter excepcional. Principalmente naqueles casos em que ocorre uma considerável deterioração do perfil de risco de crédito do cliente. Portanto, tenha muito cuidado quando atrasar as suas contas, para evitar que o seu crédito seja perdido.

Entretanto, cabe mais uma ressalva especificamente no caso do Banco do Brasil. Assim que o CPF não tenha mais pendências, o cartão de crédito do cliente é reativado automaticamente.

Outras consequências

Quando se está com o nome sujo, não só o cartão de crédito pode ser “cortado”. O cliente pode perder o direito de usar cheques, limites de crédito e demais linhas de crédito, como empréstimo pessoal e financiamentos. Por fim, fica a dica que a atitude mais sensata é sempre pagar as contas em dia, com o intuito de manter um bom score de crédito, e então poder usufruir de benefícios em diferentes instituições financeiras.

Enfim, gostou do nosso artigo?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter, Instagram e compartilhe com os seus amigos! Acompanhe artigos e notícias sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Com o fim do Ourocard American Express, que opções tem no BB?

Com o fim do Ourocard American Express, que opções tem no BB?

Em em comunicado, o Banco do Brasil informou aos seus clientes que a parceria entre o BB e a American Express será encerrada em 30/6/2019. Portanto, em virtude disso, todos os cartões na bandeira American Express serão descontinuados e devem ser destruídos. Os portadores de cartões Ourocard American Express deverão solicitar um novo cartão de crédito. Considerando o mesmo padrão, quais são as opções de cartão de crédito no Banco do Brasil?

É provável que você também goste:

BACEN revela alta de juros no cartão de crédito e cheque especial em fevereiro

Banco do Brasil cancela cartão de crédito de cliente no SPC/Serasa

Cartão Pan Méliuz c/ Cashback ou Nubank Rewards: qual o melhor?

Com o fim do Ourocard American Express, que opções tem no BB?

Cartão de crédito Ourocard Platinum American Express®

Primeiramente, o cartão de crédito Ourocard Platinum American Express® era um cartão de crédito internacional emitido pelo Banco do Brasil, mas a marca American Express foi comprada pelo Banco Bradesco. Este modelo do BB trata-se de um cartão exclusivamente de crédito.

Benefícios

Dentre os benefícios oferecidos, os usuários poderiam ficar isentos do pagamento da anuidade de R$ 528, dependendo do valor gasto no cartão, mesmo que temporariamente em alguns casos. Era possível ainda solicitar até 4 cartões adicionais, estabelecendo limites diferentes entre eles, mas com a cobrança de anuidade.

Os clientes ainda participavam do programa Ponto pra Você, com 1,6 pontos para cada dólar gasto. Para gastos acima de R$ 5.000 mensais, eram oferecidos 1,8 pontos para cada dólar. Os pontos expiravam a cada 36 meses e podiam ser convertidos em milhas. O cartão também era disponibilizado aos clientes do segmento Estilo, e neste caso ele denominava-se Ourocard Estilo Platinum American Express.

Era um cartão de crédito que valia a pena?

Tratava-se de um bom cartão de crédito. Porém, ele não é aceito nas Salas Vips específicas do American Express – o Centuriun Club. Entretanto, contava com benefícios especiais, como seguro completo e gratuito contra acidentes e seguro médico de emergência, com emissão do Certificado Schengen, exigido por países da União Européia.

Quais as opções tem no Banco do Brasil?

Com o cancelamento do cartão, o próprio banco recomenda que sejam solicitados dois cartões de crédito: o Cartão de crédito Ourocard Platinum (Visa ou Mastercard) e o Cartão de crédito Ourocard Elo Grafite. Conheça as vantagen e saiba um pouco mais sobre cada um deles.

Cartão de crédito Ourocard Platinum (Visa ou Mastercard)

Vantagens

De acordo com o banco, as vantagens podem ser em dobro para quem tem o cartão de crédito Ourocard Platinum. Ademais, ao optar pela bandeira Visa, você pode solicitar o cartão de crédito Ourocard Elo Grafite com 90% de desconto na anuidade.

Anuidade Visa:

Titular: 12 parcelas de R$ 39,00 (R$ 468,00).
Cartão adicional: 12 parcelas de R$ 19,50 (R$ 234,00).

Para consultar a anuidade na versão MasterCard, consulte a tabela de tarifas.

Renda mínima para Correntistas: limite de crédito calculado na agência;
Renda mínima para Não Correntistas: R$7.000,00.

Documentos para pedir o cartão:

  • Documento de identidade e CPF;
    Comprovante de endereço;
    Comprovante de renda.

Cartão de Crédito Ourocard Elo Grafite

Vantagens

Ao adquirir o cartão de crédito Ourocard Elo Grafite você pontua 1,4 ponto a cada US$ 1,00 gasto ou valor equivalente em real.

Anuidade

O valor da anuidade é promocional e com carência de 06 meses para pagamento no caso de cartões solicitados até 31/12/2019. Entretanto, aqueles clientes que realizarem a adesão ao Clube de Benefícios do BB terão carência de 12 meses para pagamento da anuidade.

Titular: 12 parcelas de R$ 37,00 (R$ 444,00)
Adicional: 12 parcelas de R$ 18,50 (R$ 222,00)

Renda mínima para Correntistas: limite calculado na agência.

Documentos para pedir o cartão:

Documento de identidade e CPF.
Comprovante de endereço.
Comprovante de renda.

Enfim, gostou do artigo?

Então nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter Instagram. Acompanhe nossos artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao mundo das fintechs.

Como aumentar o limite do cartão de crédito do Banco do Brasil

Como aumentar o limite do cartão de crédito do Banco do Brasil

Provavelmente, a grande maioria dos correntistas do Banco do Brasil possuem o cartão de crédito deste banco. Porém, o que muitos não sabem, é a possibilidade de aumentar o limite do cartão de crédito sem sair de casa. Isso porque, existe a possibilidade de remanejar seus outros limites, como o do cheque especial e do limite pré-aprovado. Portanto, neste artigo, você saberá como aumentar o limite do cartão de crédito do Banco do Brasil sem sair de sua casa.

É provável que você também goste:

Nubank revela o que ajuda a aumentar o limite do cartão de crédito.

Banco Santander está reduzindo o limite dos cartões de crédito

Saiba como aumentar ou diminuir o limite do seu cartão de crédito Digio

Como aumentar o limite do cartão de crédito do Banco do Brasil

Primeiramente, você precisa saber quem nem todos conseguirão aumentar o limite do Cartão de crédito do Banco do Brasil desta maneira. Existem alguns pré-requisitos para que essa solicitação funcione perfeitamente. Para aumentar o limite do cartão de crédito, é obrigatório que você possua um limite de crédito pré-aprovado ou limite de cheque especial em sua conta corrente do Banco do Brasil. Se você preenche um desses dois requisitos, poderá prosseguir com o nosso tutorial.

Como aumentar o limite do cartão de crédito do BB

Antes de conferir nosso tutorial, devemos salientar que você fará um remanejo de limite. Por isso, um dos requisitos é ter limite de crédito pré-aprovado ou limite de cheque especial. ou seja, você irá transferir esse limite para o seu cartão de crédito. Lembrando que você só pagará juros caso atrase o pagamento da fatura ou se houver juros em compras parceladas. Portanto, não se preocupe com juros do CDC.

Dito isso, agora você vai poder conferir abaixo nosso tutorial:

Passo 1

No site

Para aumentar o limite do seu cartão de crédito do BB (transferir CDC para o cartão), você deve acessar o site do Banco do Brasil ou acessar o app do banco em seu celular. Faça o seu login e procure pelas opções ”Meus limites”, ”Transferência entre Cartão/CDC/Cheque Especial.

No app

No app, após fazer o login, você vai em ”Meus Limites” e aí você vai notar uma pequena diferença. Ao invés de escolher a opção ”Transferência”, você deve escolher a opção ”Transferência de limites” e em seguida ”CDC para cartão de crédito”.

Passo 2

Apos ter seguido os passos acima, note que será perguntado o” valor a transferir” e também aparecerá a opção ”Prestação a transferir” logo abaixo.

Valor a transferir

Este é o valor que será transferido para o limite parcelado do cartão de crédito. Se você não sabe como funciona o limite parcelado, nós explicaremos.

Vamos supor que o limite principal do seu cartão de crédito é de R$ 500. Agora vamos supor que e o seu limite parcelado é de R$ 300. Então você compra um item no valor de R$ 300 em 3 vezes. Sem o limite parcelado, a compra iria ocupar o valor integral de R$ 300 no seu limite principal. Como limite parcelado, apenas a primeira parcela da compra ocupa o limite principal. As parcelas restantes ocupam o limite parcelado que foi transferido do CDC para o cartão de crédito. Assim, quando você faz uma compra em várias parcelas, seu limite principal praticamente não é afetado.

Prestação a transferir

Se antes o sistema permitiria que você pegasse um empréstimo cuja prestação fosse R$ 500,00, agora a prestação máxima será R$ 500,00 menos o valor da parcela transferida.

Conclusão

Aumentar o limite do cartão de crédito do Banco do Brasil através do remanejo de limites, pode ser muito benéfico para os correntistas do banco. Pois você pode aumentar seu limite parcelado sem precisar mexer no limite principal.

Então, gostou do nosso artigo?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter, Instagram e compartilhe com os seus amigos! Acompanhe artigos e notícias sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Presidente do BB está convencido que o banco deveria ser privatizado

Presidente do BB está convencido que o banco deveria ser privatizado

Durante palestra na Fundação Getúlio Vargas que ocorreu hoje (15), o presidente do BB, Rubem Novaes, afirmou que “está convencido” de que a empresa deveria ser privatizada.

Leia também:

Mais um diferencial do Nubank: transferência em dia não-útil.

Reforma da Previdência: aposentados das estatais poderão ser demitidos sem a multa dos 40%

Presidente do BB está convencido que o banco deveria ser privatizado

O presidente do BB afirmou que não está em cogitação a venda de nenhuma das grandes estatais do Brasil, como o próprio Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Petrobrás. Contudo, ele reforçou que o país deveria seguir “batendo nesta tecla”, pois essas companhias estariam melhor na mão no setor privado.

Confira algumas das suas falas:

“Estou convencido que o Banco do Brasil deveria ser privatizado”, disse. “No Banco do Brasil, me sinto de mão atadas. É como se tivesse bolas chumbo nas pernas para competir com os bancos privados.”

“Está havendo um apoio crescentes das pessoas que pensam com mais responsabilidade sobre a economia do país. E agora a gente vai precisar muito desse apoio para avançar também na área de privatização, sobretudo do setor bancário”, afirmou.

“O governo, ao longo da história, atrapalhou mais do que ajudou o Banco do Brasil. Minha conclusão é que se o BB fosse privado, ele seria muito mais eficiente, teria melhor retorno e poderia alcançar todos os objetivos que hoje alcança.”

Caixa Econômica Federal

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães afirmou que a Caixa deu início à venda dos ativos. Ademais, ele ainda disse que o banco deverá fazer a abertura de capitais dos segmentos de loterias, cartões e assets.

“Até junho a gente pretende vender todas as participações não estratégias e a partir de setembro fazer quatro operações no mercado de capitais por determinação do ministro”. O objetivo dessas operações é pagar a dívida do banco, que é o equivalente a R$ 385 bilhões.

BNDES

O presidente do BNDES Joaquim Levy enfatizou sobre a necessidade de cessão de empresas públicas ao setor privado. Ele considera que o estado brasileiro se tornou muito grande, deixando a economia interna disfuncional.

“Se a gente não tomar medidas para corrigir a gente vai entrando numa espiral em que cada vez mais a classe produtora tem que trabalhar mais para financiar o estado”, disse Levy.

Ele destacou que o BNDES está trabalhando com vários estados na privatização, sobretudo, do setor de energia. Entretanto, há muito mais a ser feito.

“Há vários setores que podem dar um pouco de dinamismo à economia.

Quanto ao BNDES, Levy evidenciou o foco na reestruturação de sua atuação. Ele citou um antigo comercial de um banco privado que dizia ser “um banco que nem parece banco”.

“O que nós queremos hoje é tornar o BNDES um banco que até parece banco”.

Gostou da notícia?

Então nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Acompanhe nossos artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao mundo das fintechs.

Paulo Guedes não descarta privatizar Banco do Brasil

Paulo Guedes não descarta privatizar Banco do Brasil

Paulo Guedes não descarta privatizar Banco do Brasil. A equipe de economia do governo federal, comandada por Paulo Guedes, tem o principal foco em equilibrar as contas públicas, mesmo que tenha que privatizar empresas estatais. Por isso, nesta semana, o secretário especial de desestatização e desinvestimento do Ministério da Economia, Salim Mattar, indicou que apenas três estatais iriam ser mantidas: Petrobras, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal.

Leia também:

Ministro Paulo Guedes promete milhões de empregos mas diz que “não vai ajudar vagabundos”.

Privatizações do Banco do Brasil e Caixa estão perto de acontecer?

Cartão TudoAzul Itaucard 2.0 Platinum é sem anuidade, confira outros benefícios.

“Se vendêssemos, poderíamos reduzir nossa dívida a R$ 3 trilhões e poderíamos investir mais em obras de infraestrutura e benefícios para população em saúde, educação e segurança”, informou o secretário.

Paulo Guedes não descarta privatizar Banco do Brasil

Entretanto, segundo a revista Veja, o ministro da Economia, Paulo Guedes, não descarta privatizar o Banco do Brasil. Em uma conversa com um interlocutor, ele teria afirmado que seria “melhor vender enquanto vale alguma coisa”.

Subsidiárias das estatais

Mattar não descartou vender subsidiárias das estatais, incluindo até mesmo as da Petrobras. “A Petrobras é uma companhia muito boa, mas não é o que anunciam em termos de produtividade e eficiência. Quando pegamos outros comparáveis, vemos que a produção de funcionário de outras companhias é o dobro”, declarou.

Enfim, gostou da notícia?

Então, nos siga em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Para assim acompanhar artigos sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais, financiamentos, empréstimos e tudo relacionado ao assunto de fintechs.

Fonte: Yahoo.