Seu Crédito Digital
O Seu Crédito Digital é um portal de conteúdo em finanças, com atualizações sobre crédito, cartões de crédito, bancos e fintechs.

Alerta urgente para quem utilizar TV Box e IPTV

Sinais de transmissão piratas são comuns no Brasil, porém, a Anatel promete acabar com isso. Confira as novidades de fiscalização.

Centenas de brasileiros utilizam alguma forma de pirataria de sinal de transmissões. Diante desse cenário, a Anatel divulgou nos últimos dias a possibilidade de encerrar o acesso a serviços clandestinos de IPTV e TV Box, deixando muitos usuários preocupados com as consequências.

Os dispositivos IPTV e TV Box possibilitam a transmissão de conteúdo pela internet, oferecendo uma ampla variedade de opções e qualidade de programação. Essa praticidade tem conquistado cada vez mais usuários. No entanto, é importante ressaltar que, também existem distribuições ilegais desses serviços, conhecidas como “gatonet”.

Listas ilegais para  IPTV e TV Box

A distribuição e o uso de listas não regulamentadas ou credenciadas para IPTV e TV Box, são ações consideradas ilegais, configurando-se como pirataria, de acordo com o Código Penal.

A penalidade para quem utiliza esses dispositivos de forma irregular pode chegar a três anos de reclusão.

As listas ilegais de IPTV e TV Box funcionam quando um usuário adquire um pacote completo de canais e o redistribui para outras pessoas por um preço reduzido. Isso gera prejuízo para as empresas produtoras, enquanto o distribuidor obtém lucro com a venda de conteúdo ilegal.

Ação da Anatel no combate à pirataria

A Anatel tem intensificado a fiscalização e o cumprimento da lei no segmento de IPTV e TV Box.

Assim, desde 2020, a agência busca formas de coibir essas práticas, porém a rápida disseminação dos serviços tem sido um desafio crescente. Por essa razão, a Anatel anunciou uma atuação mais rigorosa para acabar com essa prática clandestina.

Em parceria com a Ancine, a Anatel criou um laboratório de pesquisas para combater o uso de dispositivos de IPTV e TV Box ilegais.

Desse modo, por meio dessa colaboração, o laboratório poderá realizar bloqueios em tempo real, identificando os equipamentos e bloqueando as listas não regulamentadas.

A previsão é que essa proposta entre em vigor no segundo semestre de 2023, aumentando significativamente o número de bloqueios de canais.

No ano de 2022, centenas de aparelhos e sinais foram bloqueados, mas ainda há muito a ser feito.

Imagem: Paolo De Gasperis / Shutterstock.com